Carteiro salva cachorro abandonado na estrada

Para este carteiro, o encontro estava predestinado. Ele salvou o cachorro e sabia o que tinha de fazer.

“Eu não acredito em muitas coisas, mas acredito que deveria encontrá-lo”. Com estas palavras, Nate Ohlman, um carteiro de Raymore, no Missouri (centro-oeste dos EUA), descreve o encontro com um cachorro abandonado na estrada.

Era mais uma manhã fria de inverno no Missouri e Ohlman se organizava para fazer as entregas na pequena cidade de 16 mil habitantes. A temperatura negativa estava congelando tudo, quando o carteiro encontrou o cachorro.

carteiro-salva-cachorro-abandonado-na-estrada
NATE OHLMAN

O salvamento

No final de uma estrada sem saída, semioculto em uma vala, Ohlman encontrou um cachorro já idoso. Era evidente o esforço do peludo para tentar se aquecer, mas, naquelas condições, a hipotermia seria uma consequência inevitável. O cachorro tinha sido abandonado para morrer no local.

Observar o cachorro sozinho no frio sensibilizou o carteiro. Ele sabia que tinha de encontrar uma forma de auxiliar o peludo. A região é pouco movimentada e o animal não tinha muito tempo para continuar esperando.

carteiro-salva-cachorro-abandonado-na-estrada
NATE OHLMAN

Ohlman ficou receoso em se aproximar. Afinal, ele não queria assustar o cachorro e também não poderia prever a reação. Com cautela, ele foi chegando mais perto, até perceber que o animal não conseguia ouvir nem enxergar muito bem.

O carteiro resolveu fazer um pouco de barulho, para atrair a atenção do cachorro. Depois de alguma agitação e de alguns ruídos, o peludo finalmente percebeu a presença do homem. Imediatamente, ele se levantou e correu na direção do furgão dos correios, que Ohlman estava conduzindo.

O animal estava enregelado, faminto e sozinho. Ele tinha sido deixado por conta própria. Mas ainda havia um resto de esperança: ao ver Ohlman, o cachorro sentiu que, de alguma maneira, ele estava lá para ajudá-lo.

carteiro-salva-cachorro-abandonado-na-estrada
NATE OHLMAN

O carteiro embarcou o cachorro no furgão e partiu em direção a um consultório veterinário próximo à rodovia principal de Raymore. Mais tarde, Ohlman declarou que estava com os dedos cruzados, torcendo para que estivesse tudo bem com o novo amigo. Ou, pelo menos, que as coisas não estivessem tão mal como aparentavam.

O cachorro, que recebeu o nome de Sloan, teve de ficar internado para fazer exames e consultas. Ohlman deixou as suas informações de contato, para que a equipe do hospital pudesse atualizá-lo sobre a situação do paciente. O número do telefone do carteiro ficou fixado na coleira do peludo.

Ohlman deixou o cachorro no hospital e retomou as atividades de entregas. Mas, enquanto seguia o seu itinerário, não importa o quanto tentasse, ele não conseguia tirar a imagem de Sloan da sua tela mental.

O carteiro passou o dia tentando entender como um ser humano é capaz de fazer uma coisa tão terrível para um animal de estimação, um bicho indefeso. Existem justificativas para precisar se desfazer de um pet, mas simplesmente abandoná-lo em uma estrada para morrer era um gesto indefensável para o carteiro.

carteiro-salva-cachorro-abandonado-na-estrada
NATE OHLMAN

O homem, no entanto, não tinha muitas opções no momento. Ele precisava esperar notícias do hospital, para saber de que forma o abandono tinha afetado a saúde do peludo. A hipotermia pode afetar seriamente o organismo, por alterar a circulação sanguínea e, consequentemente, o fornecimento de oxigênio e nutrientes para todo o corpo.

Sloan ficou apenas um dia no hospital. Em seguida, ele foi encaminhado ao Pet Project de Kansas City, onde chegou em péssimas condições: estava muito abaixo do peso, mal conseguia ficar de pé sozinho e tinha o corpo recoberto por feridas.

Os voluntários do Pet Project iniciaram um tratamento intensivo, com medicamentos e fluidos, para repor os nutrientes necessários. O cachorro recebeu soro endovenoso por vários dias. Inicialmente, a reação foi insatisfatória: o animal parecia estar entregando os pontos.

carteiro-salva-cachorro-abandonado-na-estrada
NATE OHLMAN

Finalmente, graças ao apoio da equipe, o cachorro começou a dar sinais de que estava se recuperando. Ele começou a melhorar e, depois de algumas semanas, foi considerado apto para ir a um lar provisório.

Mais algumas semanas se passaram. Sloan mostrava estar cada vez mais forte e saudável. Ele teve a idade estimada em 12 anos, mas o cachorro idoso passou a demonstrar a agilidade e alegria de um filhote. Finalmente, a equipe decidiu que o peludo estava pronto para dar o próximo passo – e eles sabiam muito bem a quem deveriam recorrer.

Ohlman foi contatado pelo Pet Project. Ele disse depois que parecia ter sido levado ao céu quando recebeu a notícia de que Sloan estava curado e que ele era o candidato ideal para adotar o cachorro.

O carteiro foi imediatamente a Kansas City, encontrar o cachorro. Sloan reconheceu o benfeitor imediatamente e agradeceu mais uma vez, com muitos latidos, beijos e abraços. Pai e filho foram imediatamente para Raymore, onde finalmente Sloan encontrou um lar.

Postagens Relacionadas