Mulher flagra sua cachorra idosa aconchegada a um gato de rua

O flagra aconteceu na varanda: a tutora encontrou a cachorra abraçada a um gato de rua.

Um gato de rua mudou a rotina em uma casa: aparentemente, ele resolveu que a varanda é o “lar” dele. Liz Heck vive com a cachorra Cheeky (“atrevida”, em português), que já tem 14 anos de idade. Certa manhã, a tutora flagrou a cachorra idosa aconchegada ao felino, que parecia estar muito bem instalado junto à mãe postiça.

Apesar do nome, Cheeky é uma cachorra extremamente dócil. Ela nunca conheceu um gato com quem não pudesse fazer amizade. O motivo para esta dedicação é que a mãe de Liz tem o hábito de acolher gatos de rua e posteriormente encaminhá-los para lares definitivos.

mulher-flagra-a-cachorra-aconchegada-a-um-gato-de-rua
INSTAGRAM/ SAPAWSFORADOPTION

Um gato diferente

Este gato especificamente revelou ser um desafio para Cheeky. Há seis meses, ele passou a frequentar a varanda de Liz, em busca da ração grátis que a jovem mantém à disposição para os animais de rua que vivem na vizinhança.

Nas primeiras incursões, o gato chegava furtivamente, comia o mais rápido que podia e desaparecia nos telhados dos vizinhos. Gradualmente, porém, o felino foi se tornando mais confiante e passou a explorar outras áreas da propriedade, como o quintal e o jardim de Liz.

Em pouco tempo, o gato circulava livremente na área externa, sempre durante as madrugadas – ele não parecia muito interessado em estabelecer contato com caninos e humanos. Aos poucos, ele foi ficando mais e mais tempo: o felino estava se apoderando do território.

mulher-flagra-a-cachorra-aconchegada-a-um-gato-de-rua
INSTAGRAM/ SAPAWSFORADOPTION

Trata-se de um belo gato listrado, com pelagem preta e cinza padrão tortie (tartarugado). Ele passou a viver no telhado, abrigando-se à noite na varanda, protegida contra o frio e o vento, mas não queria interagir com mais proximidade.

O marido de Liz contou mais tarde ao The Dodo: “Certa manhã, Liz abriu a porta para deixar Cheeky sair para o quintal, sem saber que o gato estava rondando. Com medo, o felino arranhou o focinho da nossa cachorra e disparou em direção ao telhado”.

A ousadia do gato sem-teto chocou o casal Heck, mas eles sabiam que o felino estava ali por um motivo crucial: ele precisava se proteger dos perigos das ruas e também garantir o “pão nosso de cada dia”. O gatinho se acostumou com a segurança e estabilidade da casa e decidiu tomar posse.

mulher-flagra-a-cachorra-aconchegada-a-um-gato-de-rua
INSTAGRAM/ SAPAWSFORADOPTION

Liz e o marido resolveram promover a aproximação entre os dois peludos. Lentamente, mantendo uma distância segura, eles trouxeram Cheeky para perto do gato, mostrando que ele estava seguro, que não havia nenhum perigo ali: Cheeky com certeza não iria fazer nada para machucá-lo.

Durante alguns meses, porém, a rotina se manteve: o gato passava praticamente o tempo todo no quintal, na varanda ou no telhado, mas não permitia que ninguém se aproximasse. Até que ele entendeu que os outros “animais” da casa eram amigos e protetores.

Cheeky insistiu na aproximação. Ela é efetivamente uma cachorra de resgate, sempre preocupada com o bem-estar dos outros animais que se aproximam. Pouco a pouco, a cachorra e o gato passaram a interagir.

O flagra

Mas Liz não sabia que os dois peludos tinham ficado tão próximos até que, certa manhã, curiosa por não ter sido acordada por Cheeky, que costuma cumprimentar a família humana com muitos afagos sempre que o Sol nasce, a tutora resolveu descobrir o que estava acontecendo de especial.

Ao abrir a porta da varanda, Liz deparou-se com uma cena especial: Cheeky e o gato sem-teto estavam aconchegados um ao outro, dormindo juntos, transmitindo calor e conforto: a cachorra idosa tinha convencido o felino de que não representava uma ameaça e era um ótimo edredom para as noites frias.

mulher-flagra-a-cachorra-aconchegada-a-um-gato-de-rua
INSTAGRAM/ SAPAWSFORADOPTION

O bravo coração do gato nervoso tinha sido definitivamente conquistado pelo cachorra paciente: Cheeky havia feito a sua mágica especial e os dois peludos acabaram se tornando grandes amigos.

Evidentemente, o gato foi adotado pelo casal e recebeu o nome de Sushi. Ele ainda está desconfiado e nunca entra na casa, mas Liz providenciou uma almofada térmica, instalada em uma caixa de papelão nos fundos do terreno.

Sushi, no entanto, prefere dormir na casa de Cheeky. Os dois amigos passam boa parte do tempo juntos, brincando e explorando o ambiente. Até mesmo durante os passeios diários da cachorra idosa, o gato faz questão de acompanhá-la pela rua.

O gato foi levado ao veterinário, onde recebeu medicamentos contra parasitas internos e externos. Ele já era esterilizado, mas está recebendo a atualização da carteira de vacinação. Sushi não gostou nem um pouco dos cuidados, mas, desde que ele resolveu por conta própria morar na casa, agora o gato tem uma família. E laços muito especiais com Cheeky: Sushi é o dono da varanda e parece ser também o dono da cachorra.

Postagens Relacionadas