Cachorro é reencontrado sete anos depois, a milhares de quilômetros

Por: em

Ele foi encontrado a mais de 15 mil quilômetros de casa. O cachorro estava perdido há sete anos. 

Depois de ter sido perdido, ele chegou a viver cinco anos na companhia de outra família. Esta é a história de Sergeant Pepper, um cachorro perdido em 2014, finalmente reencontrado sete anos depois, mas a 16 mil quilômetros distante de casa. 

Seguir Cães Online no Facebook

“Sergeant Pepper” (“sargento pimenta”, em português), é uma referência a um dos álbuns mais famosos da banda The Beatles: “Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band”. A família original do cachorrinho deve ser fã dos rapazes de Liverpool. 

Uma aventura e tanto 

Sergeant Pepper tinha seis anos quando se perdeu da família perto da sua casa, na Flórida, em 2014. O cãozinho é um mestiço com fortes traços da raça yorkshire terrier. A famílias fez postagens sobre o possível roubo e, graças às redes sociais, a notícia se espalhou por todo o país. 

cachorro-e-reencontrado-sete-anos-depois-a-quilometros

O desaparecimento do cãozinho foi registrado na delegacia de polícia local. O animal havia sido microchipado quando era filhote, mas a empresa de rastreamento não foi capaz de localizá-lo. As buscas na vizinhança também foram infrutíferas e o boletim acabou sendo arquivado, ainda inconclusivo. 

Pouco depois, o tutor de Sergeant Pepper viu um material no Craiglist, rede online que permite a postagem gratuitos de anúncios classificados sobre qualquer assunto. No Craiglist, no entanto, outra pessoa viu o anúncio com imagens do cachorro e reivindicou a posse de Sergeant Pepper, dizendo ser o cachorro da família. 

Sete anos se passaram sem que a família notícias, ou com notícias desencontradas e mentirosas, até que, em julho de 2021, novas imagens de Sergeant Pepper foram postadas. Desta vez, nas páginas sociais do Controle de Animais do Condado de Eaton. 

Eaton fica no Estado de Michigan, na fronteira com o Canadá. As imagens davam conta de que Sergeant Pepper teria sido visto próximo a Charlotte, a capital do condado, 950 milhas (ou 1.530 quilômetros) da Flórida, onde a família original de Sergeant Pepper continua vivendo. 

cachorro-e-reencontrado-sete-anos-depois-a-quilometros

A distância não foi problema. O antigo tutor pegou um avião e voou da Flórida para Michigan, para reencontrar o cachorro. Sergeant Pepper já estava vivendo com outra família, diferente da que o havia levado sete anos atrás – os humanos originais garantem que ele foi roubado. A nova família o havia adotado no abrigo do Condado de Eaton. 

Mas, se o microchip não foi útil para localizar o cachorro perdido, foi fundamental para a identificação positiva de Sergeant Pepper – as informações digitalizadas continuaram sendo atualizadas pela família – a última vez foi em fevereiro de 2020 – e permitiram que o departamento do condado descobrisse os donos originais. O cachorro, atualmente um “senhor cachorro”, de 13 anos de idade, finalmente voltou para casa. 

Microchips 

Os equipamentos minúsculos são bastante úteis quando se trata de confirmar a identidade de um animal doméstico ou de estimação. No Brasil, os microchips vêm sendo implantados há alguns anos. Feiras de adoção costumam adotar o procedimento antes de entregar os peludos para as novas famílias. 

Em algumas cidades brasileiras, como São Paulo, a microchipagem de cães e gatos é obrigatória, assim como o registro de identidade animal. Diversas entidades oferecem o serviço gratuitamente, que também é fornecido por consultórios e clínicas veterinários. 

A história de Sergeant Pepper demonstra que pode ser uma boa ideia identificar os peludos com microchips. Caso eles se percam ou sejam roubados, fica muito mais fácil encontrá-los e comprovar a procedência, evitando muita dor de cabeça. 

O microchip é um aparelho minúsculo, implantado de forma quase indolor sob a pele do animal, com informações sobre o pet: nome, idade, endereço, formas de contato, etc., que podem ser acessados com o uso de um leitor específico, disponível em clínicas e em algumas delegacias de polícia. 

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News