A história de Lily, a pequena cadela abandonada

Aconteceu na Califórnia (EUA). A cadela Lily foi abandonada pesando menos de 230 gramas.

Da mesma forma que para bebês humanos, para uma ninhada de cães, o leite materno é muito importante, não apenas em função da nutrição, mas também do conforto emocional. Filhotes que não sejam amamentados até oito semanas de idade têm muito pouca probabilidade de sobrevivência.

E foi exatamente isto que aconteceu com Lily. Encontrada nas ruas de San José (EUA), a pequena cadela já estava quase morta: os batimentos cardíacos não estavam sensíveis e a vida só podia ser confirmada pela fraca respiração. O herói que viu a cachorrinha, porém, acreditou que poderia haver uma chance de salvá-la.

historia-da-lily-1

Aquecida e nutrida, Lily ainda não demonstrava fortalecimento dos sinais vitais.

Lily recebeu atendimento emergencial na casa do próprio salvador, mas a tarefa era árdua: a família tentou alimentar a cachorra com leite de vaca durante dois dias, mas, quando as condições de saúde pioraram, a melhor decisão foi procurar socorro médico.

Os responsáveis pelo resgate levaram o animal para o San Jose Animal Care Center, uma entidade sem fins lucrativos que recupera e promove a adoção de animais perdidos e abandonados, além de prestar diversos serviços à comunidade. Em 01/03/16, Lily começou a difícil batalha pela vida.

Um quadro alarmante

Lily estava realmente muito fraca. A cadelinha pesava apenas meia libra (ou “pound”, o equivalente a 227 gramas no Sistema Universal de Unidades. Uma libra é o peso de uma lata de leite em pó. Os veterinários que a atenderam, mesmo experientes em casos graves e até trágicos, avaliaram que o animal viveria apenas algumas horas. No máximo, poucos dias.

historia-da-lily-2

Lily, já abrigada, mas ainda sofrendo risco de morte.

Mesmo assim, a equipe chefiada pela Dra. Sharon Ostermann não desistiu. Diversas providências foram tomadas: aquecimento artificial, soro para evitar a desidratação e alimentação oral (ministrada com uma ampola). Com todos estes cuidados, Lily continuava exausta e não reagia aos estímulos.

A recuperação

Depois de algumas horas, Lily começou a apresentar sinais de melhora clínica. A cachorrinha passou a ter cuidados ininterruptos oferecidos por uma “mãe substituta” – uma enfermeira veterinária. Aparentemente, ao lado dos cuidados técnicos, o carinho da nova mãe fizeram a diferença no tratamento: em apenas duas semanas, Lily já estava interagindo e brincando, além de conseguir ganhos significativos de peso.

historia-da-lily-3

Lily, com tratamento médico e muito amor.

Importante

A equipe veterinária do San Jose Animal Care Center faz uma advertência. A pessoa que encontrou Lily na rua teve a melhor das intenções, mas, antes, é necessário esperar e observar. A mãe de Lily poderia ter se afastado apenas por alguns instantes, em busca de alimento ou na tentativa de afastar possíveis agressões à ninhada.

Resgatar filhotes sem antes se assegurar de que eles foram realmente abandonados reduz as chances de sobrevivência. Outra questão fundamental: quem faz o resgate e não tem experiência nos cuidados com cachorrinhos desnutridos precisa buscar atendimento específico. Em muitos casos, alguns minutos fazem a diferença entre a vida e a morte.

Boa sorte, Lily!

Receba atualizações do Cães Online no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

20 Comentários

    • A sociedade somos nós, não são os outros. Nem todos gostam de si mesmos, vão gostar de outro ser vivo? Somos nós que temos de nos mobilizar, e então cada vez mais simpatizantes irão se reunir para buscar socorrer os de fato menos favorecidos. Numa sociedade eminentemente materialista valores como zelar pelo vida alheia, dos mais fracos, é algo que ninguém quer saber, prefere que os outros é que façam!!!

    • Há mais ou menos cinco abandonaram uma cachorrinha mestiça de Pit bull tigrado no portão da casa da minha filha, temperatura O°C, muito frio, meu genro viu e trouxe para mim, não tinha os dentinhos e os olhinhos ainda estavam fechados, acho que mataram a mãe dela. A pequena cachorrinha estava toda machucadinha. Enrolei num edredon para que não morresse de hipotermia, sempre aconchegada ao meu corpo para aquecê-la e fui alimentando gota a gota, esperando pela morte do bichinho, mas ela resistiu, Cresceu, hoje tem um peso que consigo levantá-la do chão, olhar dela para mim é de puro amor, mas acho que ficou alguma sequela pela falta da mãe, enquanto dorme ela faz um ruído como se estivesse mamando em sua mãe, Chego a ficar emocionada quando observo a falta que sua mãe deve ter feito enquanto recém nata.

      • Dininha querida… Calma anjo, tire a faca dos dentes… Concordo contigo, mas não totalmente… Claro que a condição básica soberana deve ser esta mesma, a do mais absoluto amor e respeito por toda e qualquer forma de vida que venha a revestir, ou ser revestida por todos os seres, sejam eles vegetais, animais ou humanos. Categorias, espécies ou raças, sexo ou cor, tudo isto não é escola de samba ou time de futebol, pelos quais se torce. Amor é uma coisa misteriosa, quase como um outro ser, uma vida a parte, que nos toma ou envolve, sem explicação, sem que conheçamos ou entendamos o que é e a sua natureza, mas que nos possui, e pronto, lá estamos nós, reféns e cativos deste sentimento que nos molda e revoluciona a vida. Quero dizer que contra o verdadeiro amor somos impotentes. Mas com relação a cuidados, tratamento, carinho e proteção já somos um pouco mais senhores da razão, e é bom mesmo que ela exista, em alguma medida. A pessoa que fez a afirmação acima, não conhecemos a idade, que experiência possui com animais, onde mora, as dimensões da sua moradia, a sua condição financeira, a sua idade, quantos moram na casa, se existem outros animais, de que espécies, ou se será o único. Cães maiores comem mais, ocupam espaço maior, exigem um nível de exercícios maior e um brutamontes pode dar trabalho e ser de difícil controle em um passeio. Um mini cão tem exigências diferentes de um dog alemão ou um rottwailler, especialmente se for viver em apartamento, em quitinete, por exemplo. em edícios temos que considerar que a convivência com vizinhos é algo a ser considerado e certas raças, ainda que mestiças, podem ser bem barulhentas. A personalidade e o temperamento, tanto do animal como do seu tutor precisam se encaixar e se harmonizar ao máximo. Possuir condução própria, as vezes pode ser fundamental, pois um cão grande precisa de transporte para cuidados, e se adoece, ou morre em casa, como lidar com um gigante morto dentro de um pequeno local, num andar de um edifício, ou ter que subir com um grande e pesado saco de ração? Existem crianças? É uma família? Aposentados? Solteirões? Animais muito explosivos, expansivos, agitados e alegres, muito ativos e comunicativos, Todos são fatores a serem avaliados, pois não faz sentido arrumar problemas que podem ser evitados ou minimizados com uma boa dose de juízo e bom senso. Como as raças, mais ou menos, obedecem a alguns padrões de comportamento e personalidade, quem não possui experiência fala mais ou menos baseado nisto, não é por mal. Vamos deixar qualquer outra crítica ou reprimenda para depois que conhecermos a pessoa e as condições que a cercam. Pelo jeito você é mais outra, como eu, comandada pelo amor, desmedido e irrefreado. Mas eu reconheço que deveria ser um pouco diferente, para não dizer muito. Vamos deixar um espaço para o amor, e um espaço para a lógica e o bom senso, pois assim todos viverão bem e melhor… Um abração…

    • Com tantos animais abandonados em abrigos, voce está preocupada com raça? Que tal adotar pelo simples fato de amar um outro ser vivo, alguém que só precisa de carinho, atenção e bons cuidados.

    • Adote um vira lata de alguma ONG,(como ABEAC), ja castrada e vermifugada….vc não irá se arrepender…experiencia propria….terás amizade e carinho ….

  • A minha filha Thalita resgatou 9 cães dálmatas com 15 dias de vida, eles e sua mãe. Levou ao hospital veterinário. Um dos filhotes e a mãe ficaram internados. O filhote morreu naquela mesma noite, a mãe 3 dias depois. Criamos 8 filhotes desnutridos, cheios de feridas, pulgas, sarna… Tomaram leite de cachorrinho e papinha de desmame. Os 8 sobreviveram, hoje têm 3 anos e 5 meses, estão lindos. Doamos 4 e ficamos com 4. Todos são felizes e tem donos maravilhosos. Todos foram castrados, tomam vacinas importadas e nós os visitamos sempre.

  • São tantas histórias de cães abandonados,massacrados e famintos,não dá pra saber qual é a pior e mais triste.Nessas horas eu gostaria de ser a pessoa mais rica do mundo,não iria deixar nenhum animal sofrendo! Eles são tão indefesos,tão dependentes da gente. Por que os humanos tem que descontar seu ódio e suas frustrações neles?? Que mal eles fazem??? O mundo jaz no maligno mesmo!!! Muitas pessoas não são humanas mais,são possuídas pelo mal,cheias de ódio,rancor e ganância!Peço a Deus todos os dias que Ele tenha misericórdia dos animais;pois, poucos são os humanos que tem compaixão deles!!!

    • EU AMO OS ANIMAIS E SEMPRE ME DEDIQUEI EM CUIDAR BEM DELES, JA TIVE 20 GATOS E SETE CÃES AO MESMO EMPO, E SEMPRE CUIDEI COM AMOR E CARINHO….É TRISTE VER OS ANIMAIS NAS RUAS SOFRENDO, SE EU PUDESSE TB E TIVESSE CONDIÇÕES IRIA FAZER UM HOSPITAL, HOTEL, E UM LUGAR ONDE PUDESSE ABRIGAR CÃES E GATOS ABANDONADOS, E CUIDARIA COM TODO O AMOR E CARINHO…OS BICHINHOS SÃO INOCENTES E PRECISAM DEMAIS DE NOSSA AJUDA, EM TODOS OS SENTIDOS…COMIDA, REMEDIOS, CARINHO
      E PROTEÇÃO….FICO FELIZ QDO VEJO PESSOAS ADOTANDO OS CÃES E GATOS E VEJO QUE O MUNDO TEM MUITAS PESSOAS BOAS E ISSO QUE ANIMA A GENTE …..

    • Existem muitos anjos que Deus envia pra esse mundo.Anjos humanos, que ajudam a salvar vidas e vidas de animais sofredores.Já recolhi muitos cães doentes nas ruas, minhas filhas e netas fazem parte de uma Ong em João Pessoa,tem uma cadelinha que operou-se com grave infecção, linda,meiga e triste, mas daqui uns dias estará feliz com o amor e cuidados delas.Sinto-me imensamente feliz.As pessoas que não sabem como ajudar e as vezes não podem, peço que depositem qualquer importância, para Ongs de respeito,pois necessitam de remédios, cirurgias,aVocês se sentirão muito bem com essa atitude.

  • por isso que eu amo animais seja gato ou cachorro eu procuro sempre ajudar os animais dando rações
    se for de rua também ajudo . tem muitos gatos aonde eu moro eles são daqui da rua quando eu tenho eu dou e tem os vizinhos tb ajudam dão comida

  • um sonho e adotar um cachorro mas eu um cão pequeno bem cabeludo porque minha casa não tem quinau ,mas onde eu moro não tem cão para adotar ,por favor me ajude .

Comente