Esta mulher tinha medo de pitbulls – até ser salva por um deles

Por

Simba salvou a vida de uma vizinha, que agora é a maior fã do pitbull de quatro anos.

Pitbulls não são cachorros com cara de amigáveis. Muita gente tem medo deles, em função das muitas histórias que circulam na imprensa. Alguns desses casos são reais, outros, um pouco aumentados e a maioria, totalmente infundados. Mesmo assim, os cães da raça são encarados como perigosos, traiçoeiros e até assassinos.

Simba, um pitbull de quatro anos, vive na Suécia com o seu tutor, Arjanit Mehana, desde que completou oito semanas de vida. Ele é um cachorro brincalhão, fiel e guloso, como todos os peludos de quatro patas.

No prédio em que a dupla vive, no entanto, o pitbull sempre foi alvo de comentários. Inclusive de uma vizinha idosa, que não escondia o medo – um verdadeiro pavor – que o cachorro inspirava quando circulava pelas escadarias e ares comuns do edifício.

Quase todos os vizinhos mantinha uma distância respeitosa do pitbull. Apesar de o tutor considerar Simba como um excelente parceiro nas brincadeiras, poucas pessoas da vizinhança se encorajavam a interagir com o cachorro.

Mulher salva por pitbull

O salvamento da mulher

Certo dia, Arjanit e Simba retornavam para casa depois da caminhada diária – todos os cães precisam passear diariamente e os pets atléticos, como os pitbulls e outros, têm necessidade ainda maior de exercícios físicos, para manter a forma e o equilíbrio emocional.

Ao subir as escadarias para o apartamento, Arjanit foi deslocado por Simba para outra unidade do edifício. Apesar de ser um cão dócil, que consegue se orientar com facilidade em ambientes familiares, o pitbull disparou para a porta de outro apartamento latindo e até tentando escavar a madeira.

A vizinha mora sozinha, um andar abaixo de Arjanit e Simba. Ainda sem entender o que motivava o cachorro a latir e mostrar-se agitado, Arjanit conseguiu ouvir alguns gritos débeis e sufocados vindos do apartamento. A mulher idosa pedia socorro.

Mulher salva por pitbull
Créditos: arjanitmehana

A mulher escorregou no piso da sala, caiu e fraturou alguns ossos do quadril. Além da dor insuportável, ela não conseguia se mexer, nem mesmo para alcançar o telefone e pedir ajuda. Ao entender a situação, Arjanit apoiou a vizinha e imediatamente acionou o serviço de emergência.

A ambulância chegou ao edifício em poucos minutos e levou a idosa para o hospital, onde recebeu atendimento especializado. Se não fosse por Simba, no entanto, a mulher teria sofrido sozinha por um longo período, até que um parente ou vizinho mais próximo desse pela sua ausência.

Simba e a vizinha

Arjanit postou a história do cão herói no Instagram, mas ele não imaginava a repercussão que o caso teria. A ideia original era apenas demonstrar a fidelidade e atenção dos nossos amigos de quatro patas.

Os posts, no entanto, geraram milhares de curtidas e compartilhamentos. Arjanit, da Suécia, recebeu mensagens de apoio de todas as partes do mundo – a imensa maioria parabenizando a conduta de Simba, o “pitbull feroz”.

Através de parentes da vizinha acidentada, Arjanit recebeu notícias da cirurgia e do tratamento pós-cirúrgico. A mulher se encontra em franca recuperação, mas alguma coisa a mais também mudou.

Mulher salva por pitbull
Créditos: arjanitmehana

A principal transformação foi na opinião da idosa sobre os cachorros da raça. E mulher, que tinha medo de pitbulls, mudou de ideia. Na verdade, ela redescobriu que os cachorros são os melhores amigos do homem. E Simba, claro, também é um cachorro, com todas as qualidades que fascinam os humanos há milhares de anos.

Nas postagens nas redes sociais, Arjanit define muito bem a condição de Simba. De acordo com o jovem sueco, o comportamento dos tutores define a agressividade dos cachorros. Simba é um pet tranqüilo, ajustado e equilibrado porque foi educado desde filhote a agir desta maneira.

Mulher salva por pitbull
Créditos: arjanitmehana

Efetivamente, os cães refletem a nossa conduta. Já foi cientificamente comprovado que animais de pessoas com transtornos emocionais, como ansiedade e depressão, desenvolvem sintomas semelhantes aos dos seus tutores.

Simba poderia ser um “pitbull assassino”. Contudo, com uma boa criação, ele se desenvolveu com todas as qualidades que nós esperamos em nossos parceiros de quatro patas: é um animal atento, sensível e alerta. E agora, o pitbull exibe o status de salva-vidas na vizinhança em que mora.

É importante lembrar que não existem raças caninas perigosas. Os pitbulls foram desenvolvidos para a briga em rinhas (“pit”, em inglês), mas os buldogues ingleses também o foram e não existe cão mais pacato e bonachão do que um buldogue inglês.

Mulher salva por pitbull
Créditos: arjanitmehana

Todos os cães são potencialmente agressivos – e quem convive com um pinscher miniatura ou um chihuahua pode confirmar isso. É importante que o adestramento valorize os aspectos positivos da personalidade e minimize os eventuais defeitos.

É exatamente isso que a humanidade faz há milhares de anos. Nós transformamos os lobos – animais desconfiados e violentos com outras espécies – em amigos de todas as horas. Por isso, quando um cachorro se mostra agressivo e desequilibrado, o melhor lugar para encontrar as causas é a conduta dos tutores.