Morador de rua divide sua pouca comida com o seu melhor amigo

Por: em

Um homem sem teto surpreendeu ao dividir o alimento com seu melhor amigo: o cachorro. 

Uma mulher que passava pela rua ficou sensibilizada com a situação de um morador de rua, aparentemente em situação bastante precária. A transeunte decidiu ajudar o sem teto e surpreendeu-se: ao oferecer um pedaço de frango, o homem rapidamente foi dividir o alimento com o melhor amigo que o acompanha sempre: um cachorro. 

Não se pode dizer que seja uma regra, mas, muitas vezes, quem menos tem é o menos egoísta. Pelo menos neste caso, o ditado: “quanto mais tem, mais quer” se mostrou verdadeiro. O morador de rua nem sequer pensou duas vezes antes de dividir o alimento com o seu companheiro de quatro patas. 

Morador de rua divide sua pouca comida com o seu melhor amigo

A história 

O fato aconteceu em Lima, a capital do Peru. Ângela Paloma estava voltando do trabalho para casa, quando se deparou com um homem pedindo ajuda. Ele estava na frente de um restaurante de galeto – a famosa “televisão de cachorro”. 

O sem teto fazia sinais e gestos, mas pouca gente dava atenção – o homem, que tem dificuldades para se comunicar e sofre de distúrbios pisquiátricos, parecia invisível. Ângela contou o dinheiro disponível e era o suficiente para comprar um quarto de frango assado. A peruana entregou o pacote para o morador de rua e ficou surpresa com a reação. 

Morador de rua divide sua pouca comida com o seu melhor amigo

O homem rapidamente dirigiu-se até um cachorro, que aparentemente o esperava um pouco adiante. Ele abriu o pacote e começou a comer o frango imediatamente, depois de oferecer um bocado para o companheiro peludo. 

Ângela Paloma decidiu postar a experiência em suas páginas nas redes sociais. Ela criou um álbum especial no Facebook, chamado “Rescates y Agradecimientos”. A peruana contou a história emocionante de partilha, amor e cuidado. 

A mulher também decidiu dar início a uma campanha para esterilizar o peludo faminto que encontrou na rua. O objetivo é impedir que outros animais nasçam em situação tão precária quanto a da dupla que casualmente estava em seu caminho. 

Confira o relato de Ângela Paloma e as curtidas e compartilhamentos que obteve com a sua postagem. Um detalhe impressionante é quando a peruana reflete sobre a insensibilidade das pessoas: “Como todos podem ser tão indiferentes?” – questiona a mulher. 

Ângela acabou descobrindo que se trata de uma cadela: a fiel companheira do peruano que vive nas ruas de Lima. A mulher arrecadou fundos para castrar a cachorra e também para garantir a segurança do animal no período pós-operatório.