Gata adota cãozinho abandonado depois de ataque

A luta agora é fazer com que ambas sejam adotadas pela mesma família.

Gertrude é uma linda gatinha cinza de dois anos de idade, mas que traz no seu passado uma história difícil.

Há algum tempo, grávida, ela foi “atacada” por um grupo de cachorros em Puerto Peñasco, no México. A gatinha, que já vivia nas ruas, foi resgatada por uma mulher que a levou para uma clínica veterinária, gerenciada pela Compaixão sem Fronteiras. A CWOB resgata cães abandonados das ruas do México.

O estado de Gertrude era bem grave. As feridas estavam abertas e na hora da cirurgia foi constatado que a gatinha estava grávida. Os danos internos foram tantos que os filhotes não puderam ser salvos. Gertrude, no entanto, conseguiu sobreviver, fato que os médicos consideraram praticamente um milagre.

Uma semana depois da cirurgia, Gertrude estava ainda se recuperando da cirurgia quando Clementine, uma cadelinha filhote, chegou à clínica acompanhada dos seus três irmãos.

Clementine e sua família possuíam uma casa, porém, quando ficaram doentes, o dono os levou para a clínica e não voltou mais para resgatá-los.

Os filhotes estavam bem doentes. Além de serem pequenos, pesavam um quilo, se tanto. Mesmo com todos os cuidados dos veterinários, Clementine foi a única  que sobreviveu.

Gertrude já estava melhor, em plena recuperação. Um dia, quando Claudia Ortega, uma das gerentes da clínica, passou com Clementine no colo, o inesperado aconteceu. Gertrude se aproximou da parte da frente da gaiola e começou a miar para a cadelinha.

As duas foram postas juntas e Gertrude adorou sua nova companhia. Para Clementine foi ótimo, já que assim ela teria um corpo quente para se aconchegar e aquecer-se.

E quem disse que era possível separar as duas? Quando Claudia tentava afastá-las, Gertrude chorava até ter de volta Clementine. Assim elas foram sendo mantidas juntas na mesma gaiola. Passadas duas semanas, Claudia decidiu levar Gertrude e Clementine para sua própria casa.

Gertrude assumiu seu lado maternal com Clementine, tornando-se ambas ainda mais inseparáveis, inclusive na hora de dormir. Nem mesmo as brincadeiras de Clementine tiram a paciência da bichana.

Foi decidido que Clementine e Gertrude iriam para os EUA tentar encontrar lares adotivos. Para maior conforto de Gertrude, foi providenciada uma gaiola somente para ela. O resultado, contudo, surpreendeu os diretores da clínica. Gertrude chorou tanto que as duas foram postas mais uma vez juntas.

Gertrude e Clementine já estão na Califórnia e a torcida agora é que ambas sejam adotadas pela mesma família.

3 Comentários

Deixe um comentário
  1. Vai ser muito triste se separarem a Gertrude e Clementine eles podem até chegar a morrer de saudades um do outro, eu não deixaria que essa separação aconteça tadinhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *