Cachorro quase à morte oferece “lixo” aos resgatadores como agradecimento

Por: em

Conheça a história de Cuache, um cachorro que, sem ter o que oferecer, deu lixo aos resgatadores. 

Este é um cachorro que, mesmo tendo uma família humana, vivia pelas ruas de Tampico, uma cidade mexicana de mais de 300 mil habitantes, situada em pleno golfo do México. Alguns tutores irresponsáveis deixam seus pets soltos, e este é o caso de Cuache. Ele estava desnutrido, cheio de parasitas, quase à morte, quando foi recolhido. Sem nada para oferecer, ele “premiou” os resgatadores com o que tinha à mão (ou às patas): lixo. 

Cuache é um cão mestiço. Ele e sua mãe, uma rottweiler, sempre viveram sem uma tutela regular. Livre para ir e vir, a cadela entrou no cio, acasalou e deu à luz uma ninhada, tudo isso em plena rua. Nem a mãe nem os filhotes receberam vacinas, vermífugos, sempre expostos a acidentes e brigas. 

Cachorro-quase-a-morte-oferece-lixo-aos-resgatadores
Facebook: Refugio Dejando Huellitas, Tampico, México.

A história de Cuache 

Cuache viveu assim por cerca de nove anos. o pai é desconhecido: provavelmente, é um cão sem raça definida que vive abandonado em Tampico. A mãe tinha família, mas também tinha acesso livre à rua. Ela não foi castrada e, quando engravidou, foi simplesmente amarrada a um poste. 

Não se sabe quanto filhotes nasceram e vingaram. Cuache seguiu acompanhando a mãe, provavelmente exposto ao vaivém entre o abandono e acolhidas esporádicas: a família humana deste cachorro parece ter se especializado em irresponsabilidade. 

cachorro-quase-a-morte-oferece-lixo-aos-resgatadores-1
Facebook: Refugio Dejando Huellitas, Tampico, México.

A cadela acabou morrendo na rua, enquanto Cuache continuava tentando driblar a maré de azar, lutando contra a fome, a sede, os parasitas e os maus tratos. Apesar de voltar regularmente para casa, Cuache cresceu e passou a maior parte da vida adulta como um cão vira-lata. 

Foi assim até que voluntários do Abrigo Dejando Huellitas (deixando pegadas, em tradução livre) o encontraram pelas ruas, em 2018. Cuache parecia ser bem mais velho do que os nove anos estimados posteriormente pelos veterinários. 

Finalmente recolhido – e talvez estranhando o excesso de gentilezas, a que não estava acostumado – Cuache foi diagnosticado com verminose, insuficiência renal e dirofilariose, popularmente conhecida como verme do coração, que também pode afetar gatos e humanos. 

cachorro-quase-a-morte-oferece-lixo-aos-resgatadores-2
Facebook: Refugio Dejando Huellitas, Tampico, México.

No Refúgio Dejando Huellitas, Cuache recebeu os cuidados necessários. Ele estava desnutrido e muito triste, mas, em pouco tempo, começou a se mostrar mais forte, com uma aparência mais descontraída e confiante, que transparecia no olhar. 

Os responsáveis pelo abrigo tentaram encontrar uma nova família para Cuache, mas o cachorro estava acostumado a ser independente – ele não fazia ideia do que é um lar. O animal não conseguia ficar preso e, sempre que podia, fugia para a rua. 

Os resgatadores decidiram que Cuache deveria ter acesso controlado à rua. O animal, que estava praticamente à morte, começou a dar os primeiros passeios pelas ruas de Tampico e surpreendeu a equipe do Dejando Huellitas: ele voltava sempre, e sempre trazia uma recompensa para os tratadores: restos de lixo encontrados nas andanças. 

cachorro-quase-a-morte-oferece-lixo-aos-resgatadores-3
Facebook: Refugio Dejando Huellitas, Tampico, México.

Atualmente, Cuache tem 12 anos. Ele mora no escritório do abrigo e atua como “zelador” do local. Ele se mostrou um excelente cão de guarda e cuida de todos os animais que chegam ao Dejando Huellitas. 

Depois de anos de sofrimento, Cuache agora tem direito a refeições nas horas certas, dorme nove horas por dia e revelou-se um grande fã do ar-condicionado do escritório. Em pleno mar do Caribe, Tampico é uma cidade tropical e ensolarada, com temperaturas elevadas durante o ano inteiro. 

Cuache superou o passado e, apesar de as doenças no coração e nos rins o obrigarem a um tratamento médico contínuo, ele continua se mostrando forte e resistente, sempre pronto a ajudar os novos hóspedes do abrigo. 

Ele também continua dando algumas voltas pelas ruas da cidade, livre, mas sempre com a supervisão dos funcionários do abrigo. E não se esqueceu do velho hábito: quando volta ao escritório, ele sempre traz alguma recompensa para os seus heróis. 

Um dos tratadores afirmou para a reportagem da Eju.tv, uma emissora mexicana: 

“Nós amamos Cuache, adoramos que ele tenha chegado até nós e não há nada mais motivador do que começar a jornada de trabalho do que vê-lo abanando o rabo, sempre com um olhar alegre.” 

Cuache tem um fã-clube oficial na página do abrigo no Facebook. Quem quer adotar um cachorro ou gato e vive na região de Tampico precisa conhecer Cuache e o trabalho desenvolvido pelo abrigo Dejando Huellitas. E quem já tem um pet em casa deve agir de forma responsável, nunca permitindo que ele saia às ruas sem a supervisão de um humano adulto.