Homem adota cachorro de 16 anos e garante que serão seus melhores últimos dias

Cachorro idoso renasce e está muito feliz com o novo tutor e a nova vida que ganhou.

Centros de acolhimento e equipes de resgate são fundamentais para proporcionar saúde, bem-estar e qualidade de vida para os animais de rua. Mas há outro elemento importante: o candidato à adoção. Sem ele, muitos projetos ficariam parados, como é o caso deste cachorro idoso, que pareceu renascer ao ser escolhido e adotado.

O episódio ocorreu em Tehachapi, uma cidade de 14 mil habitantes no centro-sul da Califórnia (costa oeste dos EUA). A adoção de um cachorro idoso é um exemplo para nos fazer lembrar que a vida no planeta é finita – ninguém é imortal por aqui –, mas é sempre repleta de eventos felizes e marcantes.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

A história de Henry e Zach

Henry é um cachorro sem raça definida de 16 anos, que foi entregue pela antiga família – eles alegaram não ter condições de ficar com o animal, desgastado pela idade e com muitas necessidades urgentes.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

A adoção de animais de rua, resgatados das ruas ou entregues pelos tutores em abrigos, nunca é uma tarefa fácil. A maioria dos candidatos procura cães e gatos jovens (de preferência, filhotes) e os peludos de raça encontram maiores chances de realocação.

Por outro lado, os cães idosos, doentes e mestiços quase sempre amargam longos períodos abrigados, sem esperança de encontrarem um novo lar. Nos EUA, a situação pode ser até pior, uma vez que a legislação básica prevê o abate de animais em caso de desinteresse e até de falta de espaço.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

Por todos estes fatores, tudo indicava que Henry ficaria no abrigo, sem expectativa de adoção. Então, apareceu Zach Skow, um ativista dos direitos dos animais. Zach é cofundador do Marley’s Mutts Dog Rescue (resgate de cães vira-latas do Marley).

O Marley’s Mutts é uma organização sediada no centro da Califórnia dedicada a resgatar, acolher e encaminhar cães e gatos de todas as cores, formas, idades e raças. Zach sabia que o caso de Henry era especial e decidiu intervir.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

Nos últimos anos, o ativista recebeu algumas dezenas de animais em sua casa. Na maioria, eram cachorros e gatos doentes ou traumatizados, que precisaram de um período maior até voltar a reunir condições para serem adotados.

A tarefa básica de Zach consiste em reabilitar os peludos e torná-los atraentes para os candidatos a pais de cães e gatos. É um trabalho difícil, porque o ativista vive estabelecendo e rompendo vínculos, mas cada animal adotado acaba sendo uma pequena vitória.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

Com relação a Henry, no entanto, o problema era maior. O cachorro estava relativamente bem de saúde. Os veterinários diagnosticaram um tumor maligno, mas de desenvolvimento lento, que provavelmente não comprometeria a saúde geral do animal idoso.

Eles não identificaram nenhum outro problema mais grave, além das limitações relativas à idade. O cão idoso tinha alguma dificuldade de locomoção e perdera parte da capacidade de ver e de ouvir. Henry também sofre com alguns problemas gastrointestinais leves.

Estas condições não poderiam ser superadas. Aos 16 anos, o prognóstico é que Henry ficasse cada vez mais lento, desinteressado e até mal-humorado, como costuma acontecer com os animais idosos.

Zach resolveu que, desta vez, a adoção teria de ser definitiva. Ele precisava levar Henry para casa, não apenas para que ele tivesse um lar provisório, para relembrar como é o convívio com humanos e continuar apto para a adoção.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

Henry precisava de uma família e Zach decidiu ser o apoio que o peludo necessitava. Não é uma situação simples: mesmo animais jovens e saudáveis apresentam uma série de vontades e necessidades; os idosos precisam ainda mais: amizade, supervisão constante, cuidados de enfermagem.

Além disso, adotar um animal idoso requer uma dose considerável de desprendimento. Alguns poucos cães atingem os 20 anos de idade, mas a maioria não consegue ir além dos 12 ou 13. Algum sábio já disse que “eles morrem antes porque nascem sabendo amar, enquanto nós precisamos de décadas para aprender e entender esse sentimento”.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

Mesmo assim, escolher um companheiro sabendo que ele terá poucos meses, talvez um ano apenas de convivência, é uma atitude nobre e rara.

Henry foi então recebido definitivamente na casa de Zach. Enxergando com apenas um olho, ouvindo pouco, portando um tumor que causa incômodo e desconforto e com problemas articulares, o cachorro pode dizer que sabe o que é viver em um “lar, doce lar”.

Zach não sabia por quanto tempo poderia desfrutar a companhia de Henry, mas não se importou. Havia a possibilidade de que o cachorro morresse em alguns dias ou semanas, mas não foi isso que aconteceu.

cachorro-idoso-renasce-ao-ser-adotado
INSTAGRAM/ SENIORDOGHENRY

À medida que Henry foi se adaptando à casa nova, ele parece ter renascido. O cachorro passou a escolher os ambientes mais agradáveis – ele passa boa parte do tempo na varanda, tomando sol – a explorar, a apoderar-se do espaço e da família.

Seis semanas depois da adoção definitiva, Zach foi surpreendido com uma correria: ao voltar para casa, ele foi recepcionado por uma festa efusiva de Henry, que correu ao seu encontro, demonstrando felicidade e total confiança.

Apenas esses poucos segundos teriam sido a recompensa suficiente para o tutor, mas Henry continua dando mostras de lealdade, fidelidade e companheirismo. Zach garante que o cachorro vai sair da vida cercado de amor. Existem inclusive candidatos à adoção do “novo Henry”, que parece ter remoçado apenas por ter tido a chance de conviver de perto com um amigo.

Postagens Relacionadas