Vira-lata caramelo pede carinho para um policial

Ele viu que o policial estava de folga. O vira-lata caramelo não parava de pedir carinho.

O fato aconteceu em Bezerros, no semiárido pernambucano. A internauta Márcia Souza, usuária do Facebook, registrou a cena em que o seu marido, o sargento Robson Souza, da Polícia Militar de Pernambuco, encontrou um vira-lata caramelo no caminho – e o cachorro não queria saber de parar de pedir carinho.

O policial tinha feito uma folga nas patrulhas, para tomar um café. Na entrada do bar, ele encontrou o vira-lata caramelo, que se mostrou muito simpático e amistoso. Bastou um simples afago para o peludo pedir mais e mais.

A repercussão

O vídeo caseiro foi publicado nas redes sociais. Milhares de pessoas já se encantaram com a insistência do cachorro de rua, que fez a alegria do policial e de todos que presenciaram a cena: o vira-lata caramelo com certeza estava carente.

vira-lata-caramelo-pede-carinho-para-um-policial

O cachorro parece ter escolhido o sargento Robson pessoalmente. Ele pode ser visto observando várias pessoas no bar de um posto de gasolina da cidade, mas dirigiu-se sem perda de tempo para o policial.

O vira-lata caramelo sentou-se em frente ao policial, encostou a cabeça na perna e mostrou-se confiante. Como não poderia deixar de acontecer, o sargento Robson dedicou alguns instantes para fazer carinho.

O vídeo mostra que, todas as vezes que Robson retirava a mão da cabeça do vira-lata caramelo, o animal insistia em ganhar mais afagos. Ele dava a pata, como se quisesse mostrar que os dois poderiam ser bons amigos.

Márcia, responsável pela gravação, postou a seguinte mensagem juntamente com o vídeo: “Te amo, te admiro muito, sargento. Que dog mais lindo!” – e completou o post com uma sequência de corações. Márcia e Robson são casados há 28 anos.

vira-lata-caramelo-pede-carinho-para-um-policial

O sargento da Polícia Militar foi um dos primeiros a postar um comentário sobre o vídeo. Ele escreveu: “Foi um ato voluntário de agradar o animal, porque eles, como todos os seres humanos, precisam de carinho”.

O material já foi visualizado por mais de 66 mil internautas. Entre os comentários, alguns se divertiram com o ofício de Robson. Por exemplo: “Nem precisou ir para a audiência de custódia. Foi absolvido logo, ganhou o sargento”.

Muitos usuários do Facebook aprovaram a atitude do sargento. Outros lembraram que cachorros também precisam de carinho e é sempre bom encontrar quem faça um afago, e não “presenteie” o animal com um pontapé.

Adoção?

Diversas pessoas também sugeriram que o casal Souza adotasse o vira-lata caramelo. De acordo com outras postagens, no entanto, trata-se de um cachorro comunitário, que vive no posto de gasolina, onde recebe cuidados e carinhos.

vira-lata-caramelo-pede-carinho-para-um-policial

Ele está acostumado com o movimento nas lojas no entorno, onde sempre circula à procura de petiscos e afagos. Este vira-lata tem uma boa vida em Bezerros, mas certamente estaria em melhores condições se fosse recebido por uma família.

O vira-lata caramelo já pode ser relacionado entre as unanimidades nacionais. Estes cães sem raça definida, com cores que vão do creme ao marrom, figuram em histórias, memes, ilustrações e são muito procurados em abrigos.

A popularidade das raças caninas varia de acordo com o tempo. Já houve época em que o pastor alemão era o mais desejado – eles eram chamados simplesmente de “policiais”. Entre os de pequeno porte, o pequinês dominou o ranking nos anos 1970.

Atualmente, fazem sucesso os pequenos shih tzu e lhasa apso. Entre os grandes, o golden retriever tem a preferência no país, para os tutores que querem ter um animal de raça pura.

Mas os vira-latas nunca saem de moda: eles estão em todos os lugares, podem ser vistos em mansões, casas de subúrbio, favelas e até entre moradores em situação de rua: quatro em cada dez cães brasileiros não têm raça definida.

Não é possível saber a origem do vira-lata caramelo. Ele é uma mistura de raças, cores, pelagens, formatos, etc. O certo é que este personagem está presente nos lares e ruas do país e até já se tornou um “sonho de consumo” para muita gente.

Postagens Relacionadas