InícioNotíciasEste bezerro pensa que é um cachorro e é simplesmente fofo

Este bezerro pensa que é um cachorro e é simplesmente fofo

Conheça a história de Peanut, um bezerro australiano que pensa que é um cachorro. 

Peanut é um bezerro brahman, uma raça bovina obtida a partir de cruzamentos seletivos entre nelore, gir, guzerá e Krishna Valley. Ele é um boi zebu, o mais criado no mundo, mas geralmente para obtenção de carne e leite. Não haveria nada espantoso com a criação, se Peanut não pensasse que é um cachorro. 

O bezerro nasceu em fevereiro de 2021, em Broome, uma vila de Kimberley, na costa ocidental da Austrália. Peanut foi encontrado vagando sozinho em uma estrada região, depois que a mãe foi atropelada por um carro e não resistiu ao acidente. 

este-bezerro-pensa-que-e-um-cachorro
Facebook / Edward Foy

Este não é o primeiro bovino da família. Edward Foy lembra que eles já tiveram uma vaca, que viveu até os 26 anos. O tutor lembra que a mascote destruía tudo na horta da mãe. Apesar de fêmea, a vaca se chamava Phillip. 

Resgate e adoção 

Edward Foy vive em uma área isolada de Broome, em uma casa que divide com seis cães. Foi ele quem encontrou o bezerro perdido na estrada, sem saber para onde ir. Foy decidiu socorrê-lo, enquanto providenciava uma solução para o caso. 

A principal despesa que Foy teve com o bezerro foi o alto consumo de leite (na verdade, uma fórmula especial para bovinos filhotes, com teor elevado de proteínas e gorduras): Peanut consumia até 15 litros por dia, gerando uma despesa mensal de 250 dólares australianos (quase R$ 1.000, pela cotação atual). 

este-bezerro-pensa-que-e-um-cachorro
Facebook / Edward Foy

Atualmente, o bezerro, que já é um adolescente (essa fase se prolonga até os 15 meses de idade) está adaptado ao pasto, mas ele ainda recebe alguns petiscos e guloseimas, como espigas de milho e verduras picadas. 

O tempo passou desde o resgate e Peanut (que significa “amendoim”, em português) adaptou-se totalmente à nova rotina.  ele nunca viu uma vaca ou touro por perto e, por isso, segundo o depoimento de Foy, ele aprendeu a exibir o comportamento dos cães, seus companheiros domésticos. 

este-bezerro-pensa-que-e-um-cachorro
Facebook / Edward Foy

Ninguém apareceu para reclamar a propriedade do bezerro, que passou a viver com Foy. Dois meses depois, ele já se comportava como os outros membros da família: os seis cachorros do tutor. 

Um dos passeios prediletos de Peanut é a lagoa Coconut Wells, 12 km ao norte de Broome, onde o bezerro toma banho e se diverte com os irmãos. A lagoa fica em uma reserva aborígene australiana, Goolarabooloo Millibinyarri (Poços dos Cocos, em português). Um detalhe importante: assim como os cachorros, Peanut é conduzido com corrente e coleira sempre que sai de casa. 

este-bezerro-pensa-que-e-um-cachorro
Facebook / Edward Foy

Foy visita regularmente a região para pescar. Peanut e os cachorros seguem o tutor durante todo o caminho, fazendo uma algazarra e tanto, mas o bezerro aprendeu a manter silêncio, para não afugentar os peixes e atrapalhar a pescaria. 

Atualmente, Peanut é apenas um pouco maior do que os cachorros de Foy, mas ele pode atingir até 900 kg de peso. Mas o tutor, mesmo considerando o tamanho do animal, espera que a família possa ter uma vida longa e feliz. 

Entrevistado pela rede ABC News, Foy disse que quer manter Peanut como animal de estimação, apesar dos gracejos que recebe nas redes sociais. Em um deles, respondendo a uma foto da família se banhando na lagoa, um internauta postou: “Eddie, seus pais não ensinaram você a não brincar com a comida?”. O tutor não gostou nem um pouco da brincadeira. 

este-bezerro-pensa-que-e-um-cachorro

Foy afirma que Peanut é bem comportado e muito delicado no trato com os cachorros. Ele parece perceber que o porte avantajado pode provocar alguns acidentes. O animal está muito bem adaptado à vida da matilha. 

Divertido, o tutor disse à reportagem que espera treinar o bezerro para que ele possa acompanhá-lo nas visitas à loja de bebidas. Seria curioso observar um touro passeando entre prateleiras repletas de garrafas. 

Por enquanto, Peanut age como se fosse um cachorro. Ele observa atentamente os poucos carros e transeuntes que passam pela estrada que leva à casa, muge para alertar o tutor quando alguém se aproxima da cerca e dorme com os irmãos. Ele é um bovino 100% canino. 

Seja como for, Foy pretende manter o bezerro como animal de estimação, vivendo com ele e os cachorros. Sobre os chifres que já estão despontando, o tutor diz não ter muita preocupação, porque Peanut não aprendeu o comportamento bovino. Por precaução, ele pretende cobri-los com espuma, mas não quer serrá-los: “eu me sentiria muito culpado se os tirasse”. 

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações