Mulher é condenada a 17 anos de prisão por matar cães e gatos

Decisão é inédita no Brasil. Dalva Lina da Silva teve a pena aumentada e está foragida.

Dalva era conhecida na Vila Mariana, São Paulo, por seu carinho e preocupação com os animais. Costumava recolher cães e gatos em situação de risco e não demorava a conseguir novos lares para eles.

Porém, protetores de animais começaram a achar muito estranha a rapidez com que Dalva Lina arrumava novos donos para os bichinhos que acolhia. Desconfiada, uma ONG resolveu pôr um detetive particular para investigá-la. E ele fez uma descoberta chocante.

ACOMPANHE CÃES ONLINE!
Inscreva-se no Canal: https://goo.gl/HU37EA
Curta no Facebook: https://www.facebook.com/caesonline/
Participe do Grupo: https://www.facebook.com/groups/caesonline/
Siga no Instagram: https://www.instagram.com/caes.online

De forma suspeita, Dalva foi vista colocando sacos de lixo frente à casa de uma vizinha. Quando a polícia foi chamada para verificar deparou-se com os animais mortos e enrolados, um a um, entre panos e jornais. A mulher foi presa em flagrante como suspeita das mortes.

Dentro da sua casa havia uma cadela e oito gatos, todos vivos ainda.

O caso ocorreu em 2012, mas Dalva aguardava a decisão da justiça em liberdade. Em 2015 ela foi condenada a 12 anos de prisão pela morte de 37 cães e gatos, mas no dia 09/11/2017, a pena foi aumentada para 17 anos e seis meses de reclusão.

É a primeira vez que uma pessoa, no Brasil, é punida tão severamente por maus tratos em animais. Dalva foi acusada também de obter medicamentos de uso restrito somente por veterinários. Nos autos do processo consta que ela aplicava uma injeção no coração dos bichinhos para executá-los.

Dalva Lina não foi encontrada pelos policiais para ser conduzida à cadeia, não sendo localizada também nos outros três endereços que forneceu à justiça.

Quem tiver informações sobre Dalva Lina da Silva pode entrar em contato com a 1ª e 2ª Delegacia do Meio Ambiente, através do número 181, ou com o Grupo Especial de Crimes Ambientes (GECAP), do Ministério Público de São Paulo.

Segundo a promotora Vânia Tuglio, a condenação severa é única no mundo e espera que encoraje juízes que atuem na área a seguir o mesmo caminho.

Fonte: G1.com.br

2 Comentários

Deixe um comentário
  1. Com certeza esta senhora está com a mente muito confusa, precisa de tratamento mental e emocional, penso que cadeia talvez não seja o caso, no entanto, a reportagem não revela mais detalhes…mas penso que os traficantes de animais, que matam milhares de animais silvestres, que transportam estes animais amarrados dentro de canos de pvc e empilhados uns sobre os outros, espremidos em pacotes, por quilômetros e quilômetros sem comida e água…as pessoas que submetem animais a torturas para que aprendam a fazer truques em espetáculos, as pessoas que compram animais silvestres traficados, pessoas que aprisionam aves em gaiolas minúsculas…o controle de zoonose que mata (sacrifica) centenas de animais todos os anos, as pessoas que abandonam animais nas ruas em noite de frio e chuva, sem dó nem piedade, pessoas que não oferecem nem uma vasilha de água para um animal abandonado…sem falar nos matadouros onde todos os dias, milhares de animais são assassinados sem compaixão, gansos são forçados por meio de tubos a engolir porções imensas de alimentação gordurosa para que suas carnes forneçam o tal ” Foie Gras” tão apreciado pela elite…animais são torturados nos testes de laboratórios e indústria cosmética…jegues e burrinhos são mandados para o abatedouro ou abandonados nas ruas depois de trabalharem anos e anos…e a lista continua…sem desculpar a dureza, a amoralidade desta mulher, que assassinou tantos animais, também seria bom que a sociedade tivesse em mente que todos os que comem carne, que aprisionam animais, que pagam para ver espetáculos com animais, mesmo que seja um inocente zoológico, estão também infringindo a lei do respeito universal da compaixão e respeito pela vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *