Tutor irresponsável deixa cães no capô de uma pick-up em movimento

Imagens foram flagradas por outros motoristas. É um exemplo de comportamento irresponsável.

Um vídeo absurdo está viralizando nas redes sociais dos EUA e já deu a volta ao mundo várias vezes. Nas imagens, é possível observar dois cães no capô de uma pick-up em movimento, correndo todos os riscos possíveis.

Os dois cachorros tentam se equilibrar no capô, enquanto o motorista da pick-up segue em alta velocidade por uma rodovia. Se a ideia era mostrar um comportamento irreverente e contestador, o tutor dos animais errou feio.

O tutor não foi identificado, mas, pelo que se pode ver nas imagens, a pick-up estava trafegando por uma rodovia no Estado de Nova York (nordeste dos EUA), próximo a Latham, um vilarejo do Condado de Albany.

tutor-irresponsavel-deixa-caes-no-capo-de-uma-pick-up-em-movimento

A repercussão

O vídeo mostra os dois animais em pé sobre o capô. A linguagem corporal é clara: os dois cachorros estão com a cauda abaixo da linha do dorso, o que indica estado de atenção e alerta. Evidentemente, os peludos sabiam que estavam correndo risco de morrer.

O motorista – provavelmente o tutor dos dois cães – ainda se deu ao trabalho de forrar o capô da pick-up com o que parece ser um cobertor. O cuidado deve ter sido em não provocar arranhões na lataria, já que a segurança dos animais certamente está longe das preocupações desse tutor irresponsável.

O cobertor pode inclusive ter prejudicado o equilíbrio dos dois cães. Ao que tudo indica, ele foi preso nas laterais do capô, mas, mesmo assim, o tecido se estica com o movimento, facilitando ainda mais a ocorrência de um acidente fatal.

Amantes de pets e ativistas dos direitos dos animais se indignaram com a conduta do motorista. A conduta não pode ser classificada como extravagante nem divertida: no Brasil, o gesto do tutor seria facilmente enquadrado como maus tratos a animais, um crime previsto na legislação.

Nem é preciso dizer que a atitude do tutor é uma coisa totalmente estúpida. Cachorros (e pessoas, entre outros animais) não podem nem mesmo trafegar em caçambas abertas e caminhões e carros, quanto mais sobre o capô, sem nenhum tipo de proteção.

O vídeo foi postado no Reddit. Um dos internautas que visualizou a publicação comentou ter denunciado o caso às autoridades, mas a única resposta que receberam é que “o controle de animais já tinha sido notificado”.

O que diz a lei

Em qualquer lugar do mundo, transportar animais do capô de um carro é considerado pelo menos uma contravenção penal – um ilícito de menor potencial ofensivo.

No Brasil, um flagrante semelhante seria considerado crime, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e a Lei de Crimes Ambientais, que trata sobre comportamentos inadequados em relação a animais.

Passear com cães é uma tarefa divertida e cheia de benefícios para os peludos: eles melhoram a capacidade cognitiva e a orientação espacial, aprendem a interagir com humanos e outros cães e consomem bastante energia.

Passear de carro pode ser um prazer para muitos cachorros. Mas atenção: mesmo aqueles que adoram colocar o focinho para fora devem ser desencorajados, porque isso também não é permitido pela legislação de trânsito.

Em motocicletas, é proibido o transporte de cães e gatos. Em carros e caminhões de qualquer modelo, os tutores e motoristas precisam respeitar algumas regras. As infrações envolvendo os passeios motorizados com os peludos são consideradas médias ou graves, implicando multas e perdas de pontos, e figuram em diversos artigos do CTB.

O artigo 169 dispõe sobre conduzir o veículo sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis para a segurança do motorista e dos passageiros. Quando um cão é transportado solto dentro do carro, os movimentos podem distrair o tutor, que será multado caso seja parado por uma autoridade de trânsito. A infração é considerada média.

O artigo 235 discorre sobre conduzir pessoas, cargas e animais nas partes externas dos veículos (como as caçambas e, claro, o impensável capô). Esse tipo de transporte só é permitido em casos previamente autorizados. Esta é uma infração grave.

Já o inciso II do artigo 252 fala sobre dirigir conduzindo pessoas, volumes ou animais à esquerda do banco do motorista, ou entre os braços ou as pernas. Esta é considerada uma infração média: é proibido aos motoristas levarem os cães no colo – mesmo que se trate de um pequeno chihuahua.

Cães de pequeno e médio porte devem ser levados preferencialmente em gaiolas de transporte devidamente fixadas, no banco de trás dos automóveis. Os animais maiores devem ter a guia presa ao cinto de segurança, sempre no banco de trás.

Desta forma, de acordo com a lei, é proibido:

  • dirigir sem atenção (ou com a atenção podendo ser prejudicada);
  • transportar quaisquer passageiros e cargas nas partes externas dos veículos;
  • transportar animais no banco dianteiro (do carona);
  • transportar animais (mesmo os pequenos) no colo, no piso frontal dos automóveis ou entre o banco e a porta.

Os infratores ficam sujeitos a multas e perda de pontos. Mais que isso, eles podem causar acidentes mais ou menos graves, que podem acontecer mesmo quando um cachorro solto no banco decide fazer um agrado no tutor.

Postagens Relacionadas