Cachorrinho em cadeiras de rodas encontra seu companheiro perfeito

Por: em

Após ser rejeitado por três vezes, cachorro deficiente encontra tutor cadeirante. Eles formam uma dupla especial! 

Bandit – ele tem o mesmo nome do personagem do desenho animado Jonny Quest, mas é um pouco menos ágil – passou por poucas e boas até encontrar o seu atual tutor Darell Rider. os dois são portadores de deficiências físicas e precisam de cadeiras de rodas para se locomover. 

Seguir Cães Online no Facebook

Antes de viver com Darell, com quem atualmente forma uma família ideal, o cachorrinho foi rejeitado por três famílias, por causa das dificuldades. Bandit passou a maior parte da vida em abrigos para cães abandonados. 

Darell e Bandit 

Bandit viveu durante cinco anos e meio junto aos cães do Programa Gwinnett Jaildog (cães de cadeia de Gwinnett). Por não contar com os movimentos das pernas traseiras, ele nunca recebeu muitas visitas e as propostas de adoção sempre foram raras. 

Cachorrinho em cadeiras de rodas encontra seu companheiro perfeito

Por três vezes, o cachorro achou que finalmente havia encontrado uma família, mas, semanas depois de ter sido levado, ele foi devolvido, porque “dá muito trabalho”. Os pretendentes avaliaram que o esforço para alimentar, limpar e cuidar de Bandit era excessivo e não valia a pena. 

Então, apareceu Darell Rider. Assim como o cachorro, o candidato a tutor também não pode andar com seus próprios meios e precisa de uma cadeira de rodas para se locomover. Nada que pudesse impedir Darell de se apaixonar por Bandit. 

O tutor acreditou que um cachorro não poderia dar tanto trabalho, a ponto de ser devolvido para o abrigo. Darell sabia que podia dar conta dos cuidados que Bandit exige. Deu certo. Hoje em dia, o tutor costuma dizer: 

“Quando você olha para o Bandit, você pode ver que, se ele fosse humano, ele seria eu.” 

Darell não tem movimentos da cintura para baixo desde que nasceu. Ele costuma dizer que assim é melhor, porque ele não pode sentir falta de alguma coisa que “realmente, nunca sentiu”. A conexão com Bandit, que atualmente tem entre 10 e 12 anos, foi imediata. 

O tutor soube da história de Bandit pela internet. Ele logo imaginou que os dois formariam uma dupla perfeita, independente das limitações. Ele avalia a situação do cachorro: 

“Passando pelo que passei crescendo, a vida não era nada fácil. Mas você tem de aprender e continuar seguindo em frente. As coisas que li sobre Bandit, os vídeos que vi, de alguma forma eu percebi que ele tem a mesma mentalidade que eu.” 

Cachorrinho em cadeiras de rodas encontra seu companheiro perfeito

Um programa de adoção diferente 

Depois que foi rejeitado pela segunda vez, Bandit passou a integrar o Programa Gwinnett Jaildog, da Geórgia (EUA), que recolhe animais nas ruas e em abrigos e treina os cães e gatos para serem adotados. 

Enquanto são adestrados e aguardam uma nova chance, os animais recolhidos são mantidos na Penitenciária da Geórgia. Os responsáveis pelos treinamentos e por todos os outros aspectos – alimentação, recreação, lazer, repouso, etc. – são os homens que cumprem pena na presidiária. 

O programa atualmente é responsável pela guarda de 20 animais, entre cães e gatos, e recebe propostas de adoção de todos os Estados americanos. Paralelamente, o Gwinnett Jaildog é visto como uma excelente proposta de ressocialização dos detentos. 

A penitenciária fica no Condado de Gwinnett, na Geórgia. Em janeiro de 2020, quando Darell e sua mulher, Sue, foram buscar Bandit, o local estava lotado, cercado pela imprensa e por curiosos. Antes da decisão, o casal discutiu todos os aspectos, para definir se estavam prontos para cuidar de um cachorro tão especial. 

A família 

Hoje em dia, as possíveis dificuldades foram superadas. Os obstáculos existem, mas Darell e Bandit, com o apoio de Sue, conseguem ultrapassá-los – ou dar a volta em torno deles. De acordo com Sue, “tudo isso foi algo que motivou Darrell e mostrou a Bandit que ele não está sozinho no mundo”. 

Darrell, Sue e Bandit vivem com os três filhos do casal – irmãos do cachorro. A família tem muitas mãos para dar conta dos pequenos problemas cotidianos, mas eles não acreditam que sejam problemas. Para Darrell, “é impossível não se apaixonar por Bandit”. 

Responsabilizar-se por alguém com necessidades especiais é realmente uma tarefa que exige muita reflexão e dedicação. Por outro lado, é um exercício pleno de solidariedade e afeto. A tarefa deve ter sido facilitada porque, assim como Bandit, Darrell também tem limitações. De qualquer maneira, porém, a história desta dupla é um exemplo que deve ser não apenas admirado, mas seguido por todos – pelo menos, por todos os que se importam.

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News