Pandora, a cachorra perdida durante conexão da gol, segue desaparecida

A companhia aérea perdeu Pandora no Aeroporto de Guarulhos. A cachorra está desaparecida.

Desde o começo de dezembro de 2021, a vida do garçom Reinaldo Júnior está virada do avesso. Ele embarcou para um voo entre Recife (PE) e Navegantes (SC), mas, na conexão no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, a cachorra que havia embarcado com ele no dia 15 foi perdida pela companhia aérea.

Para transportar a cachorra no avião, a família pagou R$ 850 pela passagem, além de terem adquirido uma caixa de transporte especial, de acordo com o porte do animal de estimação, no valor de R$ 650.

Reinaldo também perdeu a viagem. Desde que percebeu que Pandora – este é o nome da cachorra – estava extraviada nas dependências do aeroporto, o garçom está em uma verdadeira guerra para encontrá-la. O tutor critica a atuação da Gol Linhas Aéreas, a quem acusa de negligência.

pandora-a-cachorra-perdida-no-aeroporto
Foto: Instagram @reinaldojuniorpandora

Inicialmente, os responsáveis pelo voo informaram que não havia imagens registrando a operação de transferência da carga entre as aeronaves, mas os tutores de Pandora conseguiram obter um vídeo que mostra a cachorra correndo pelas dependências internas do aeroporto – perigosamente perto da pista de pousos e decolagens.

Na gravação, é possível observar que alguns funcionários – não se sabe se da GRU Airport ou da companhia aérea – percebem a cachorra perdida correndo entre os volumes embarcados, mas nada fazem para capturar o animal, que continua em risco.

Para entender o caso

Pandora viajava com o tutor e, de acordo com funcionários da Gol e do GRU Airport (concessionária que administra o aeroporto paulista), ela teria escapado da gaiola de transporte durante a transferência das bagagens entre as aeronaves – o voo fez uma conexão em Guarulhos, na qual carga e passageiros foram realocados em outro avião da empresa.

Reinaldo e a mãe, Terezinha Bezerra, não puderam seguir viagem, já que a cachorra estava perdida em uma cidade totalmente estranha. A empresa aérea chegou a custear as despesas com a hospedagem dos tutores, mas, no final do ano, simplesmente informou que o resultado das buscas foi infrutífero e deu o caso por encerrado.

Pandora, a cachorra perdida durante conexão da gol, segue desaparecida
Foto: Instagram @reinaldojuniorpandora

Em casos semelhantes, as buscas e o alerta pet, que é divulgado na internet quando um animal se perde durante embarques e desembarques, são mantidos por apenas cinco dias. A Gol cancelou os serviços da empresa contratada para procurar Pandora em 20.12.21.

Mas os cães farejadores empregados para tentar localizar a cachorra haviam dado sinais de que Pandora ainda estava na área do aeroporto, entre o setor de cargas e a mata que circunda o local, de acordo com a advogada Evelyne Paludo, contratada pela família do pet.

Uma entidade de defesa dos animais também decidiu auxiliar nas buscas. A equipe dos ativistas esteve no aeroporto com outros cachorros farejadores, que detectaram o cheiro de Pandora e conseguiram limitar a área de busca – as instalações do aeroporto ocupam 14 km2, mas os cães delimitaram um espaço de pouco mais de 2 km2.

Há uma grande chance de a cachorra ainda estar nas imediações, pois se trata de uma área de segurança, fechada e, pelo menos em teoria, sem espaço para fugas.

O tutor de Pandora entrou na justiça para impedir que o caso da cachorra fosse simplesmente ignorado e, em 06.01.22, a juíza Fabiana Feher Recasens, plantonista do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), reverteu a situação.

Quando a empresa aérea encerrou as buscas, Reinaldo e a mãe chegaram a ser “convidados a desocupar” o quarto de hotel em que estavam hospedados. Felizmente, graças à decisão judicial, a Gol terá de continuar arcando, por mais 30 dias, com as despesas de hospedagem e alimentação dos tutores, que seguem aflitos, sem notícias de Pandora.

A companhia aérea também foi obrigada a contratar os serviços de uma empresa especializada na busca de animais extraviados por mais dez dias. A Gol e a GRU Airport também estão obrigadas a permitir o acesso dos especialistas em buscas e da família de Pandora nas dependências internas do Aeroporto de Guarulhos.

Com os novos desdobramentos do caso, a Gol Linhas Aéreas emitiu uma nota oficial, informando que contratou duas empresas para auxiliar nas buscas. A companhia também se comprometeu a revisar todas as etapas do transporte de animais de estimação em suas aeronaves.

A cachorra continua extraviada, apesar dos esforços das empresas de buscas e da família, que chegou a imprimir folhetos com a imagem de Pandora para distribuir nas imediações do aeroporto. Reinaldo e a mãe também estão usando as redes sociais, na tentativa de encontrar alguma pista sobre o destino de Pandora.

Temos esperança que em breve a Pandora e pai humano estarão juntos novamente. COMPARTILHE PARA QUE MAIS PESSOAS SAIBAM E POSSAM AJUDAR!

Postagens Relacionadas