Cachorra adota cordeiro rejeitado pela mãe

Por: em

Um exemplo incrível: em uma fazenda de ovinos, cachorra adota um cordeiro rejeitado. Veja os vídeos…

O episódio ganhou as páginas da Newsweek, uma das principais revistas semanais americanas. Uma inglesa publicou em suas redes sociais as imagens de uma cachorra que decidiu adotar um cordeiro rejeitado pela mãe natural. 

Seguir Cães Online no Facebook

As imagens, que viralizaram na internet, parecem ter sido gravadas em uma das muitas fazendas de ovinos da Grã-Bretanha, um dos principais produtores de carne, leite e lã de ovelhas do mundo – são 250 mil toneladas anuais de carne no país. Os vídeos foram postados em Nottinghamshire, no centro-leste da Inglaterra. 

Cachorra adota cordeiro rejeitado pela mãe

Lily e o cordeiro 

Lily é uma cadela da raça golden retriever que atualmente amamenta dois filhotes: os cães Boris e Darcy. Ela decidiu acolher um cordeiro, depois que a mãe natural o rejeitou, passando a alimentar apenas as duas crias maiores. 

Na natureza, é relativamente frequente que as fêmeas rejeitem alguns filhotes logo após o nascimento. Quando elas percebem que as crias são frágeis ou malformadas, as mães tendem a dar prioridade aos filhotes viáveis. É uma estratégia para permitir a sobrevivência da maioria. 

As imagens foram postadas no Tik Tok, no Facebook e no Instagram, por uma blogueira conhecida apenas como @darcy_boris_lilly. Os textos revelam que a ovelha deu à luz três filhotes (em um mesmo parto, mas conseguiu cuidar de apenas dois. 

Benny – este é o nome escolhido para o cordeiro rejeitado – ficou sozinho, sem condições para sobreviver sozinho. Então, Lilly entrou em cena. Ela atraiu Benny para junto de seus dois filhos e começou a cuidar dele. 

Cachorra adota cordeiro rejeitado pela mãe

Lilly tem nove anos e, dea acordo com a tutora, sempre a protegeu, “durante a vida inteira”. Agora, chegou a vez de cuidar, mais uma vez, de um animal de outra espécie: um filhote de carneiro. A golden retriever amamenta, lambe e aquece a pequena ovelha. 

Em uma das postagens, a blogueira escreveu: “Lilly adora cuidar de Benny. Se ela perceber algum movimento estranho perto do filhote, ela o defende – até mesmo da mãe natural. 

Há imagens comoventes de Benny interagindo com a família adotiva. Nos vídeos, é possível observar Benny brincando com os irmãos e sendo cuidado e paparicado pela mãe adotiva. Agora, Benny pensa que também é um cachorro. 

A dona dos animais afirma que, mesmo trazendo os irmãos cordeiros para junto de Benny, ele prefere a companhia de Boris e Darcy. O cordeiro parece não guardar mágoa da mãe que o rejeitou e convive bem com ela, mas entende que Lilly “é a sua mãe de verdade”. 

A blogueira postou ainda: “Quando Benny for um pouco mais velho, ele vai se juntar a nós em passeios de cachorros. Nossos vizinhos vão imaginar que nós somos totalmente malucos, mas eu não me importo. Benny segue os irmãos cachorros, a mim e a Aron [o marido] onde quer que a gente vá. Ele adora a nossa companhia”. 

A adoção é normal? 

Os cachorros são animais gregários e a adoção é uma estratégia de sobrevivência. Nas alcateias, algumas lobas não têm “autorização” da fêmea alfa para cruzar, mas mesmo assim, elas partilham os cuidados com os filhotes das colegas de bando. 

Cachorra adota cordeiro rejeitado pela mãe

Há alguns milênios, os cachorros passaram a conviver muito proximamente com os humanos. Eles trouxeram o hábito da adoção com eles. Em abrigos de cães abandonados, muitas cadelas passam a produzir leite quando percebem a presença de filhotes ainda na fase de lactação – sem o alimento natural, eles não sobreviveriam. 

As cadelas, no entanto, possuem o dom de não ver limites entre espécies. Em casas com cadelas e gatas, é comum que as cachorras decidam dividir as responsabilidades de uma ninhada de bichanos. eventualmente, esta pode ser a única chance para os filhotinhos, mas tutores também registram brigas quando cadelas “roubam” crias de gatas. 

No ambiente rural, as cadelas replicam este comportamento. Existem milhares de relatos de cachorras que se tornaram amas de leite de leitões, cordeiros, cabritos e até potros. Os filhotes tendem a reconhecer as cachorras como mães e acabam incorporando, ao comportamento, alguns hábitos típicos dos cães: são os “gatorros”, “porcorros”, etc. 

Caso isto aconteça em casa – e é comum uma cachorra resgatar uma ninhada de gatos nascida no quintal ou no telhado – é importante levar a nova família ao veterinário. Talvez seja necessário suplementar a dieta das crias e reforçar a ração diária das mães improvisadas. 

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News