Cachorro enfrenta cobra venenosa para salvar sua família

O fiel companheiro sacrificou a vida ao enfrentar cobra venenosa para defender a família.

Não resta nenhuma dúvida: o cachorro é o melhor e mais fiel amigo do homem. Este é mais um fato, infelizmente bastante triste, para comprovar o que todos os tutores já sabem.

Esta é a história de Laden, um cachorro SRD que vivia no leste da Índia. Ele só queria proteger a família, mesmo que isto significasse sacrificar a própria vida. E foi exatamente isto que ele fez há poucos dias, em 05/11/19.

A história

Laden era um cachorro como todos os demais que nós conhecemos. Ele vivia com a família em um subúrbio de Bhubaneswar, capital do Estado de Odisha, no litoral indiano do oceano Índico.

Certo dia, que começou exatamente igual aos demais, Laden estava em casa com “o pai e os dois irmãos“, quando uma cobra venenosa invadiu o imóvel. As duas crianças estavam brincando na frente da casa, perto da porta de entrada.

Os adultos da família também estavam no quintal. Em certo momento, uma serpente de cerca de 1,50 metro tentou esgueirar-se para dentro da casa.

As crianças começaram a chorar, enquanto os adultos gritavam, sem saber o que fazer. Vale lembrar que, em caso de aproximação de uma serpente, os gritos de nada adiantam, uma vez que os ofídios são praticamente surdos, apesar de conseguirem captar as vibrações do solo (como os passos de uma possível presa que está se aproximando).

Enquanto a família buscava abrigo para se proteger, Laden não pensou duas vezes e investiu contra a cobra venenosa. A serpente morreu em poucos instantes, mas não sem antes picar várias vezes o cachorro herói.

O “salvador” não resistiu. Em poucos momentos, Laden morreu, vítima do veneno da serpente, provavelmente uma naja. Confira o salvamento no vídeo. (Aviso: Cenas fortes)

Sobre as cobras najas

Naja ou cobra-real é o nome comum de cerca de 20 espécies que colonizam o continente africano e toda a região centro-sul da Ásia, do Iraque à Indochina. Algumas espécies desenvolveram a capacidade de elevar boa parte do corpo, enquanto outras cospem o veneno a distâncias consideráveis. Isto aumenta o raio de ataque e captura das presas. Apenas quatro gotas do veneno de algumas espécies são suficientes para matar um cavalo.

Todas as espécies de najas já catalogadas são potencialmente fatais para os seres humanos. O veneno ataca o sistema nervoso central, provocando cegueira e paralisia em poucos minutos. O inchaço e a necrose do tecido em volta da picada também reduzem as chances de salvamento.

Mesmo assim, as najas não são as “vilãs da história“: elas são responsáveis pelo controle da população de roedores. Na África, por exemplo, a naja egípcia reduziu o desperdício de grãos provocado pelos ratos e ajudou a construir um dos maiores impérios da Antiguidade, baseado na produção de cereais. Sem estas cobras, os faraós não teriam sido tão prósperos e poderosos.

Outro ataque

Odisha é uma região famosa pela abundância de cobras venenosas. Uma delas merece destaque a naja. Em março deste ano, uma destas serpentes foi capturada em Ganjam, um povoado próximo a Bhubaneswar.

A naja de Ganjam media quase quatro metros de comprimento e ficou famosa pela resistência: o animal escondeu-se o quanto pôde e tomou mais de uma hora da equipe de resgate. A cobra foi solta na mata próxima, seu ambiente natural.

Em julho de 2019, outro cachorro destacou-se pelo heroísmo. Também em Odisha, o dálmata Tyson sacrificou-se para salvar a família. O indiano Ameem Shamir acordou de madrugada com os latidos insistentes de Tyson.

Ao sair para o quintal, Shamir presenciou os momentos finais da luta entre o seu cachorro e uma naja. Antes que pudesse intervir, o dálmata já havia arrancado a cabeça da cobra.

O fiel companheiro morreu meia hora depois. Ele não chegou a ser picado,  mas provavelmente engoliu as glândulas que secretam o veneno. Seja como for, Laden e Tyson morreram bravamente e certamente estão no céu dos cachorros, ainda velando pela integridade de suas famílias.

Coragem e lealdade estão entre as principais características de nossos companheiros de quatro patas. Estas histórias apenas confirmam o que nós já sabemos há milênios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *