Pit bulls abandonados recebem amor e cuidados de policial

A caminho do trabalho, em plena madrugada, policial encontra dois cães abandonados.

A caminho do trabalho, às 4h30min, o policial Patrick Hennessey foi surpreendido por um fato inesperado: deparou-se com dois pit bulls perdidos no meio da rua. Patrick não sabia o que fazer, principalmente quando constatou que um dos cães estava com a perna dianteira sangrando.

O fato aconteceu em Santa Ana (Orange County, Flórida, EUA). Sem saber o que fazer, Patrick entrou em contato com o escritório do xerife de Orange County, que enviou dois oficiais para o local. Assim que os policiais chegaram, os pit bulls pareceram se sentir mais seguros, como se percebessem que estavam sendo protegidos. Os dois cães se aproximaram e até se aconchegaram aos oficiais.

O resgate dos pit bulls

Apesar da fama de extremamente feroz que acompanha os pit bulls, o cão ferido permitiu que um dos policiais colocasse uma proteção na perna que estava sangrando. Com a gaze, o sangramento estancou e o animal ficou mais aliviado. Por volta das 5h30min, finalmente chegaram funcionários do serviço local de resgate.

resgate-pit-bulls-1

Os dois pit bulls foram levados para o Orange County Animal Services, em Orlando, uma ONG voltada à proteção de animais. Nesta ONG, os cães foram batizados com os nomes de Justice and Liberty (Justiça e Liberdade), foram tratados por veterinários e colocados para adoção.

resgate-pit-bulls-2

Mais casos de abandonos

Cachorros abandonados ou em situação de perigo normalmente agem de forma defensiva, muitas vezes demonstrando raiva. Afinal, é muito provável que tenham sofrido maus tratos e, por isto, manifestam medo de tudo e de todos.

Cães da raça pit bull são abandonados com frequência, não apenas na Flórida, mas em todas as cidades do planeta. Embora muitos animais sejam dóceis, eles são extremamente territorialista e também excelentes em escaladas, podendo escalar muros de até três metros de altura com facilidade. Uma vez na rua, eles podem atacar pedestres, imaginando que são invasores.

A cada notícia de um ataque de pit bulls, aumentam os abandonos, seja por medo, seja por raiva. Os cães da raça são extremamente submissos aos donos, mas alguns humanos irresponsável estimulam a agressividade: penduram pneus para estimular os instintos de caça e fazem “treinos” de perseguições entre os animais.

Resgates de pit bulls no Brasil

Na última década, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de São Paulo recolheu mais de 900 pit bulls a cada ano. Infelizmente, os animais dispõem de apenas três dias para que sejam adotados. Quando não há interessados, eles são sacrificados.

Existem pessoas bem-intencionadas, no entanto. O empresário paulistano Alessandro Desco. De 42 anos ajudou o primeiro pit bull abandonado há sete anos. O animal estava em um terreno baldio, muito abaixo do peso normal e parecia extremamente amedrontado.

De lá para cá, Desco não parou mais. O empresário já encontrou cachorros doentes (um deles estava com um tumor imenso na cabeça), esfaqueados e até com a pelagem queimada. Ele calcula ter resgatado mais de 200 cães, sempre com ajuda da mulher, Alessandra. Em sua casa, há cinco cachorros; ele mantém muitos outros em uma clínica veterinária e no sítio de uma amiga, enquanto aguarda a adoção.

O casal Fernanda Mescia e Paulo Mello fechou um restaurante no litoral para criar um santuário e dedicar-se integralmente ao resgate e tratamento de pit bulls. O Santuário dos Pit Bulls foi criado em 2010. A escolha da raça foi tomada em função da lealdade, docilidade, companheirismo e bom relacionamento com crianças.

Em Campinas (SP), Thor e Nina foram encontrados perambulando na zona rural, em outubro de 2016. O primeiro a ser resgatado foi o macho, mas ele recusou a alimentação oferecida. Só voltou a comer depois que Nina chegou ao abrigo. Também deu mostras de carinho, abanando o rabo para os treinadores. Os dois animais estão aguardando adoção conjunta. Eles são adultos, estão castrados e vacinados.

4 Comentários

Deixe um comentário
  1. O Alessandro Desco, Rosana Almeida e a Patrícia Pitcão são fervorosos defensores da raça. Já resgataram muitos pitbull de maus-tratos e abandono. Agora precisamos de bons adotantes para que possam continuar resgatando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *