InícioNotíciasCachorro ajuda família a descobrir que bebê era maltratado pela babá

Cachorro ajuda família a descobrir que bebê era maltratado pela babá

Uma babá americana foi condenada por abuso graças aos alertas de um cachorro leal. Entenda!

A lealdade canina ainda precisa ser explicada além dos instintos e da genética. Este cachorro da Carolina do Sul (sudeste dos EUA) é um bom exemplo. Graças a ele, os pais de um bebê de apenas sete meses souberam que a criança estava sofrendo abusos.

Esperanza e Benjamin Jordan, que moram em Charleston, suspeitaram que havia alguma coisa errada quando o cachorro da família passou a rosnar para a babá, Alexis Khan, uma jovem de apenas 22 anos. O peludo, normalmente calmo, fica furioso na presença da cuidadora.

cachorro-alerta-pais-sobre-abusos-da-baba

Killian e Finn

A história de Finn Jordan, o bebê de sete meses que sofreu com os abusos da babá, foi reportada pela ABC News, a divisão de jornalismo da American Broadcasting Company, uma das maiores redes de TV e internet dos EUA.

Na entrevista, Benjamin disse: “Percebemos que o nosso cachorro ficava muito na defensiva quando Alexis estava por perto. Ele rosnava e tentava ficar entre a babá e o nosso filho. Os pelos da nuca ficavam eriçados: nós sabíamos que alguma coisa errada estava acontecendo”.

Alexis Khan trabalhou para a família Jordan durante cinco meses. Ela foi contratada poucas semanas depois do parto, quando Esperanza estava voltando para o trabalho e a família precisava de alguém responsável para cuidar do novo membro da família.

cachorro-alerta-pais-sobre-abusos-da-baba

O casal nunca suspeitou de nada, mesmo porque as referências que a babá apresentou eram as melhores possíveis e os pais de Finn fizeram questão de conversar com todos os casais que haviam contratado a babá anteriormente.

Mas, se o casal Jordan não suspeitou de nada, o mesmo não aconteceu com Killian. O cachorro é um mestiço de retriever do Labrador preto e pastor alemão e quase sempre apresenta comportamento dócil e amigável. Com Alexis, no entanto, ele ficava agressivo e alerta.

Killian exibia evidentes sinais de que não pretendia tolerar a presença da babá em casa, especialmente na ausência dos pais. O cachorro mestiço demonstrava forte irritação na presença de Alexis, especialmente quando percebia que o casal Jordan estava se preparando para sair de casa.

O registro do abuso

Benjamin deixou um smartphone entre as almofadas do sofá da sala, programado para gravar o som ambiente. O casal imaginava que provavelmente obteria áudios da babá maltratando o cachorro – talvez a babá apenas impedisse que Killian se aproximasse demais de Finn, visando proteger o bebê.

O registro da gravação, no entanto, deixou Esperanza e Benjamin chocados. O áudio, apresentado posteriormente à polícia, mostra várias vezes Alexis mandando o bebê “calar a boca” e ofendendo-o com uma série de palavrões. Também é possível ouvir o choro de Finn e ruídos que lembram sacudidelas e até mesmo tapas na criança.

A primeira providência do casal, depois de ouvir a gravação, foi levar o bebê ao hospital, para certificar-se de que ele estava fisicamente bem. Os médicos que examinaram Finn não identificaram nenhum trauma, mas, de qualquer forma, notificaram a polícia.

A babá foi demitida assim que a família Jordan voltou para casa, mas Esperanza e Benjamin temiam que a gravação e as informações médicas não fossem suficientes para comprovar judicialmente o abuso sofrido por Finn, mas um detetive da polícia interrogou a babá e obteve uma confissão formal do crime.

Um ano depois da gravação, Alexis Khan se apresentou oficialmente ao Tribunal de Charleston. Ela admitiu a culpa por agressão de espancamento do bebê. A babá foi condenada à prisão (que pode chegar a três anos) e seu nome foi incluído em um registro online de abusadores, que a impede de voltar a trabalhar com crianças ou idosos.

Alexis exibia no currículo o trabalho com diversas crianças, todas com menos de um ano de idade. É muito provável que os abusos tenham se repetido com outras crianças – e continuariam acontecendo, se não fosse pelo temperamento leal e guardião de Killian.

O verdadeiro herói desta história foi admitido em um treinamento, para se tornar um cão terapeuta. Killian está sendo adestrado para identificar maus tratos físicos e mentais contra crianças e jovens, para auxiliar na recuperação de transtornos pós-traumáticos.

Mas enquanto não está em treinamento, Killian continua fazendo o que mais gosta de fazer: acompanhar o desenvolvimento físico e emocional do pequeno amigo, com quem estabeleceu fortes vínculos. Finn recuperou-se das agressões e abusos e está pronto para seguir em frente, com o apoio do seu fiel escudeiro.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações