Cachorrinho que nasceu paralisado caminha pela primeira vez graças à uma cadeira de rodas personalizada

Por: em

Benjamin Bunny nasceu paralisado, mas uma cadeira de rodas personalizada mudou a sua vida. 

Em fevereiro de 2021, nasceu uma bela ninhada de cães. Entre os filhotes, estava Benjamin Bunny, um simpático cãozinho incapaz de movimentar as pernas traseiras. Ele viveu os três primeiros meses da vida deslocando-se apenas no colo, até que uma cadeira de rodas especial mudou radicalmente a sua vida. 

Seguir Cães Online no Facebook

A cadeira de rodas foi desenvolvida pela Walkin’ Pets, fabricante de equipamentos especiais para animais idosos, acidentados ou que nasceram com deficiências congênitas. A sede da empresa fica em Amherst (New Hampshire, nordeste dos EUA). 

cadeira-de-rodas-muda-a-vida-de-cao-que-nasceu-paralisado
INSTAGRAM/ THETUCKERFARM

Benjamin 

O nome do cachorrinho é inspirado em uma série inglesa de livros infantis, escrita e ilustrada por Beatrix Potter, publicada no início do século 20. Benjamin Bunny foi entregue, com apenas duas semanas de vida, ao Bosley’s Place, um abrigo para filhotes órfãos ou rejeitados, instalado em Smyrna (Geórgia, sul dos EUA). 

O Bosley’s Place assumiu a responsabilidade por Benjamin. Nos primeiros dias, o cachorrinho foi alimentado com fraldas e fórmulas especiais: o filhote precisava de mamadeiras e de higienização constante – do contrário, ele não sobreviveria. 

Cachorrinho que nasceu paralisado caminha pela primeira vez graças à uma cadeira de rodas personalizada
INSTAGRAM/ THETUCKERFARM

Ao completar seis semanas, Benjamin foi avaliado apto e, desta forma, colocado para adoção. Ele já tinha resistência suficiente para encarar o mundo com as suas próprias forças. O cachorrinho foi levado para The Tucker Farm (Tucker, Geórgia) e ficou aos cuidados de Beth Williams, cofundadora, com seu marido, deste santuário para animais abandonados. 

Beth deu início à fisioterapia ortopédica, para ensinar Benjamin a se movimentar na fazenda. O cachorrinho se esforçou bastante, mas, com algumas semanas de trabalho duro, a mãe adotiva percebeu que os resultados eram insuficientes. 

Por isso, Beth e o marido Joe entraram em contato com a Walkin’ Pets. A empresa avaliou as condições de Benjamin e começou a desenvolver um protótipo de cadeira de rodas. O modelo especial foi dimensionado tendo em vista que o filhote iria crescer e, desta forma, a cadeira deveria se adaptar ao aumento do tamanho de Benjamin. 

cadeira-de-rodas-muda-a-vida-de-cao-que-nasceu-paralisado
INSTAGRAM/ THETUCKERFARM

Finalmente, quando o filhote completou 12 semanas, ele recebeu a cadeira de rodas especial e, depois de algum treino e muita dedicação de Beth e Joe, ele conseguiu se adaptar ao equipamento. Para o cachorro, as horas em que fica atrelado à cadeira de rodas são as melhores do dia. 

Por enquanto, o pessoal da Tucker Farm está revezando o tempo em que Benjamin fica na cadeira de rodas com exercícios para fortalecer a musculatura – o dorso e as pernas dianteiras do cãozinho são plenamente funcionais, mas ele ainda precisa aprender a distribuir a força e não se desgastar sem necessidade. 

Mas, se dependesse apenas de Benjamin, ele passaria o dia inteiro na cadeira de rodas. Ele aprendeu a descer a rampa que leva ao quintal e interage naturalmente com os outros animais da Tucker Farm – o local está repleto de cães, gatos, galos e cabras. 

cadeira-de-rodas-muda-a-vida-de-cao-que-nasceu-paralisado
INSTAGRAM/ THETUCKERFARM

Benjamin tem uma vantagem em relação aos humanos portadores de deficiências físicas: ele não sabe que é diferente de outros cães e não percebe os preconceitos que ainda rondam a vida de quem precisa de equipamentos para se locomover. 

Desta forma, ele consegue se deslocar da forma que a cadeira de rodas permite – que, para ele, é a única possível. Ele brinca, tenta imitar os pulos das cabras e até subir na cerca, para fazer companhia aos galos. 

Seja como for, a cadeira de rodas não é a resposta para todos os problemas de Benjamin. Os veterinários identificaram uma má-formação espinal logo atrás dos ombros, que determina a paralisia das pernas traseiras. 

Cachorrinho que nasceu paralisado caminha pela primeira vez graças à uma cadeira de rodas personalizada
INSTAGRAM/ THETUCKERFARM

Benjamin apresenta alguns movimentos da cauda e das pernas traseiras, mas os especialistas afirmam que se trata apenas de um reflexo dos impulsos gerados pelo cérebro e transmitidos pela medula espinal. Ele não tem ideia de que esses reflexos limitados acontecem, mas eles acabam ajudando na movimentação da cadeira de rodas.

O cachorrinho nunca poderá andar com as próprias pernas, em função da má-formação congênita. Mesmo assim, a cadeira de rodas facilita a locomoção e impede as dores nas costas. O Bosley’s Place e a Tucker Farm trabalharam juntos para recuperar Benjamin, que conta inclusive com o apoio financeiro de uma vaquinha organizada pela GoFundMe especialmente para ele. 

Agora, Benjamin espera uma família definitiva, que aceite um cachorro com algumas limitações físicas, mas com muita energia e amor.

Por que algumas cachorras abandonam os filhotes? 

Existem vários motivos. Uma cachorra imatura pode simplesmente não fazer o que fazer com a ninhada. E, se ela se sentir em perigo – um animal de rua, por exemplo – certamente priorizará a própria vida, podendo chegar a devorar os filhotes. 

O motivo mais frequente, no entanto, é quando a mãe percebe que um dos filhotes (ou mais) apresenta menos chances de sobreviver. Na natureza, quando as crias nascem fragilizadas, doentes ou apenas muito menores do que os irmãos, elas podem ser rejeitadas. 

Na natureza, as mães – e alguns pais que assumem a corresponsabilidade da criação dos filhotes, como os pombos e os urubus, por exemplo – dão prioridade aos filhotes mais resistentes. Efetivamente, um animal fraco, doente ou paralisado coloca em risco toda a manada. Pode parecer cruel, mas é melhor abandoná-lo do que inviabilizar as chances de toda a ninhada. 

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News