Durante a passagem do furacão Delta, um mexicano abrigou 300 animais de rua.

Um furacão deixou dezenas de vítimas humanas, além dos prejuízos materiais e dos transtornos causados à flora e à fauna. Parte das vítimas de quatro patas, no entanto, conseguiu abrigo graças à iniciativa de Ricardo Pimentel Cordero, um ativista mexicano da causa dos animais de estimação.

As pessoas não são as únicas a serem afetadas pelas calamidades climáticas. Todos os anos, sempre entre junho e novembro, as ilhas caribenhas e o litoral da América Central, do México e dos EUA são atingidos por furacões e tempestades tropicais.

O furacão, desta vez, no entanto, chegou muito rápido, e Ricardo Pimentel Cordero não teve tempo para transportá-los a um local seguro. Ele abrigou quase 300 cães e gatos que perambulavam pelas ruas de Cancún em sua própria casa.

A ONG Tierra de Animales

Ricardo é presidente da ONG Tierra de Animales, uma associação sem fins lucrativos que abriga animais de diferentes espécies. Além de cães e gatos resgatados das ruas mexicanas, a ONG abriga porcos, bois, galinhas, perus, cabras e cavalos.

Todos os cães e gatos que chegam à Tierra de Animales são recuperados fisicamente, esterilizados e colocados para adoção. A ONG já mediou a adoção de animais para americanos e canadenses, além de mexicanos.

Os animais considerados de corte não são adotados, porque a Tierra de Animales acredita que eles seriam abatidos para alimentação. Bois, cabras e companhia permanecem na ONG pelo restante das suas vidas.

A Tierra de Animales não conta com apoio governamental, custeando as suas ações com doações de empresas e pessoas físicas. Os interessados em conhecer o trabalho do santuário podem acessar www.tierradeanimales.org.

O furacão

O furacão Delta foi considerado o terceiro mais ativo da temporada de furacões do Atlântico em 2020. Ele se formou no Caribe ocidental a partir de uma tempestade tropical e formou-se em apenas quatro dias – entre 1º e 05/10/20 – um tempo recorde para este tipo de fenômeno climático.

O Delta atingiu as Ilhas Cayman no dia 5 de outubro; um dia depois, chegou a Cuba. No mesmo dia, acercou-se de Quintana Roo (um dos Estados mexicanos), que ainda sentia os efeitos da tempestade tropical Gama. Poucas horas depois, o furacão fez sentir os seus efeitos em Cancún, onde reside Pimentel Cordero.

No México, o furacão provocou cortes de energia elétrica e queda de árvores em vários pontos da península de Iucatã, como Cancún e Cozumel. Rajadas de vento de mais de 170 km/h foram registradas em Puerto Morelos (Quintana Roo) e Cancún. Não houve registro de mortes humanas.

Na sequência, o Delta dirigiu-se para os Estados americanos do Alabama, Mississippi e Louisiana. As plataformas de prospecção de petróleo instaladas no golfo do México foram evacuadas no dia 7 de outubro.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui