Cachorra abandonada em um saco plástico volta a sorrir

Por: em

Os antigos “responsáveis” arranjaram um meio cruel para abandonar esta cachorra: em um saco plástico jogado na porta do abrigo. 

Os voluntários do abrigo para cães Saving Carson, sediado em Gardena, uma pequena cidade na região metropolitana de Los Angeles, no sul da Califórnia (EUA), tiveram uma surpresa negativa logo no início de mais um dia de trabalho: eles encontraram um saco plástico na entrada da entidade. Não era lixa, nem uma encomenda, mas uma cachorra preta, abandonada com risco de asfixia. 

Seguir Cães Online no Facebook

Não se sabe o que os antigos tutores da cachorrinha tinham em mente quando a embrulharam em um saco plástico. Talvez não quisessem sujar o estofamento do carro em que ela foi transportada, ou talvez quisessem que o animal morresse sem ar. 

cachorra-abandonada-em-um-saco-volta-a-sorrir

Mas Blackie – este é o nome da cachorra abandonada (“pretinha”, em tradução literal) – voltou a sorrir. Ela foi adotada por uma família responsável e atenciosa. Hoje, os dias difíceis ficaram para trás e esta garota peluda está muito bem amparada. 

O abandono 

Blackie foi deixada no Saving Carson sem nenhum cuidado. Os antigos tutores não quiseram conversar com os voluntários da entidade, nem deixaram qualquer instrução sobre o estado da cachorra. Em um exame superficial, a equipe constatou que se tratava de um animal idoso e doente. 

cachorra-abandonada-em-um-saco-volta-a-sorrir

Depois de um banho e uma refeição, os veterinários diagnosticaram um tumor em Blackie. A massa cancerosa era tão grande que a cachorra estava sangrando – talvez esse tenha sido o motivo do saco plástico, para não sujar nada em que ela encostasse. 

O Saving Carson conseguiu localizar a família, mas esta alegou não ter condições para custear o tratamento da cachorra. E, mesmo depois que o abrigo se disponibilizou para cuidar da cachorra, os tutores se recusaram a recebê-la de volta. 

cachorra-abandonada-em-um-saco-volta-a-sorrir

Blackie estava sozinha e doente. Os especialistas avaliaram que ela já tem cerca de dez anos de idade. Era preciso abrigá-la e cuidar da sua saúde. A cachorra pareceu perceber que havia chegado a um “porto seguro”, porque mostrou-se sempre dócil, afetuosa e amigável. 

Mas a cachorra parecia não compreender a situação. Talvez ela achasse que simplesmente tinha ido para uma sessão de banho e tosa; em pouco tempo, os tutores estariam ali para levá-la de volta para casa. Apesar de muito gentil, Blackie se mostrava imensamente triste. 

O tratamento 

Em função da extensão do tumor, que já ameaçava órgãos vitais da cachorra, a equipe do Saving Carson não pôde mantê-la. Blackie foi então encaminhada para a Fundação Frosted Faces, em San Diego, também na Califórnia. 

A fundação é uma organização sem fins lucrativos, que recebe cães e gatos idosos, doentes e em risco de vida, providenciando os cuidados necessários de saúde. Os animais recuperados são posteriormente encaminhados para adoção. “Frosted faces” pode ser traduzido como “faces opacas, sem brilho”. 

A equipe da fundação acolheu Blackie e providenciou o tratamento inicial, além de ajudá-la a recuperar o peso. A cachorra teve de ser operada para retirada do tumor; os voluntários conseguiram a cirurgia no Hospital Veterinário High Valley, em Ramona, uma referência nacional no tratamento de cânceres em cães e gatos. 

O tumor foi removido. Felizmente, não havia infiltrações nos órgãos adjacentes e Blackie não teve necessidade de se submeter à quimioterapia. Apesar da idade avançada, o tratamento foi considerado um grande sucesso: a cachorrinha tinha recuperado a saúde. 

cachorra-abandonada-em-um-saco-volta-a-sorrir

De volta à Frosted Faces, Blackie passou um tempo convalescendo, até que a equipe decidiu que ela estava pronta para uma segunda chance de ser feliz. A cachorrinha merecia encontrar uma família definitiva e foi colocada para adoção. 

Felizmente, a procura por um novo lar para a cachorra durou muito pouco tempo. Um casal de Los Angeles conheceu Blackie e se apaixonou imediatamente pela aparência meiga e desprotegida da peludinha. 

Um animal que, meses antes, havia sido descartado como se fosse lixo, em um saco plástico, que foi recusado mesmo depois da proposta de tratamento médico gratuito, finalmente obteve a oportunidade que todos os pets merecem: ter um lar seguro e acolhedor, para amar e dar amor. 

Os cachorros são, sem sombra de dúvida, os melhores amigos dos humanos. Face ao que eles oferecem, estes peludos pedem muito pouco. São parceiros leais, amigos, divertidos e brincalhões. Eles também envelhecem e ficam doentes, mas isto nunca será uma justificativa aceitável para o abandono puro e simples. Felizmente, Blackie ainda tem alguns anos para alegrar a vida da nova família que a acolheu. 

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News