Mulher russa de 65 anos pula em rio congelado para salvar cachorro

Ao ver o cachorro se afogando, esta idosa não pensou duas vezes: saltou no rio para salvar o pet.

O inverno russo é conhecido pelas baixas temperaturas, que baixam até 20°C negativos. O rigor do tempo é famoso por ter ajudado a derrotar nada menos que as forças de Napoleão Bonaparte e de Adolf Hitler. Esta idosa russa, no entanto, não pareceu se importar com nada disso ao se deparar com um cachorro se afogando em um rio congelado.

Sem pensar muito no que estava fazendo, ela saltou para quebrar o gelo da superfície e mergulhou nas águas do rio Rossosh, no Oblast de Voronej, sudoeste do país. As imagens foram feitas em 06.02.22, chegaram às redes sociais e viralizaram, como não poderia deixar de acontecer.

O salvamento

Galina Voskovykh, uma idosa de 65 anos, estava caminhando pelas margens do rio Rossosh, na cidade homônima, quando se deparou um husky siberiano correndo sérios riscos. Ele havia se aventurado pela superfície congelada do rio e, em determinado ponto, o gelo cedeu e o animal foi tragado pela água.

Mulher russa de 65 anos pula em rio congelado para salvar cachorro

Como é fácil de prever, o cachorro ficou encalhado entre as placas de gelo. Além disso, a temperatura corporal do cachorro declinou rapidamente e ele não conseguia controlar os movimentos com facilidade. O husky siberiano precisava de ajuda.

A Sra. Voskovykh estava caminhando com amigos, quando ouviu os ganidos de um cachorro, mas não conseguia identificar a origem do choro. Em alguns momentos, no entanto, o grupo avistou o husky preso no gelo.

A idosa poderia ter simplesmente acionado o serviço de resgate da cidade, ou deixado a tarefa de salvamento para alguém mais jovem e resistente, mas Galina Voskovykh confiou no próprio condicionamento físico e partiu para o resgate.

Mulher russa de 65 anos pula em rio congelado para salvar cachorro

As imagens do resgate, capturadas por anônimos que também transitavam pelas margens do rio, viralizaram nas redes sociais e atraíram a atenção da imprensa do mundo inteiro. A notícia está nos principais sites noticiosos, como o britânico Daily Mail.

A idosa pode ser vista sem roupas, vestida apenas de sutiã e calcinha, no momento do salvamento. Ela deve ter experiência em situações semelhantes, porque não é aconselhável mergulhar com roupas pesadas – elas podem se encharcar e tornar-se um peso a mais para ser içado das águas.

O animal estava exausto e não pôde colaborar muito no salvamento. A mulher empurrou o husky siberiano para fora do gelo quebrado, saiu da água e arrastou-o até as margens cobertas por neve.

Mulher russa de 65 anos pula em rio congelado para salvar cachorro

Os moradores da cidade que passavam pelo local não foram corajosos como Galina Voskovykh – ou tiveram mais cautela e sensatez do que ela. Apenas quando a heroína do dia se aproximou da margem com o cachorro resgatado, surgiram alguns transeuntes para ajudar a puxar o animal.

A idosa chegou bem a tempo. Com as temperaturas extremamente baixas, é possível observar que o gelo começa a refazer a cobertura do rio, à medida que o cachorro reduz os movimentos, parando de se debater (provavelmente, ele estava hipotérmico). Em questão de instantes, o rio estaria novamente congelado e o cachorro, afogado.

Dias depois, em entrevista à Gazeta.ru, site noticioso de Moscou (a capital da Rússia), relatou a experiência de salvamento:

“No domingo (06.02), eu estava andando com amigos pela beira do rio e ouvi o choro lamentoso de um cachorro. Havia um husky siberiano preso na água perto da margem. Ele não conseguia atravessar o gelo e voltar para a terra.”

“Eu não pensei duas vezes. Despi a minha roupa e pulei na água. Havia muitos pedaços de gelo e, por isso, o cachorro não conseguia se desembaraçar. Eu o ajudei, quebrei o gelo com o meu próprio corpo.”

mulher-russa-salva-cachorro-em-rio-congelado

Aparentemente, a heroína russa não se deu conta da magnitude do gesto. Depois de salvar o cachorro, ela ainda o estimulou a correr alguns metros na margem do rio, para secar o pelo e regular a temperatura corporal.

A idosa disse à reportagem que costumava nadar no inverno e estava acostumada às baixas temperaturas. Ela suspendeu a atividade durante a pandemia de Covid-19. Ela disse ainda que nem todos os comentários nas redes sociais foram positivos: alguns internautas disseram que o salvamento foi “estúpido” e “perigoso”.

Mas Galina Voskovykh afirma que não fez nada para se colocar em risco. Ela tinha consciência de que estava em condições de resgatar o cachorro. E, de uma forma ou de outra, o animal precisava ser retirado da água gelada.

A idosa não se considera uma heroína, talvez por não ter noção plena da grandiosidade da atitude. Para finalizar a entrevista, ela disse simplesmente: “Não, eu não me considero uma heroína. Acho que qualquer um faria o mesmo”.

Veja o vídeo do salvamento:

Postagens Relacionadas