Idoso entra em lagoa para salvar cachorro de um crocodilo prestes a devorá-lo

Um idoso de 74 anos entrou em uma lagoa para salvar o cachorro das presas de um crocodilo.

Durante um passeio de rotina, um idoso de 74 anos teve um encontro com um grande crocodilo, que estava se preparando para devorar o cachorro. O tutor não pensou duas vezes: entrou na lagoa para salvar o melhor amigo.

Grandes répteis são comuns no sul da Flórida (EUA). Crocodilos e aligatores dividem espaço com os moradores, especialmente nas áreas alagadiças – e também em loteamentos criados sobre aterros. A convivência é quase sempre tranquila, mas os acidentes não são raros.

idoso-entra-em-lagoa-para-salvar-cachorro-de-um-crocodilo

A vida na Flórida

Muitos idosos americanos, quando se aposentam, escolhem a Flórida como local de moradia. Este Estado dos EUA é cortado pelo trópico de Câncer e, portanto, está na zona tropical do planeta, mais quente, ideal para quem quer fugir dos invernos rigorosos.

Por outro lado, a região é muito plana, repleta de pântanos, mangues, rios e lagoas, coberta por vegetação rasteira, também ideal para os crocodilos. Estes animais regulam a temperatura corporal de acordo com a temperatura ambiente e encontram presas durante o ano inteiro.

idoso-entra-em-lagoa-para-salvar-cachorro-de-um-crocodilo

Richard Wilbanks é um dos americanos que optou pela Flórida para fixar residência.

Richard mudou-se com a esposa Louise para Estero, uma pequena cidade no sul do Estado, com apenas dez mil habitantes, e pretendia curtir “sombra e água fresca”. Para completar a felicidade do casal, o idoso encontrou Gunner, um cavalier king charles, e presenteou a mulher com o cachorrinho.

Desde então, Richard e Gunner tornaram-se amigos inseparáveis. Eles são sempre avistados juntos pelos vizinhos: em casa, na varanda ou no quintal, com vista para a reserva natural da Flórida, selvagem e bem preservada.

idoso-entra-em-lagoa-para-salvar-cachorro-de-um-crocodilo

A amizade da dupla foi posta à prova em uma situação impensável quando Gunner era ainda um filhote com pouco mais de três meses. Em uma caminhada pela propriedade, os dois resolveram passear pela beira da lagoa, que fica praticamente ao lado da residência do casal Wilbanks.

Um crocodilo também estava aproveitando o ambiente. O problema é que ele não estava relaxando e descansando, mas procurando uma presa para a próxima refeição. Invisível graças à vegetação e à água, o animal estava à espreita.

Quando Richard e Gunner se aproximaram do local, o réptil, com cerca de 1,20 metro de comprimento, saltou rapidamente da água e abocanhou Gunner. Crocodilos não se caracterizam pela agilidade em terra: eles são excelentes nadadores, mas também arriscam capturar presas à beira dos lagos, quando os animais se aproximam para beber.

idoso-entra-em-lagoa-para-salvar-cachorro-de-um-crocodilo

O predador começou a arrastar o cachorro para a água – em geral, crocodilos se alimentam no fundo dos rios e lagoas, depois de abater as presas. Mas Richard não estava disposto a perder o amigo. Sem pensar duas vezes, ele pulou na lagoa.

O crocodilo já tinha abocanhado Gunner, que gritava aflito, sem nenhuma possibilidade de escapar. Richard nadou até o réptil, mergulhando em alguns trechos, e irritou o animal até que ele de decidiu a soltar a “refeição”.

O salvamento do cachorro foi filmado por vizinhos e reproduzido em diversos sites, além de fazer sucesso nas redes sociais. O blog Wildlife Cam entrevistou o tutor, que contou o momento dramático:

“O crocodilo apareceu como se fosse um míssil – uma serpente não teria dado um bote mais certeiro. Ele abocanhou Gunner e começou a arrastá-lo. Em também não parei para pensar: mergulhei na água e tirei o meu cachorro de lá.”

idoso-entra-em-lagoa-para-salvar-cachorro-de-um-crocodilo

Richard e Louise são de Austin, no Texas, na região montanhosa do Estado do centro-oeste americano. Eles decidiram se mudar para a Flórida há quatro anos, quando a casa onde moram ficou disponível. Um dos filhos do casal vive em Bonita Springs, no litoral do Estado, distante 60 km de Estero. A família está acostumada com as características do sul do país.

Ao Wildlife Cam, Louise disse que ela e o marido se prepararam durante anos para a mudança. Eles projetaram os móveis, plantas e objetos de decoração perfeitos para a casa na zona tropical – a casa realmente parece um pequeno museu kitsch.

Gunner veio fazer o lar mais feliz. Tanto Louise quanto Richard concordam que, desde o ataque do crocodilo, o pequeno cavalier king charles é ainda mais amado por eles. Eles já tinham avistado veados, perus selvagens, linces e até um puma, mas um réptil típico da Flórida, foi a primeira vez.

O casal diz não ter raiva do crocodilo. Ele estava apenas seguindo os próprios instintos, garantindo a sobrevivência por mais um dia. Gunner também não ficou traumatizado: ele continua explorando os terrenos em volta da casa e adora nadar na lagoa.

Veja o vídeo do resgate:

Postagens Relacionadas