InícioNotícias Garis encontram e salvam filhotes de cachorro abandonados em um travesseiro...

[VÍDEO] Garis encontram e salvam filhotes de cachorro abandonados em um travesseiro costurado

O travesseiro estava em uma lixeira. Os coletores trabalham em São Vicente, no litoral paulista.

O travesseiro estava em uma lixeira. Os coletores trabalham em São Vicente, no litoral paulista.

Coletores de lixo salvaram quatro filhotes de cachorro recém-nascidos. Os animais estão dentro de um travesseiro costurado, lançado em uma lixeira no bairro Jóquei Clube, em São Vicente (SP). Os profissionais perceberam alguma coisa se mexendo e deixaram investigar o travesseiro.

O grupo de garis estava passando pela Rua Ofélia Chaves de Meireles, na região central da cidade. Era o início do turno, por volta de 7h30min. Ao esvaziarem uma lixeira, eles perceberam que havia algo errado no travesseiro.

garis-encontram-filhotes-de-cachorro-em-um-travesseiro
Foto: Daniele Eugenio/Arquivo Pessoal

O resgate

Logo que desfizeram a costura da fronha, os coletores se depararam com quatro cãezinhos, provavelmente com apenas poucas horas de vida. O travesseiro estava descartado para coleta; portanto, o autor da ação sabia que estava cometendo um crime.

No vídeo gravado pela equipe, é possível observar a ação de resgate, desde o encontro do travesseiro suspeito até a libertação dos filhotes. Um dos coletores, Douglas Carvalho Pereira, descreveu a experiência para a reportagem local:

“A gente pegou o travesseiro, eu ouvi um chorinho e percebi alguma coisa se mexendo. Nós abrimos e encontramos um filhote, foram aparecendo os outros depois. Os bichinhos estavam com o cordão umbilical ainda. Orelhinhas fechadas, os olhos também. Tinham acabado de nascer.”

Outro coletor que também ajudou no resgate, Emanuel Santos de Souza, disse aos repórteres que não consegue entender como as pessoas conseguem fazer tanta maldade para seres que são totalmente indefesos. E completou:

garis-encontram-filhotes-de-cachorro-em-um-travesseiro
Foto: Daniele Eugenio/Arquivo Pessoal

“Não sei para que fazer uma coisa dessas. Se não quer ficar, leva para adoção. Tem um monte de gente que quer, não é preciso fazer uma coisa dessas, deixar os animais no lixo. Eles não fazem mal para ninguém.”

O responsável pela limpeza urbana de São Vicente, Jurandir Xavier Filho, explicou que as empresas responsáveis pela varrição e coleta de lixo obedecem a protocolos (procedimentos padronizados) em casos como o dos cãezinhos no travesseiro.

Os coletores precisam informar os supervisores da área, que se deslocam ao local, acionam a prefeitura e o serviço de zoonoses. Jogar filhotes no lixo, além de ser crime e um ato de brutal crueldade, também é um problema de saúde pública.

Felizmente, no caso dos cachorrinhos de Jóquei Clube, não foi preciso recolher os animais a um abrigo. Os moradores da rua ajudaram os garis a resolver a situação e eles mesmos se prontificaram a ajudar os filhotes.

O acolhimento

Quando se encontra uma ninhada abandonada de cães ou gatos, a primeira providência é inspecionar as imediações, para verificar se a mãe não está por perto. Em seguida, deve-se aquecer os filhotes, o que pode ser feito com uma caixa de sapatos e folhas de jornal.

Os animais não devem permanecer em ambientes com claridade intensa, porque a visão é muito frágil – os olhos costumam abrir apenas entre dez e 15 dias de vida. Mesmo a luz solar pode prejudicar os filhotes.

Existem fórmulas especiais para alimentar filhotes de cães e gatos, que não devem receber leite de vaca, que não fornece os nutrientes necessários. Existem suplementos vendidos em pet shops.

Os filhotes podem então ser entregues a serviços municipais ou a ONGs que atuam na defesa dos direitos dos animais. Enquanto eles estão acolhidos, é importante não deixar que eles fiquem sem aquecimento (diretamente no piso frio, por exemplo). Os cuidadores também podem encontrar lares adotivos diretamente.

A confeiteira Daniele Eugênio, que mora na rua em que os coletores encontraram os filhotes de cachorro, é uma personagem importante desta história: ela resolveu assumir os cãezinhos, para prestar os primeiros cuidados e encontrar famílias para eles.

A moça também conversou com a equipe de reportagem: “Eles tinham acabado de tirar o lixo aqui em frente. Logo na esquina, encontraram os cãezinhos e nos chamaram. Nós pegamos os quatro filhotinhos e ligamos para um veterinário, para saber como alimentá-los”.

Apesar de os cachorrinhos ainda estarem sendo amamentados – os filhotes nunca devem ser separados da mãe antes de completarem dois meses de idade –, Daniele já encontrou famílias para adotar dois deles.

Ela ainda se justificou: “Não tenho como ficar com eles, aqui não tem quintal”. A confeiteira não precisa adotar todos os animais abandonados do mundo para mostrar a sua bondade. De bom grado, ela recolheu os filhotes, ofereceu os cuidados de higiene e está amamentando com fórmulas especiais. Daniele, na verdade, deve ser um anjo disfarçado.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações