InícioNotíciasSua cachorra tinha poucos meses de vida, então ele a levou em...

Sua cachorra tinha poucos meses de vida, então ele a levou em um último passeio

A cachorra tinha só mais alguns meses. Então, o tutor decidiu levá-la para o último passeio de carro.

Paul Heroux é o prefeito de Attleboro, cidade de pouco menos de 50 mil habitantes, em Massachusetts (nordeste dos EUA). Ele foi também o tutor de Mura, uma cadela da raça cão lobo japonês.

Ao descobrir, de uma maneira um tanto abrupta, que a fiel companheira tinha apenas mais alguns meses de vida – talvez menos –, Heroux decidiu levar a cachorra para um último passeio de carro.

Mura tinha apenas oito semanas de idade quando Heroux a conheceu. Ele disse ao ABC News (um famoso noticiário televisivo) que o primeiro encontro foi decisivo: “Nós olhamos um para o outro e eu pensei: ‘esta é a minha garotinha’. Então, decidi dar-lhe uma casa”.

Depois de partilhar uma vida inteira, no entanto, Mura foi para o céu dos cachorros. É um momento triste para qualquer tutor. O mais importante, no entanto, é poder despedir-se sabendo que contribuiu, da melhor forma possível, para alegrar todos os dias da vida dos nossos melhores amigos.

ultimo-passeio-de-carro-de-uma-cachorra
Créditos: Facebook / paulheroux.org

A doença de Mura

Foram vários anos de camaradagem. Mura sempre gostou de passear e mostrou ser um excelente cabo eleitoral para Heroux, que, antes de ser prefeito, foi representante de Massachusetts em duas legislaturas.

A cachorra sempre seguia o tutor – em inaugurações, comícios, discursos, visitas, etc. Depois de uma visita a alguns eleitores, no entanto, Heroux percebeu que Mura estava arqueando o dorso, um sinal evidente de dor.

No consultório, o veterinário verificou que o baço de Mura havia se rompido. A lesão poderia ter sido provocada por um trauma ou uma doença pré-existente. Mas Heroux tinha certeza de que a cachorra não havia sofrido nenhuma queda.

De manhã, Heroux e Mura estavam visitando um casal de apoiadores e, poucas horas depois, a cachorra estava sofrendo com uma hemorragia interna bastante intensa: uma emergência que poderia levá-la rapidamente à morte.

Mura precisava ser submetida a uma cirurgia urgente e os médicos informaram que as chances de sobrevivência eram de 50%. Felizmente, a cachorra sobreviveu. Mas o prognóstico foi devastador para o tutor.

ultimo-passeio-de-carro-de-uma-cachorra
Créditos: Facebook / paulheroux.org

A cachorra era portadora de um hemangiossarcoma visceral, um tipo de câncer bastante agressivo. O diagnóstico precoce é difícil e, quando Mura foi avaliada depois da cirurgia, constatou-se que o tumor estava muito adiantado. Não havia nada que pudesse ser feito para salvá-la.

Heroux postou nas suas páginas nas redes sociais sobre a situação da cadela, que já era bastante conhecida pelos habitantes de Attleboro. O prefeito recebeu milhares de mensagens de apoio, mas ele sabia que precisava fazer algo mais.

O último passeio

Mura sempre gostou de passear de carro. Quando Heroux foi representante de Massachusetts em Washington, a dupla viajou várias vezes entre Attleboro e a capital americana – uma distância de mais de 670 quilômetros.

ultimo-passeio-de-carro-de-uma-cachorra
Créditos: Facebook / paulheroux.org

Se nada podia ser feito para prolongar a vida de Mura com qualidade, ela poderia pelo menos passar os últimos dias fazendo o que mais gostava: viajar. E foi exatamente isso que a cachorra e o tutor fizeram.

A cachorra precisaria se submeter a sessões de quimioterapia a cada três semanas – apenas para minorar o sofrimento e permitir que ela não sentisse dores e desconfortos. Heroux, portanto, planejou um passeio de carro de duas semanas.

A dupla seguiu para as cataratas do Niágara, na fronteira com o Canadá. Continuando o roteiro, Heroux e Mura passaram por Michigan, Illinois e Wisconsin, até seguir rumo ao sul, em direção à Califórnia.

Eles saíram para “dar uma volta” que se estendeu quase 14 mil quilômetros. Mura posou para fotos em frente a monumentos históricos dos EUA, como o monte Rushmore (Dakota do Sul), o Parque Nacional de Yellowstone (entre Wyoming, Montana e Idaho) e o Grand Canyon (Arizona), até finalmente cruzar a Ponte Golden Gate, em San Francisco.

Heroux contou que Mura ficou bastante animada com a aventura em família. Ela se encantou com todos os lugares por que passou, mas ficou ainda mais contente por poder desfrutar da companhia do tutor com exclusividade – algo raro para quem convive com um político.

Por fim, Mura e Heroux retornaram para Massachusetts. A cachorra não precisou se submeter a mais uma sessão de quimioterapia: ela morreu apenas dois dias depois do retorno. Quando questionado pela imprensa sobre a última coisa que diria à companheira, o tutor afirmou apenas:

“Mura, eu tentei dar a você a melhor vida que pude.”

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações