Sansão, o cachorro que teve as patas decepadas, ganha cadeira de rodas

Por: em

O pit bull Sansão, que teve as patas traseiras decepadas, volta a andar com cadeira de rodas.

Esta história começa com cenas dignas de um filme de horror. O american pit bull terrier Sansão, que vive no bairro Capim Seco, em Confins (MG), teve as duas patas traseiras amputadas em uma ação criminosa. Felizmente, o cachorro recebeu a doação de uma cadeira de rodas e já está se adaptando à nova maneira de caminhar.

O crime ocorreu no final da tarde da segunda-feira, 06/07/20 e os suspeitos são vizinhos da empresa em que o pitbull Sansão vive e cuida da vigilância.

Sansão, o cachorro que teve as patas decepadas, ganha cadeira de rodas
Foto: Ticiana Lima/ Arquivo Pessoal

De acordo com relato à Polícia Militar do tutor Gleidson Justino da Silva, de 40 anos, o cachorro pulou o muro que separa os dois imóveis, entrando em confronto com o animal dos vizinhos. Como forma de vingança, os suspeitos teriam usado uma foice para decepar as duas pernas traseiras do animal.

O tutor relatou ainda que, para efetivarem a vingança, os dois suspeitos do crime amordaçaram Sansão com arame farpado, motivo por que o cachorro recebeu ferimentos também na boca, focinho e pescoço.

O socorro de Sansão

Sansão foi prontamente socorrido pelo tutor, que acionou a médica veterinária Júlia Mara Santiago. A vítima foi levada a uma clínica em Vespasiano, também na região metropolitana de Belo Horizonte.

A especialista prestou os primeiros socorros no local do crime, imobilizou Sansão e, ao perceber a perda excessiva de sangue (hipovolemia), conduziu o pitbull para a clínica. O pet estava entrando em estado de choque.

Sansão passou por cirurgia para reduzir as patas e, já na terça-feira (07/07), deixou Vespasiano e foi encaminhado para uma clínica-escola na capital mineira, onde está sendo submetido a tratamentos ortopédicos e fisioterápicos. A veterinária Santiago informou que o pitbull já se alimentava sozinho normalmente na quarta-feira (08/07).

Para o sábado, 11/07, a ONG SOS Peludinhos Confins programou um ato de protesto: um buzinaço no km 11 da Rodovia MG-424 Norte, em Confins.

A ajuda a Sansão

Na quinta-feira, 09/07, Sansão recebeu a doação de uma cadeira de rodas, que permitirá a locomoção autônoma do cachorro. Além da cadeira, o tutor afirmou que muitas pessoas de todo o país já o procuraram para oferecer doações.

Ticiana Lima Dornas, veterinária da clínica-escola em Belo Horizonte, informou que a cadeira de rodas foi doada por uma empresa especializada em equipamentos ortopédicos caninos e poderá ser usada em definitivo, mas ainda é possível que Sansão receba uma prótese para uma das pernas arrancadas.

A veterinária afirma que a prótese ofereceria melhor qualidade de vida para o cachorro, que poderá se locomover com três patas com mais facilidade, dispensando a cadeira de rodas, que precisa ser acoplada diariamente para que Sansão possa se movimentar.

Em uma das pernas do cachorro, o procedimento cirúrgico precisou remover praticamente todo o fêmur, o que impossibilita o uso de prótese. Pode-se avaliar a gravidade da agressão apenas por este fato.

Vídeo do canal O TEMPO

As leis de maus-tratos

De acordo com a legislação estadual de Minas Gerais, autores de maus-tratos contra animais silvestres ou domésticos estão sujeitos a multas que variam de 300 a 1.000 unidades de fiscais do Estado, além de terem de arcar com as despesas do tratamento veterinário.

Leia também: Como denunciar maus-tratos aos animais

A legislação brasileira, além da multa, prevê pena de detenção de três meses a um ano, de acordo com a gravidade do ocorrido. A pena pode ser aumentada em um sexto, se a vítima não resistir aos maus tratos.

Gleidson Silva está indignado com leis tão brandas. No caso de Sansão, foi registrado um boletim de ocorrência pela Polícia Militar e um dos suspeitos foi ouvido e liberado para responder em liberdade (o outro fugiu da cena do crime). O Ministério Público de Minas Gerais foi acionado e está acompanhando o caso.