Pitbull fica grávida de pinscher miniatura e recupera saúde após cirurgia

“Tears in Heaven”

Apesar da surpresa, a família ficou feliz com a notícia da gravidez e até começou a providenciar uma relação de possíveis adotantes, entre amigos e familiares. No entanto, exames de imagens para acompanhar a gestação mostraram que Kiara estava em risco e não conseguiram verificar os batimentos cardíacos das crias.

A cadela acabou perdendo os filhotes e precisou ser internada para se submeter a uma cirurgia abdominal que visava retirar os fetos mortos. No procedimento, foi identificado um tumor, que se não fosse pela suspeita da tutora, nunca teria sido diagnosticado.

pitbull-fica-gravida-de-pinscher-miniatura

A cachorra pitbull desenvolveu uma neoplasia no mesentério, órgão formado por uma dobra dupla do peritônio (revestimento da cavidade abdominal), que permite ao intestino se manter na posição adequada.

A pitbull felizmente já está se recuperando em uma clínica e responde bem aos estímulos e comandos da equipe de saúde. O tumor constatado durante a cirurgia é relativamente raro entre cães e estava muito desenvolvido. Provavelmente, os fetos não tiveram espaço no útero materno para continuar se desenvolvendo.

Tudo aconteceu de forma muito rápida. Bruna levou Kiara para o consultório médico no início de julho de 2021; menos de um mês depois, a cirurgia para retirada do tumor foi realizada. A cadela e a tutora passaram por fortes emoções em menos de dois meses.

Kiara, que ainda é muito jovem, foi esterilizada, para impedir futuras gestações e alguns problemas ginecológicos: mais de 80% das cadelas não castradas (e a quase totalidade das gatas nesta condição) desenvolvem problemas como piometra e tumores uterinos.

pitbull-fica-gravida-de-pinscher-miniatura

Em tempo!

Acasalamentos não desejados – quando não se pretende dar início a uma criação de cachorros – devem ser evitados ao máximo. A forma mais simples é a castração, que pode ser realizada entre os seis e oito meses de idade dos pets. Algumas cidades brasileiras promovem campanhas públicas e gratuitas de esterilização.

O cruzamento entre cães grandes e cadelas pequenas é contraindicado por razões óbvias: a estrutura genital das fêmeas não é proporcional à dos machos, resultando sempre em lesões, que podem inclusive ser fatais.

No caso dos machos pequenos, a monta é difícil (muitas vezes, impossível), mas o perigo principal está na finalização do ato sexual, quando os dois cachorros ficam com os órgãos genitais presos um ao outro (é quando geralmente ocorre a transferência do esperma para o organismo feminino). Existe risco real de lesões severas para ambos, especialmente para os machos.

Além disso, os embriões podem herdar o porte físico dos pais, não conseguindo se adaptar ao útero materno: é como se “sobrasse muito espaço para eles”. Nesses casos, os abortos espontâneos são comuns e as cadelas podem sofrer hemorragias graves

PRÓXIMA HISTÓRIA

Postagens Relacionadas