A cachorra estava entre os resgatados de um canil. Ela passou por uma transformação e tanto.

A Polícia Civil apreendeu, em 08/10/20, mais de 90 animais em um canil clandestino. O fato ocorreu em Boituva, interior de São Paulo. Entre os animais resgatados, estava Brie, uma bichon frisé que foi encaminhada para a ONG Focinho Abandonado, sediada em Campinas, onde recebeu os primeiros cuidados.

Os animais apreendidos estavam em péssimas condições de saúde e higiene. Entidades de defesa dos animais de cidades vizinhas a Boituva foram convocadas a receber e tratar os cães e gatos. Brie foi uma delas e, depois do pesadelo, passou por uma transformação que se prolongou por três semanas.

Brie quase não conseguia enxergar, porque estava sem tosa provavelmente há meses e os pelos encobriam os olhos – ela estava parecida com um cão da raça puli. Os cuidadores da ONG encontraram a cadela com fezes grudadas nos pelos. O canil clandestino mantinha Brie e os outros pets em gaiolas pequenas e desconfortáveis.

Cachorra passa por transformação depois de resgatada de um canil clandestino
Foto: Ong Focinho Abandonado

A operação

A Polícia Civil de São Paulo recebeu denúncias de maus tratos a animais e organizou uma blitz para liberar os pets. O canil clandestino estava instalado em uma chácara na Vila Tropicália Park, Bairro dos Pinhais, na zona rural de Boituva.

Cachorra passa por transformação depois de resgatada de um canil clandestino
Foto: Ong Focinho Abandonado

No local, os policiais encontraram oito gatos e 89 cachorros – Brie estava entre eles. Os animais estavam sujos, feridos e confinados em pequenas jaulas – condições que configuraram o crime de maus tratos.

A responsável pelo canil alegou que todos os cães e gatos haviam sido retirados das ruas e aguardavam adoção. As alegações da tratadora, no entanto, não convenceram a Polícia, uma vez que a maioria dos animais encontrados é de raça e valem um bom preço no mercado.

A proprietária, uma mulher de 67 anos, foi presa em flagrante delito. De acordo com a nova legislação sobre maus tratos a animais (lei nº 1.095/2019, sancionada em setembro de 2020), não cabe fiança nestes casos. Os autores do delito, caso sejam condenados, podem ficar até cinco anos na cadeia.

Todos os animais foram transferidos para ONGs de resgate e adoção de animais de estimação; Brie permaneceu na própria cidade, aos cuidados da Focinho Abandonado, responsável pela transformação. A cadela agora espera ser adotada por uma nova família.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui