Aeromoça adota que cachorro que sempre a esperava na porta do hotel

Este cachorro venceu pela persistência: ele sempre esperava uma aeromoça, que se tornou a sua tutora.

Esta é a história de amor entre uma aeromoça alemã e um cachorro de rua argentino. Blond era um vira-lata que vivia perambulando por Puerto Madero, um dos bairros mais sofisticados de Buenos Aires. Foi lá que ele conheceu Olivia Sievers: ela é uma hóspede habitual de um hotel local e o cachorro sempre a esperava na porta.

Olivia sempre se hospedava no Hotel Hilton, nas pausas dos voos entre Berlim e Buenos Aires. E ela reparava na presença regular do cachorro a quem, certo dia, ofereceu um pouco de comida e atenção. Foi o suficiente para que o vira-lata tomasse a aeromoça como referência e estabelecesse um vínculo que se fortaleceu cada vez mais.

Aeromoça adota que cachorro que sempre a esperava na porta do hotel

Olivia e Blond

A aeromoça passou a chamar o cachorro de Blond (“loiro”, em português). O peludo gostou do carinho e dos petiscos e resolveu montar acampamento na porta do hotel, na esperança de conquistar um pouco mais – mas certamente ele nunca poderia imaginar um final tão feliz.

Blond ganhou uma manta de viagem, com que conseguiu se aquecer durante as noites frias. Em todos os dias da estadia de Olivia em Buenos Aires, o cachorro permaneceu fiel instalado no seu posto fixo, na entrada luxuosa do hotel. Mas a aeromoça teve que retomar o posto e voltou para a Alemanha.

Aeromoça adota que cachorro que sempre a esperava na porta do hotel

A rota aérea entre as duas cidades, porém, é muito procurada por turistas e viajantes a negócios. Os voos entre Berlim e Buenos Aires se tornaram comuns na agenda da aeromoça. Em poucos dias, Olivia estava de volta à capital portenha.

Depois de deixar o aeroporto, a aeromoça seguiu para o mesmo hotel e foi recepcionada pelo cachorro SRD. O vira-lata não precisava de muita coisa: bastava ter a atenção da amiga por alguns minutos. Os dois se tornaram amigos e, sempre que Olivia voltava para Buenos Aires, encontrava Blond no caminho.

A adoção

Olivia estava cada vez mais impressionada com a persistência de Blond. Além disso, o cachorro se mostrava dócil, companheiro e muito inteligente. A aeromoça entendeu que não poderia deixá-lo por conta própria na rua.

Aeromoça adota que cachorro que sempre a esperava na porta do hotel

A jovem alemã entrou em contato com uma ONG argentina que resgata, abriga e encaminha animais de rua. O cachorro foi acolhido, tratado e encaminhado a um lar adotivo em Buenos Aires, mas fugiu poucos dias depois desta primeira adoção.

A entidade tentou alocar o cachorro em outras duas casas. Em todas as tentativas, Blond fugia e, poucos dias depois, já podia ser visto circulando pelas ruas de Puerto Madero. Além da persistência, o cachorro impressionava pela capacidade de orientação espacial.

Olivia reencontrou o amigo fugitivo algumas vezes. Blond parecia ter escolhido a aeromoça como uma amiga especial e, sempre que escapava dos lares adotivos, voltava para a porta do hotel em que tinha encontrado atenção e carinho com a jovem.

Aeromoça adota que cachorro que sempre a esperava na porta do hotel

Blond mostrava-se totalmente decidido: ele não aceitaria outro tutor além de Olivia Sievers. Depois de mais algumas viagens, a aeromoça não teve outra saída, a não ser aceitar o filho improvisado em sua família.

Blond é um cachorro tranquilo e muito sociável. Por isso, ganhou a atenção do abrigo a que foi levado. Mas o peludo tinha razões especiais para se aproximar da aeromoça. No pensamento do vira-lata, ele já tinha uma tutora e não era justo ser levado para viver com desconhecidos.

A jovem alemã deu início a uma série de procedimentos para finalmente adotar Blond. Em função do porte médio para grande, o cachorro não poderia simplesmente ser despachado no compartimento de carga do avião: seria necessário que um responsável o acompanhasse na viagem.

Aeromoça adota que cachorro que sempre a esperava na porta do hotel

Superada a burocracia, Olivia conseguiu finalmente embarcar o novo membro da família em um voo para Berlim. Esta foi apenas a primeira etapa da viagem, porque a aeromoça mora em Bad Pyrmont, a 400 km da capital alemã.

Depois de 14 horas de voo e outras quatro pelas rodovias alemãs, Blond finalmente chegou ao seu novo lar. O cachorro adaptou-se com rapidez – Olivia chegou a dizer que ele parecia ser um velho habitante da casa.

Aeromoça adota que cachorro que sempre a esperava na porta do hotel

Blond nunca mais tentou fugir, mesmo passando longos dias esperando pela volta da aeromoça. Ele está fazendo muito sucesso nas redes sociais e já é considerado um cidadão ilustre em Bad Pyrmont, a pequena cidade de pouco mais de 20 mil habitantes.

Este é um merecido final feliz para a dupla que se encontrou por acaso na porta de um hotel e, desde o primeiro contato, sabia que estavam destinados a viverem juntos para sempre.

Postagens Relacionadas