Menina de 7 anos cata latinhas para comprar ração para cachorros de rua

O mais impressionante é que a ração é para cães de rua. Confira e emocione-se.

Uma menina de apenas sete anos que vive na capital gaúcha está dando um exemplo que deve ser seguido não apenas por crianças. Isabel – este é o nome da nossa jovem heroína – é apaixonada por animais. Os pais contam que a atração se tornou visível quando ela ainda era pequena.

Isabel parece ter um carinho especial pelos cães de rua. Os olhinhos dela não escondem: se pudesse, levaria todos eles para casa.

Da mesma forma, ela não pode alimentar todos os cães que encontra pela frente. A família desta menina não teria condições financeiras para arcar com a despesa. Foi isto que os pais explicaram para a pequena Isabel, que ainda não tinha completado sete anos.

As latinhas

A menina começou a pensar em como resolver o problema – afinal, os seus amigos de quatro patas que vivem nas rua têm fome, e já foi dito que “quem tem fome, tem pressa”.

Isabel encontrou uma solução inusitada: catar latinhas, para vender em cooperativas de reciclagem. A família da menina não incentivou, mas também não proibiu a iniciativa: todos imaginaram que a garotinha iria se cansar e encontrar outra coisa para se distrair.

Não foi isto que aconteceu. Todos os dias, depois das aulas, Isabel sai pelas ruas próximas à sua casa com um saco plástico em busca de latinhas. Todo o dinheiro arrecadado (que, na verdade, é muito pouco) é usado para comprar ração para os cães de rua.

Ao que tudo indica, a recompensa de Isabel é ver a alegria dos animais. Muitos deles já conhecem a menina e seguem-na nas suas andanças em busca de latinhas. E Isabel segue firme em sua missão de melhorar a vida dos animais.

Na verdade, a recompensa é infinitamente maior. De forma inconsciente, ela sabe que os cães – de raça ou de rua, não importa – são seres leais, amorosos e puros, que querem dar apenas amor e carinho. É isto que Isabel recebe no dia a dia, mas algumas surpresas sempre surgem no caminho da menina.

Glória do desporto nacional

A menina tímida de sete anos tem outra paixão além dos cães. Mas não é segredo: sempre que pode, ela sai para catar latinhas vestindo a camisa do seu time de futebol do coração: o Sport Club Internacional. Isabel gosta em especial de um jogador: Andrés D’Alessandro, o craque argentino, meio-campista do Inter.

As andanças de Isabel em busca de latinhas e o seu empenho em comprar ração para os cães de rua não demoraram para chegar à internet.

Os internautas (milhares deles) decidiram fazer uma campanha através das redes sociais. A ideia era que os vídeos da menininha andando pelas ruas atrás de latinhas chegassem até o jogador do Internacional, o que não foi nada difícil.

O jogador também se convenceu com a história e a persistência de Isabel. D’Alessandro, porém, não se limitou a curtir as postagens que contavam parte da história desta menina de sete anos. O atleta de 37 anos decidiu conhecer a menina e ajudá-la em sua campanha em favor dos cães de rua.

Isabel foi levada até o centro de treinamento do Inter, onde conheceu o seu ídolo e vários outros jogadores do time. A menina ganhou cestas básicas, material escolar, brinquedos e, é claro, muitos quilos de ração para cães. Os vira-latas de Porto Alegre – pelo menos os que conhecem Isabel – agradecem.

Veja o vídeo:

O alumínio

Isabel segue o exemplo de milhares de brasileiros, que diariamente recolhem latas de alumínio para a reciclagem. O material é abundante: pesquisas indicam que cada brasileiro consome 54 latinhas a cada ano.

Há 18 anos, o Brasil é campeão mundial em reciclagem de alumínio: 98,4% desse material é reaproveitado (no mundo, o percentual é de 75%).

A atividade informal, adotada por pessoas sem emprego formal (na maioria dos casos, nem mesmo informa), injeta mais de R$ 800 milhões a cada ano. Em apenas um mês, uma latinha pode ser comprada, usada, coletada, reciclada e transportada em latinha de novo.

Compartilhe essa história com seus amigos nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *