Um especialista em RH deixou o emprego e vive em um ônibus com dez cães resgatados.

Esta é a história de Lee Asher, um americano próspero, que tinha uma renda salarial anual de seis dígitos – acima, portanto, dos US$ 100.000. Apesar de tudo, certo dia, Lee decidiu abandonar a carreira construída com palestras sobre estratégia e motivação e simplesmente viajar com cães.

Ele constituiu a Asher House, uma fundação com sede em uma van – um micro-ônibus escolar com pouco mais de 11 metros de comprimento – em que viaja pelos EUA com os dez cães que resgatou em abrigos, para divulgar a adoção responsável de animais de estimação.

Homem pede demissão e viaja com cães
Lee Asher vive em um ônibus escolar adaptado para seus 10 cães resgatados.

A história

Antes de cair na estrada, Lee Asher era um consultor corporativo bem-sucedido. Em setembro de 2017, ele pediu demissão do emprego e surgiu a inspiração de viajar pelo país com os dez cães que já conviviam com ele.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

Antes de largar o emprego, Asher desenvolvia palestras motivacionais para profissionais de vendas. Quando desistiu da carreira, ele não tinha planos em vista – nada que pudesse manter o padrão de vida: ele morava em Los Angeles, uma das cidades mais caras dos EUA; apenas com o aluguel, Asher gastava US$ 2.500 mensais.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

A ideia que surgiu foi salvar o maior número possível de cães abandonados por tutores irresponsáveis. Asher e seus dez cães viajam e vivem em um micro-ônibus com cozinha completa, banheiro, beliche (para economizar espaço) e um terraço na cobertura – o capô da van.

O veículo custou US$ 65.000 e até o painel de instrumentos serve de cama para alguns pets, mas cinco ou seis sempre dormem junto com o tutor. O painel também é o “local dos copilotos”, que acompanham as viagens quando Asher está dirigindo.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

Nos primeiros seis meses da empreitada, Asher consumiu todas as economias e chegou a usar todo o limite dos cartões de crédito que possuía. Atualmente, porém, ele conta com patrocinadores: a Canidae Food Dogs é responsável pela manutenção da fundação, dos dez cães e, claro, de Asher.

Os cães

Os dez cachorros resgatados por Asher eram candidatos improváveis à adoção. Alguns deles têm raça definida (sem pedigree), mas, quando chegaram à casa do “salvador”, todos eles apresentavam transtornos e doenças físicas ou emocionais:

• Molly tinha medo mórbido de homens;

• Butters sofreu maus tratos dos antigos tutores;

• Bo não conseguia relaxar, parecia sempre ligado nos 220V;

• Stella tinha indicação para eutanásia;

• Lillie sofre com epilepsia;

• Tony sofria com sobrepeso;

• Queen era velha demais para ser adotada;

• Penny tinha um medo paralisante de tudo e todos;

• Sammy é portador do verme do coração;

• Cali vivia isolada e precisava de um amigo especial.

O trabalho

Nas suas viagens, Asher mantém a mantilha reunida, como prova de que a companhia de qualquer animal, saudável ou doente, é favorável aos humanos. Ele recolhe animais abandonados ou que sofrem maus tratos e trata de encontrar uma nova casa para eles – na mesma cidade, ou na cidade seguinte.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

O grupo original, no entanto, não se desfaz. Asher decidiu adotar os pets por compaixão. Ele sabia que nenhum deles conseguiria encontrar um novo lar e dispôs-se a ser o pai desta grande família. Ele, no entanto, não se apega aos demais cães que recolhe – e Koda é a prova viva desse desapego.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

Em julho de 2020, Asher adotou Koda, uma malamute do Alasca que ele descreve como “a cadela dos sonhos”. Ele decidiu ficar com a cachorra, que passou a fazer parte da matilha e a viajar em nome da Asher House.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

Responsável, o tutor levou Koda para um check-up. No consultório, a veterinária comentou que a cadela se parecia muito com o pet que tinha em casa, morto recentemente. A profissional disse que a filha, isolada em casa por causa da pandemia de Covid-19, também tinha perdido o animal de estimação.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

É o próprio Asher quem completa a narrativa: “Eu sabia que esta era uma mensagem do universo dizendo para eu doar Koda; era a cadela da criança, eu apenas havia cuidado dela por uns dias”.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

O criador da Asher House está na estrada, viajando por várias cidades dos EUA, há três anos. Ele e os dez cães passam dez meses por ano divulgando a adoção responsável de pets. Ele diz que prefere os deslocamentos ao tempo que passa em South Lake Tahoe, na Califórnia.

Homem pede demissão e viaja com cães
Créditos: Lee Asher

Neste tempo de trabalho da Asher House, Lee organizava eventos em todas as cidades por que passava, palestrando sobre a importância da adoção responsável. Nos últimos meses, em função da pandemia, o tutor realiza palestras online, mas não deixa de divulgar a causa nobre que transformou a sua vida – e a de muitos cães.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui