Veja a crueldade que este homem fez com a cadela e seus filhotes

Seu sofrimento durou muitos anos, mas felizmente ela conseguiu se livrar de seu agressor.

Um homem chamado Roderick, da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, manteve sua cachorra presa durante 4 anos. Os filhotes de sua primeira cria morreram, e da segunda apenas uma se salvou, que acabou sendo acorrentada e maltratada como ela. Na terceira cria todos sobreviveram, mas a duras penas.

caes-maus-tratos-1

Os vizinhos, que acompanharam seu sofrimento durante todos esses anos, fizeram várias denúncias, mas ninguém ajudou. As cachorras eram alimentadas por vizinhos, que também fizeram uma pequena casinha de madeira, mas não conseguiam se libertar, pois seu dono as mantinha acorrentadas.

caes-maus-tratos-2

Um dia ele resolveu ir embora e abandonar as cachorras, deixando os filhotes em um burraco na terra. Felizmente os vizinhos foram lá e resgataram todos os cães. Hoje, todos estão a salvo, bem alimentados, protegidos e a espera de novos donos. Ninguém entende o motivo de um homem manter acorrentados cães do qual ele não queria cuidar.

caes-maus-tratos-3

Há relatos de sofrimento das cachorras, onde elas passavam fome e ficavam expostas a chuva, sol, frio e calor. A população está feliz com o resgate, mas não entende o motivo das autoridades não fazerem nada, mesmo diante de tantas denúncias. Agora basta olhar para frente e esperar um futuro melhor para todos.

caes-maus-tratos-4

Até onde se sabe nada ocorreu com o ex-dono dos cães. Espera-se que ele possa responder não apenas por maus-tratos, como também por abandono e negligência. Só uma mente tão perturbada pode fazer isso com cães, mesmo possuindo recursos ou tendo a possibilidade de entrega-los para doação.

Um comentário

Deixe um comentário
  1. Doente da cabeça ou não o sofrimento e os maus tratos são reais e o fato dele ter ido embora só reforça a consciência dele que percebeu que mais cedo ou mais tarde seria processado por tudo que fez. Fugiu e vai continuar maltrando outros animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *