Convulsão em cães: cuidados e causas

Sabia que a convulsão pode acontecer em cachorro de qualquer idade e raça? Confira alguns cuidados!

Os cães também podem apresentar episódios de quadros compulsivos, que podem estar relacionados a várias coisas. A convulsão é uma condição que pode acometer cães de qualquer raça ou idade e exige um tratamento adequado que é realizado por meio de medicações corretas e acompanhamento veterinário.

convulsao-caes

Você já conheceu ou viu algum cão que teve compulsão? A condição ocorre devido a alguma desordem que pode atingir o sistema nervoso central do cão. A convulsão pode ter intensidades diferentes e ela ocorre por causa de uma descarga elétrica. O cachorro pode apresentar diferentes sintomas como, por exemplo, espasmos musculares, quedas bruscas e também os cães tendem a ficar se enrolando no chão com perda de percepção sensorial. Durante a convulsão, o cachorro também pode urinar ou até mesmo defecar.

O quadro compulsivo esta associado a diversas causas como, por exemplo, doenças que atingem o sistema nervoso central, tumores, intoxicações medicamentosas, doenças do fígado e algumas raças também tem predisposição genética de origem idiopática, para a condição.

Uma das doenças que esta relacionada a convulsão nos cães é a epilepsia, que é uma doença crônica, sendo caracterizada por ataques epilépticos de graus de intensidade variada, em que o cão pode ou não perder a consciência. Algumas raças são ais propensas a desenvolver essa doença, que é hereditária, como Beagle, Pastor Alemão, São Bernardo, Collie, Golden Retriever, Labrador, Pit Bull, entre outras. Cães com epilepsia tendem a ter uma vida normal, mas é preciso que o dono tenha mais atenção e cuidado com a saúde do seu melhor amigo.

A crise convulsiva no cão tende a durar, aproximadamente, 5 minutos e o dono não deve colocar a mão na boca do cão com o intuito de puxar a língua. Além disso, durante a crise é preciso afastar qualquer objeto e cercar o cão com almofadas ou até mesmo toalhas, para evitar possíveis acidentes.

O tipo de convulsão mais comum nos cães é a generalizada, em que o cachorro perde o controle e apresenta sinais como tremores nas pernas, além de soltar as necessidades de forma involuntária.

Um cachorro com quadro compulsivo exige muita atenção por parte do dono, por isso, é fundamental que o cão seja acompanhado por um veterinário de confiança e quanto mais cedo o tratamento for iniciado, melhor para a saúde do cachorro. Além disso, cães que têm crises convulsivas com frequência podem fazer uso de medicações específicas, que devem ser indicadas pelo veterinário.

Gostou das dicas? Você conhece algum cachorro que tem epilepsia? Conte para a gente aqui no blog!



Gostaria de receber histórias sobre cachorros no Facebook? Clique para curtir o Cães Online
Receba atualizações do Cães Online no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

3 Comentários

  • Tenho uma SRD , minha amiga e companheira para todas as horas, ela tem convulsões desde 2 anos e meio , hoje tem 5 anos , desde a primeira vez ela toma o fenobarbital a cada 12 horas e tambem brometo de potasio a 6 meses porque as crise se tornaram + frequentes , gostaria que houvesse algo que pudesse fazer por ocasião das crises, ” a ultima vez foi violenta iniciou na madrugada de sexta feira , foram varias crises + ou – a cada 50 minutos até a manhã de domingo , fico desesperada sem saber o que fazer para aliviar tanto sofrimento da minha amiguinha. E ela fica querendo ir embora de casa, não reconhece sua coisa, as pessoas de casa
    e outros sintomas, alguém tem alguma experiencia que possa compartilhar.

  • A minha cadela tem 4 anos, e desde 1 ano e meio tem convulsões, e faz uso de gardenal a cada 12 hs, pude notar que as crises diminuíram de uns tempos pra cá, quando iniciei a terapia de abraços e beijos na cabeça, antes ela tinha convulsões a cada 2 meses no máximo e agora faz 4 meses que ela está sem convulsionar.

Comente