Menino vende sua coleção de pokémons para tratar cachorro doente

Por: em

Bryson Kliemann decidiu vender sua coleção de cartas do Pokémon depois de saber que seu cão precisava de um procedimento médico muito caro.

Um menino de oito anos está disposto a tudo para garantir a saúde e bem-estar do seu melhor amigo, que está doente. Ele anunciou a venda de uma coleção de cartas de Pokémon – provavelmente, seu bem mais precioso – para custear o tratamento do cachorro.

Seguir Cães Online no Facebook

A história se espalhou em Lebanon, uma pequena cidade da Virgínia (Estado na costa leste dos EUA), com pouco mais de três mil habitantes. As publicações nas redes sociais do garoto e de sua mãe viralizaram, atingindo dezenas de milhares de curtidas e compartilhamentos.

menino-vende-pokemons-para-tratar-cachorro-doente
CRÉDITO: KIMBERLEY WOODRUFF

Para entender o caso

Bryson Kliemann é um menino de oito anos e também o orgulhoso tutor de Bruce, um cãozinho de quatro meses de idade. No início de maio de 2021, Bryson e sua mãe, Kimberly Woodruff, observaram que Bruce não estava se sentindo muito bem e procurando ajuda veterinária.

Kimberly foi entrevistada pela ABC News e disse: “Bruce é um cachorrinho muito brincalhão e realmente não estava se movimentando. Ele não estava saindo da caixinha, ele não estava se alimentando”.

Durante a consulta com o veterinário, Bruce foi diagnosticado com parvovirose, doença infectocontagiosa transmitida por um vírus minúsculo (mesmo para um vírus – daí o nome: “parvus”, em latim, significa “pequeno”), mas potencialmente letal, especialmente quando se trata de filhotes.

menino-vende-pokemons-para-tratar-cachorro-doente-1
CRÉDITO: KIMBERLEY WOODRUFF

A parvovirose ainda não tem cura: não existem antivirais eficientes para combater este vírus. O tratamento consiste em atenuar os sintomas (principalmente vômitos e diarreia), repor os líquidos perdidos e eventualmente combater infecções secundárias.

Os orçamento do médico para efetuar os procedimentos necessários para o tratamento da doença de Bruce atingiu US$ 700 (cerca de R$ 3.500 pela cotação atual), valor que a família de Bryson não tinha condições de custear.

Bryson afirmou aos repórteres: “Isso (o diagnóstico e os riscos) me deixou muito triste, porque geralmente meu irmão e minha irmã (mais velhos) brincam juntos e eu não tenho com quem brincar. Então, o Bruce é o meu parceiro de jogos e brincadeiras”.

Preocupado em perder o parceiro e amigo, Bryson decidiu resolver a questão sozinho. Ele sempre gostou dos pokémons e tinha uma coleção de cartões dos monstrinhos japoneses acumulada durante quatro anos.

Bryson deve ser dotado de espírito empreendedor. Ele montou uma banca no portão da casa, expôs os cartões e afixou uma placa com os dizeres: “Venda de Pokémon – US$ 4”. Para pagar o tratamento de Bruce, o menino precisava encontrar clientes interessados em adquirir pelo menos 175 cards dos personagens do desenho animado.

Kimberly não estava em casa quando o menino tomou a iniciativa, em 04.05.21, mas seu marido enviou uma foto do menino em ação na rua, tentando vender os cartões com a placa promocional feita de próprio punho.

Menino vende sua coleção de pokémons para tratar cachorro doente
CRÉDITO: KIMBERLEY WOODRUFF

O Washington Post, um dos jornais de maior circulação dos EUA, informou em matéria que Bryson conseguiu vender os cartões de Pokémon por valores de US$ 5 a US$ 10 por unidade. Muitos internautas também descobriram a promoção através das redes sociais, mas, ao invés de comprar os cartões, decidiram mandar dinheiro – e mais cartões dos Pocket Monsters.

Kimberly Woodruff decidiu dar início a uma campanha de doação através do GoFundMe, a maior plataforma de arrecadação de fundos do mundo – uma espécie de vaquinha virtual. O próprio GoFundMe entrou em contato com a família, depois de ter tomado ciência da situação de Bryson e Bruce.

Em poucos dias, a campanha do GoFundMe superou em muito o objetivo proposto: apesar de ter sido estabelecida uma meta de US$ 800, Bryson arrecadou mais de US$ 15 mil em apenas uma semana de divulgação.

Em 10.05.21, Kimberly atualizou o status na plataforma, informando aos internautas que seguiam o desenrolar da história que Bruce foi submetido a todas as terapias necessárias e está se recuperando sem sequelas da parvovirose.

A mãe de Bryson informou ainda que todo o dinheiro extra arrecadado será usado em favor de outros animais cujas famílias não tenham recursos financeiros para arcar com os custos de eventuais tratamentos de saúde.

Moral da história

Kimberly Woodruff finalizou as atualizações agradecendo aos doadores: “Bryson e eu só queremos agradecer a todos por tudo que fizeram por nós. Ele recebeu muito amor e apoio de todos os EUA e está bem o suficiente para ajudar outras famílias e recompensar a si mesmo também”.

Bruce é um caso raro de filhote que se recuperou completamente da parvovirose. A doença é fatal em mais de 80% dos casos e deixa sequelas na maioria dos sobreviventes, uma vez que afeta o sistema nervoso central e compromete os movimentos.

Mas é importante lembrar que todo este drama poderia ter sido evitado com muita facilidade. A parvovirose é uma doença transmissível de cachorro para cachorro, mas pode ser prevenida com a imunização.

As vacinas múltiplas (V8, V10 e V12 – as duas primeiras são mais usadas no Brasil) impedem que os animais expostos ao vírus desenvolvam a doença. É mais fácil prevenir do que remediar. Às vezes, remediar é uma tarefa impossível.

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News