Sarna canina: sintomas e tratamento

Quando alguém se comporta como se quisesse se meter em encrenca, a gente fala que essa pessoa está procurando sarna pra se coçar. Quando uma pessoa é muito grudenta, a gente fala que ele ou ela parece uma sarna. Ditados populares têm sua origem na sabedoria advinda da observação cotidiana, e qualquer tutor que já teve que lidar com problemas de sarna no seu cãozinho sabe bem da veracidade desses comentários.

sarna canina

Mas afinal, o que é sarna?

A sarna é uma doença inflamatória em cachorros causada por diferentes tipos do ácaro.

Alguns ácaros causadores de sarna são habitantes normais da pele e folículos dos pelos do seu cachorro enquanto outros não. Quando o número de ácaros que vivem nos folículos dos pelos e na pele do cachorro aumenta, isso pode levar a infecções leves ou severas na pele, problemas autoimunes e perda de pelo. A aparência pode ser de perda generalizada de pelos, vermelhidão, escamação e feridas. Nem sempre é certo como os cães adquirem ácaros, até porque não são só os cães de rua que pegam sarna; ácaros podem ser encontrados em qualquer lugar, logo qualquer cãozinho pode correr o risco de adquirir sarna. A doença pode ser transmitida de mãe para filhote durante a amamentação, por isso os veterinários sugerem que cães com problemas crônicos de sarna não sejam usados para reprodução, pois podem passar o problema para suas proles.

Os ácaros podem ser transferidos de um cão para outro, mas se o receptor for saudável, eles só vão ser adicionados à população pré-existente de ácaros sem causar nenhum transtorno. Por isso geralmente não há necessidade de isolar o cão infectado – embora em situações raras, o contágio seja possível.

Os três tipos de sarna

Os sintomas da sarna vão depender do tipo de ácaro.

A demodécica (sarna negra) costuma causar perda de pelo, alopecia, crostas, feridas e secreções com cheiro forte. Infecções secundárias por bactérias podem fazer que este tipo de sarna se torne desconfortável com muita coceira. Conquanto existam diferentes teorias sobre a questão da transmissão entre cachorros, é comumente aceito que a sarna demodécica não é transmissível a gatos nem humanos.

Já a sarna sarcóptica (ou escabiose) causa coceira extrema criando agitação e fazendo com que o animal se coce freneticamente. Esses sintomas aparecem uma semana depois da exposição e podem resultar em perda de pelo, pele avermelhada, feridas e crostas. As áreas mais afetadas são as orelhas, cotovelos, rosto e pernas, mas a sarna pode se espalhar rapidamente para o corpo todo. Ao contrário da demodécica, a sarna sarcóptica é transmissível aos humanos e causa erupções cutâneas semelhantes a picadas de mosquito.

Outro tipo de sarna é a otodécica (sarna de ouvido) assim chamada, obviamente, porque afeta essa parte do corpo do animalzinho. Ela causa muita coceira na orelha e o problema pode escalar pelo fato do cachorro se coçar demais; além disso, ela também causa acúmulo de cera dentro do ouvido o que pode levar a uma otite. Esse tipo de sarna é transmissível entre cães e gatos, mas não humanos.

Tratamento para sarna canina

Pra saber se o seu peludo tem sarna, o veterinário vai fazer raspagens na pele do cachorro (para identificar demodicose) ou arrancar alguns pelos (para identificar o ácaro responsável pela infecção), pegar uma amostra de urina (para identificar outros diagnósticos possíveis – principalmente aqueles causados por distúrbios do sistema metabólico) e talvez uma de sangue (para excluir outras possibilidades). O veterinário pega um bisturi, raspa a pele do cachorro, coloca numa lâmina com um pouco de óleo mineral e examina no microscópio.

A sarna demodécica tem tratamento longo e preventivo. Se o diagnóstico ocorre logo no início, o tratamento é à base de medicação tópica e banhos; em alguns casos injeções antiácaros são necessárias. Uma boa forma de evitar essa doença é cuidar sempre da alimentação e saúde do pet para que seu sistema imune esteja sempre bem.

No caso da sarna sarcóptica, o tratamento geralmente consiste de medicamento tópico (pomadas, unguentos) e banhos especiais. Quando o caso for mais grave, pode ser necessário o uso de medicação oral ou injetável. É aconselhável também que os pertences do seu pet como a caminha, cobertores e brinquedos sejam lavados sempre e mantidos limpos para evitar a proliferação dos ácaros.

A sarna otodécica vai ser tratada com medicação em forma de gotas a serem aplicadas diretamente no ouvido, além de banhos antiácaros para a remoção dos ácaros que causaram a sarna em primeiro lugar.

Pequenas infecções geralmente podem se curar sozinhas, mas infecções maiores requerem medicação regular e banhos especiais.

Então, como podemos ver, apesar de ser uma doença chata e grudenta, com paciência e cuidado ela pode ser vencida. O importante é lembrar que como nossos bichinhos não falam – e por isso não podem reclamar – devemos estar sempre super atentos a eles. Ao perceber que seu amigão está se coçando mais do que o normal, apresentar perda de pelos, feridas ou lesões, leve-o imediatamente a um veterinário de sua confiança. Mas lembre-se que no geral, manter a boa saúde do cachorro pode prevenir a maioria dos casos.

Receba atualizações do Cães Online no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente