Gatinho escapa da gaiola para confortar cachorro apavorado no veterinário

Os dois estavam no veterinário, mas o cachorro estava apavorado e o gato decidiu confortá-lo.

A solidariedade não conhece cor, raça, sexo, religião, nem espécie. Pelo menos é isso que mostra este simpático gato, que escapou da gaiola para confortar um cachorro apavorado no consultório do veterinário.

O personagem principal desta história conhece a importância de auxílio mútuo: ele foi encontrado em um bueiro, depois de uma noite de tempestade em Johanesburgo, na África do Sul. Socorrido, este gato compreendeu que também era seu dever confortar e ajudar o próximo.

gato-escapa-da-gaiola-para-confortar-cachorro
GREENSIDE ANIMAL HOSPITAL

Uma amizade improvável

Ginger Biscuit – este é o nome do gato (significa “biscoito de gengibre”, em português) – foi resgatado após uma tempestade. Ele foi encontrado em Randburg, na região metropolitana de Johanesburgo, tentando se abrigar da enxurrada.

As pessoas que salvaram o gato levaram-no para o Greenside Animal Hospital. Ninguém sabia as condições em que Ginger Biscuit se encontrava e, por isso, o bichano foi internado na ala do isolamento, para se recuperar.

gato-escapa-da-gaiola-para-confortar-cachorro
GREENSIDE ANIMAL HOSPITAL

Naturalmente, Ginger Biscuit estava um pouco nervoso e ansioso quando chegou ao hospital. Estimou-se que ele tinha entre oito e dez semanas de vida – um filhote recém-desmamado (inclusive, ele pode ter se desencontrado da mãe durante o temporal). O bichano estava confuso e muito ressabiado em relação aos humanos que iam e vinham.

Na ala em que foi internado, Ginger Biscuit estava praticamente sozinho: ele tinha apenas a companhia de Anne, uma cachorra de rua recolhida ao hospital poucas horas antes. As condições da peluda inspiravam cuidados urgentes.

A cachorra fora encontrada em um clube esportivo de Johanesburgo. Ela estava muito fraca, infestada de pulgas e carrapatos. Anne foi levada por um dos treinadores do clube e começou a receber soro imediatamente.

gato-escapa-da-gaiola-para-confortar-cachorro
GREENSIDE ANIMAL HOSPITAL

Confusão no isolamento

Ginger Biscuit e Anne estavam acomodados em gaiolas separadas. Normalmente, cães e gatos ficam em alas separadas do hospital, mas os dois recém-admitidos estavam em condições especiais: o gato era ainda um filhote e a cachorra, já adulta, parecia ter exaurido todas as energias.

Além disso, as gaiolas dos dois animais estavam posicionadas em pontos opostos do isolamento e não havia nenhuma possibilidade de contato entre Ginger Biscuit e Anne. Pelo menos, era isso que pensavam os funcionários do Greenside Hospital.

Mas, pela manhã, a equipe teve uma surpresa. Ao circular pelo isolamento, os enfermeiros notaram a ausência do gato: a gaiola de Ginger Biscuit estava vazia. Imediatamente, todos começaram a procurar o bichano fujão.

gato-escapa-da-gaiola-para-confortar-cachorro
GREENSIDE ANIMAL HOSPITAL

Felizmente, para surpresa e alívio de todos, o gato não tinha ido muito longe. Depois da fuga, ele apenas percorreu a distância entre as duas gaiolas e, para prestar solidariedade à cachorra, o bichano aconchegou-se a ela.

Ginger Biscuit tinha conseguido escapar da própria gaiola, cruzou a ala e foi acalmar Anne. A cachorra, apavorada, aceitou a companhia do bichano e os dois dormiram juntos, talvez tentando amenizar a solidão e o medo.

Foi um momento de pânico. Apesar das muitas histórias de amizade entre cães e gatos, nunca é possível afirmar qual será a reação de um cachorro ao identificar a aproximação de um bichano. Eles podem se assustar ou apenas fazer prevalecer as características de predadores. Em qualquer caso, um ataque pode ser fatal.

Os proprietários do hospital veterinário, Joubert Viljoen e Suzette Greube, contaram aos repórteres que eles subestimaram as capacidades do gatinho. Ele realmente conseguiu se esgueirar pela abertura da gaiola e ganhar a liberdade.

gato-escapa-da-gaiola-para-confortar-cachorro
GREENSIDE ANIMAL HOSPITAL

Anne estava tão fragilizada que provavelmente nunca representou um perigo real para Ginger Biscuit. Ao contrário, ela deve ter se sentido mais protegida e confortável quando o gatinho entrou na sua gaiola e deitou-se junto ao ventre.

Toda a equipe se tranquilizou ao presenciar a cena dos dois animais dormindo juntos, fazendo companhia um para o outro. É possível que o gatinho tenha apenas procurado um colo materno, mas ele acabou mostrando um gesto de solidariedade e a cachorra também se sentiu mais acolhida com o amiguinho ao lado.

A dupla parece realmente calma: o gato tranquiliza a cachorra e vice-versa. Eles passaram os dias seguintes juntos, apesar dos esforços de alguns médicos e enfermeiros em separá-los: Ginger Biscuit sempre encontrava um meio de escapar e voltar ao conforto da mãe improvisada.

Os proprietários do hospital disseram que Ginger Biscuit é um gato tímido, mas muito amoroso. Ele gosta muito de atenção, depois que supera o medo que sente de pessoas estranhas. Nos primeiros momentos, o bichano fica um pouco cauteloso, mas logo se aproxima e começa a interagir.

Os dois animais passaram a passar juntos o dia inteiro. Para Anne, a presença do gatinho parece influenciar positivamente. Ela se sente a guardiã do filhote e isso está acelerando a sua recuperação física. Ginger Biscuit dá a Anne alguma coisa para ela se concentrar e cuidar, e isso transmite sensação de segurança e tranquilidade.

Ginger Biscuit e Anne já estão quase prontos para a adoção. O hospital publicou, em suas redes sociais, que pretende encontrar uma família que acolha tanto a cachorra, quanto o gato. Eles podem ser de espécies diferentes, mas a amizade é forte e inabalável. Todos que veem a dupla concordam: é a coisa mais doce de todas.

Postagens Relacionadas