InícioNotíciasTratador de animais leva um velho cachorro para seu último passeio

Tratador de animais leva um velho cachorro para seu último passeio

Após um dia agradável, embaixo de uma pequena árvore, ao sol, Rogerinho é levado por seu tratador para uma longa caminhada.

O dia estava frio, porém o céu estava azul e os raios de sol invadiam a manhã de inverno. Rogerinho, um vira lata com seus longos anos de experiência, aquecia seu corpo cansado das trombadas que a vida lhe deu. Em seu olhar, a lembrança de um passado distante era recorrente e, para quem acredita o que escorriam de seus olhos não eram apenas simples secreções, mas lágrimas de saudades de um tempo que nunca mais irá voltar.

Rogerinho foi adotado por tratadores de uma universidade, e todos os dias é colocado no sol e fica por lá, esperando a atenção de quem passe. Ao final do dia retorna para o abrigo e assim segue sua vida.

rogerinho-cao-1

O que se sabe a seu respeito é que após fortes chuvas de verão, uma tragédia anunciada tirou muitas vidas e deixou várias vítimas. Rogerinho foi uma delas.

Pelas histórias, o cão andou muito até chegar ali. Suas patas estavam feridas e o corpo carregava vestígios de terra, lama, além de ferimentos que se observava irem além do corpo, rasgavam a alma e desciam pela face.

Naquela manhã, o tratador, talvez entendendo o sofrimento daquele animalzinho, decidiu por fim àquilo tudo. Pegou em sua corrente e seguiu caminhando com Rogerinho em direção ao abatedouro de animais.

Feliz por poder dar uma volta, o cão se levantou no mesmo momento, abanou o rabo, sacudiu o corpo e mais parecia um jovem, cheio de vida, cheio de expectativas.

Tratador e Rogerinho caminharam por muito tempo. Rogerinho correu pela grama, brincou com os pássaros, perseguiu um boi e rolou na lama. A felicidade invadiu a alma daquele ser. Todas as lembranças ficaram para trás e um novo cachorro parecia surgir em meio à alegria.

rogerinho-cao-2

E aquele foi o último passeio que Rogerinho fez naquele dia. Após muito brincar, foi levado novamente para seu abrigo, onde dormiu o sono dos justos e sentiu-se vivo novamente. Nos dias seguintes novos passeios foram realizados e o pequeno grande cão tornou-se o queridinho de muitos que dispunham de seus tempos para dividir com o velho cão, um cão sobrevivente da vida, um cão vencedor.

Hoje Rogerinho aguarda, pacientemente por uma pessoa que queira adotá-lo e dividir com ele momentos mágicos que só quem possui um animal sabe explicar.

RELACIONADOS

Últimas Publicações