Cachorro acha que gatinha adotada foi um presente para ele

Por: em

Os tutores levaram uma gata para casa e o cachorro tem certeza de que ela é um presente para ele. 

Cachorros e gatos são tidos como “inimigos para sempre”, mas um vídeo postado na página do We Rate Dogs, do Instagram, desmente este mito. As cenas mostram Guinness, um cachorro já idoso, brincando com uma gatinha recém-adotada pela família. Na legenda das imagens, os tutores explicam: “Este é o Guinness. Ele acha que sua família adotou um gatinho só para ele. Ninguém diga a ele o contrário”. 

Seguir Cães Online no Facebook

Cães idosos tendem a ser ainda mais reservados e cheios de manias, características que a idade avançada permite (da mesma forma que acontece entre os humanos). Mas Guinness está muito satisfeito com a sua nova companheira e não se desgruda dela por nada no mundo. 

O vídeo 

A página do Instagram We Rate Dogs (Nós avaliamos cães) já é conhecida e acessada por milhares de internautas fãs de pets. O vídeo estrelado por Guinness e a sua nova companheira se tornou viral rapidamente: em apenas um final de semana, no início de outubro de 2021, o post já foi curtido e comentado por nada menos que 78 mil pessoas – e o número de apaixonados pela dupla não para de crescer. 

cachorro-acha-que-gatinha-adotada-foi-um-presente

As respostas ao post mostram que os internautas ficaram apaixonados pela dupla. Chama a atenção o fato de Guinness ser muito gentil, como se soubesse que movimentos mais bruscos poderiam machucar a gatinha, fato que pesou bastante nas avaliações. 

Um instagrammer respondeu à legenda: “Como poderíamos dizer o contrário [que a gatinha não é um presente para ele] se isto claramente é a verdade?”. Outro internauta fez referência à idade de Guinness: “O seu rosto prateado é lindo e a sua gatinha é adorável”

Muitos internautas publicaram as próprias experiências. Um deles contou que tem seis gatos e uma cachorra – e a cachorra é a mamãe feliz de todos os bichanos. Outro post consta, saudoso, que já teve uma dupla em casa – nos melhores anos da sua vida. 

Como cães e gatos? 

Uma postagem bem interessante: “Na verdade, o Guinness pensa que é um gato”. Provavelmente, acontecerá justamente o oposto. Quando cães e gatos são criados juntos, os mais novos tendem a imitar o comportamento dos veteranos. É assim que surgem os cachatos e os gatorros. 

No caso de Guinness, a gatinha chegou por último à casa – e foi muito bem recebida. É provável que, ao atingir a idade adulta, ela passe a exibir comportamentos caninos, aprendidos com o fiel defensor que encontrou no novo lar. Ela pode, por exemplo, correr para a porta quando chegarem visitas, fazer festas e torna-se um chicletinho. 

cachorro-acha-que-gatinha-adotada-foi-um-presente

Um cachorro adotado por um gato, ao contrário, pode se revelar mais independente, pouco afeito a partilhar tudo com os tutores. Tudo isso depende, é claro, do temperamento de cada animal e também da forma como eles são criados pelos tutores. 

Isso acontece porque cães e gatos não têm apenas instintos – os comportamentos básicos comuns a cada uma das espécies. Eles também são seres inteligentes, capazes de imitar outras condutas. Os cães apresentam capacidade de aprendizado semelhante à de uma criança de quatro ou cinco anos e os gatos, um pouco menos. 

Os comportamentos, no entanto, não são aprendidos instantaneamente. É preciso que os recém-chegados observem a repetição dos gestos e entendam as vantagens que podem obter (um agrado, um petisco, uma palavra carinhosa), para então passarem a reproduzi-los. 

Normalmente, os filhotes aprendem muito rápido, para os adultos e idosos também são capazes, além disso, todos eles incorporam alguma coisa “pessoal”: um gato pode rosnar para pessoas estranhas, mas ele incorporará à reação alguns pelos eriçados e garras à mostra. 

O aprendizado independe da raça e da idade: todos os gatos e cachorros são capazes de aprender, desde que entendam que aquilo é vantajoso (os cachorros também aprendem para agradar os humanos). Os animais sem raça definida também aprendem rapidamente – inclusive os abandonados nas ruas: é comum, por exemplo, vê-los atravessando a rua na faixa de pedestres. 

Pelo que as imagens postadas no We Rate Dogs indicam, Guinness encontrou o seu BFF (“best friend forever”, ou “melhor amigo para sempre, na sigla em inglês). A amizade deve durar ainda por alguns anos, garantindo a diversão dos amigos e de toda a família. 

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News