Cachorro adotado se emociona ao deixar o abrigo depois de tanto tempo

O grande dia chegou: o cachorro adotado mostrou toda a emoção ao finalmente deixar o abrigo.

As imagens falam por si. Benny é um cachorro pitbull de oito meses, que se emocionou demais e demonstrou toda a gratidão nos momentos finais no abrigo. O peludo foi adotado e despediu-se de forma a deixar saudade.

Muitos cães vivem em abrigos nos EUA e Benny teve a sorte de encontrar um lar adotivo. O cachorro tinha prós e contras: ele era ainda um filhote quando foi adotado – um ponto positivo. Por outro lado, a raça, considerada agressiva, costuma espantar os pretendentes.

cachorro-adotado-se-emociona-ao-deixar-o-abrigo

A história de Benny

O cachorro foi encontrado nas ruas de Gardena, cidade no sul da Califórnia (costa oeste dos EUA), no Condado de Los Angeles. Resgatistas levaram Benny para o Carson Animal Care Center, o abrigo local.

O pitbull conquistou toda a equipe do Carson Shelter. Dócil e brincalhão, ele fez amizade com todos no abrigo, mas os pretendentes passavam à distância do “cachorro agressivo”. Benny amargou alguns meses preso no canil. O caso já havia sido classificado como “sem perspectivas”.

cachorro-adotado-se-emociona-ao-deixar-o-abrigo

Finalmente, uma família visitou o abrigo e apaixonou-se por Benny assim que o avistou. O cachorro é um pouco medroso quando está na presença de estranhos, mas em pouco tempo demonstrou muita camaradagem e alegria, além de alguns truques que havia aprendido.

Benny ainda teve de esperar alguns dias, até que a documentação fosse providenciada. Finalmente, a adoção foi aprovada e o pitbull estava pronto para iniciar uma nova etapa na vida. Apesar de ser muito jovem, ele já tinha conhecido os perigos das ruas e a solidão de uma jaula no abrigo.

O cachorro estava muito feliz com a nova visita dos pretendentes, mas ainda não tinha percebido que estava chegando o momento de ir para a casa nova. Na hora de se despedir, quando entendeu que finalmente tinha uma família, Benny não conseguiu conter a emoção – e, com os gestos de alegria e gratidão, emocionou a todos no Carson Shelter.

cachorro-adotado-se-emociona-ao-deixar-o-abrigo

O pitbull não parava de abanar o rabo, ainda um pouco confuso com as novidades. O grande dia tinha chegado: ele não precisaria mais dormir sozinho no canil e teria companheiros para brincar, passear e se divertir.

O vídeo mostra as emoções que tomaram conta do cachorro. No início, ele se mostra desconfiado, não sabe como reagir quando colocam uma coleira no pescoço dele. Mas, quando percebe que ele está deixando o abrigo junto com a família, a alegria se revela na fisionomia e ele não consegue parar de expressar a emoção.

A desconfiança é natural. Benny aprendeu a associar a coleira a momentos não muito bons. Na primeira vez, ele foi retirado da rua – um lugar ruim, mas ao qual já estava acostumado – e levado para um local estranho, diferente, cheio de regras.

Nas ocasiões seguintes, a coleira representava idas ao consultório médico, onde Benny era apalpado, espetado, obrigado a engolir bebidas amargas. Era tudo em benefício da saúde, mas os cachorros não conseguem entender isso.

cachorro-adotado-se-emociona-ao-deixar-o-abrigo

A alegria do cachorro vai aumentando à medida que ele caminha com os tutores – agora oficiais – em direção ao portão do abrigo. Um mundo novo estava surgindo para Benny e ele não conseguia se conter, estava explodindo de felicidade.

Cachorros precisam de muito pouco para serem felizes. Uma família responsável e amorosa, um cantinho aquecido e seguro, comida e alguns petiscos de vez em quando, brincadeiras e passeios. Com isso, eles revelam lealdade, amizade, constância e desprendimento.

Qualquer pessoa pode fazer um cachorro feliz. Quando não é possível levar um desses peludos para casa, sempre é possível tomar algumas atitudes. Por exemplo:

  • visitar um abrigo e brincar com os animais;
  • doar ração, medicamentos e agasalhos;
  • oferecer alimento e água fresca para animais de rua;
  • divulgar ações de ONGs que apoiam a causa dos animais.

Mesmo assim, sempre que possível, mesmo que seja necessário fazer alguns esforços extraordinários, recomenda-se a adoção. Ter um cachorro em casa é ter um amigo para sempre (ou por alguns anos), sempre disposto a partilhar os bons e os maus momentos.

Viver com um cachorro dá trabalho. É preciso ensinar, passear todos os dias, limpar os ambientes em que ele transita, arrumar a bagunça que ele faz.

Mas, em contrapartida, ele oferece amizade, companheirismo, camaradagem e cumplicidade. Os cães são amigos para todas as horas, sendo inclusive excelentes auxiliares contra a solidão, a ansiedade e a depressão. Adotar é um gesto nobre.

Postagens Relacionadas