Reencontro emocionante de uma mulher e seu cachorro perdido por 3 meses

Por: em

Cachorro perdido por três meses finalmente reencontra a tutora. O reencontro é emocionante…

Sol Salum é uma moradora de Bahia Blanca, cidade argentina a 650 km de Buenos Aires, às margens do oceano Atlântico. A vida desta jovem seguia tranquila até outubro de 2020, quando teve início o seu pior pesadelo: ela perdeu o seu companheiro.

Ao retornar do trabalho, Sol não encontrou Congo, um cachorro que sempre esteve ao seu lado. Congo deve ter fugido de casa, aproveitando o vaivém de alguns pedreiros que lá estavam trabalhando e deixaram a porta aberta.

Os prestadores de serviço, na verdade, estavam justamente trabalhando na porta da frente. O cachorro aproveitou o descuido e decidiu explorar as redondezas, mas provavelmente não conseguiu encontrar o caminho de volta para casa.

Reencontro emocionante de uma mulher e seu cachorro perdido por 3 meses
Créditos: Sol Salum

Tentativas de resgate

De acordo com a tutora, Congo gosta de correr e consegue correr muito rápido – e difícil acompanhá-lo. Quando os pedreiros se deram conta, o fujão já estava longe de casa. A novidade deixou Sol arrasada.

O aniversário de Congo estava se aproximando e Sol não queria de estar com ele para comemorar a data. Ela esquadrinhou as quadras no entorno e afixou dezenas de cartazes com fotos do cachorro nos postes, na esperança de encontrá-lo rapidamente.

Reencontro emocionante de uma mulher e seu cachorro perdido por 3 meses
Créditos: Sol Salum

A tutora também postou sobre o desaparecimento nas redes sociais, sempre na esperança de tê-lo de volta em casa. Sol disse à imprensa que praticamente toda a população de Bahia Blanca havia compartilhado o post. Ela recebeu dezenas de dicas, mas também foi vítima de trotes e informações desencontradas.

Sol disse não ter acreditado que Congo pudesse sumir sem deixar rastros. O cachorro tem uma plaquinha com os dados de identificação presa à coleira, para casos de perda ou fuga. A tutora chegou a incluir um QR code, com os dados do animal e contatos com a casa em que vivem.

O reencontro

A busca por Congo, no entanto, estendeu-se por muito mais tempo do que Sol esperava. Ela acreditar que reencontrar o cachorro seria uma coisa de rotina, mas a procura arrastou-se por mais de três meses.

mulher-reencontra-cachorro-perdido-por-tres-meses-1
Créditos: Sol Salum

Finalmente, em 20.01.21, 102 dias depois da fuga, Sol recebeu informações sobre um cachorro com características parecidas às de Congo. O animal estava vagando pelas ruas, aparentemente sem a presença e tutela de nenhum humano.

As pessoas que transmitiram as informações enviaram também a foto do cachorro “sem teto”, que se parecia muito com Congo, apesar de magro e maltratado. O animal foi avistado distante dez quilômetros da casa de Sol.

A tutora decidiu, mais uma vez, seguir a dica, apesar de já ter se deslocado sem sucesso para várias regiões da cidade em busca de Congo. Ao chegar ao local indicado, Sol ficou um pouco decepcionada, pois não havia sinal do cachorro.

Reencontro emocionante de uma mulher e seu cachorro perdido por 3 meses
Créditos: Sol Salum

Finalmente, um cachorro marrom apareceu, acompanhado de uma senhora. Sol não se conteve e imediatamente chamou o animal. Ao ouvir o nome, Congo deu meia volta imediatamente e correu para os braços da tutora.

Sol disse que Congo ficou tão feliz com o reencontro que não conseguiu nem sequer segurar o xixi. Ele voou na direção da tutora e começou a mordiscar o seu rosto. Não havia dúvida, era o bichinho perdido mais de três meses antes. O reencontro foi cheio de emoções, beijos, abraços e muito carinho.

mulher-reencontra-cachorro-perdido-por-tres-meses-4
Créditos: Sol Salum

Sol fotografou Congo ali mesmo, na rua, e postou as imagens em diferentes redes sociais, para mostrar a felicidade que estava sentindo. Foi o suficiente para centenas de internautas também se emocionarem com a história e o final feliz.

A tutora carregou o cachorro no colo e colocou-o no banco do carona do carro. No trajeto de volta para casa, Congo adormeceu. Sol conta que ele acordou assustado algumas vezes, mas, assim que olhava para ela, voltava a se tranquilizar.

Congo voltou para casa, mas parece ter adquirido novos hábitos. Durante os passeios, ele fica rente à perna de Sol – ele não quer correr riscos. Quando encontra sacos de lixo, o cachorro exibe uma alegria imensa, talvez lembrando os tempos em que sacos plásticos se tornaram sinônimo de comida.