InícioHistórias FelizesCachorrinha abandonada na estrada corre chorando para os braços da salvadora

Cachorrinha abandonada na estrada corre chorando para os braços da salvadora

Ela foi abandonada na estrada e estava em pânico. A cachorra correu em direção à salvadora. Veja o vídeo deste momento lindo…

Uma cachorra abandonada na beira de uma estrada na Romênia percebeu o momento em que a possibilidade de socorro estava mais próxima. Ela correu em direção à salvadora e aconchegou-se nos seus braços. Um pesadelo estava prestes a terminar.

A pequena cachorra foi deixada em uma rodovia de pouco movimento. O antigo tutor sabia que ela não estava em condições de sobrevivência: o abandono, naquela situação, era sinônimo de morte certa.

cachorra-abandonada-na-estrada-corre-para-os-bracos-da-salvadora

Paula e Georgiana

A cachorrinha estava apavorada, em estado de pânico. Mesmo assim, apesar de todo o medo que sentia, ainda havia, nos seus instintos, motivos para continuar confiando nos humanos. Ela permitiu que a salvadora se aproximasse, mas, quando Georgiana Neagu tentou acariciá-la, a peluda se retraiu, como se esperasse uma agressão.

Era evidente que o animal tinha um histórico de maus tratos. Além do abandono, a cachorrinha parecia identificar a presença de um humano com a agressão física. Mas Georgiana insistiu e, vendo que estava em boas mãos, a peluda correu em direção aos braços daquela mulher estranha.

O resgate

Há poucos meses, Georgiana Neagu, que pertence ao SOS Arms (Save Orphaned Souls – Animal Rescue Mission), um grupo romeno de promoção dos direitos animais, dirigia por uma estrada em Ilfov, o distrito que circunda Bucareste, a capital do país.

cachorra-abandonada-na-estrada-corre-para-os-bracos-da-salvadora

Ela encontrou a cachorra, que posteriormente recebeu o nome de Paula, sozinha na beira da rodovia. A resgatadora de animais imediatamente parou o carro e tentou se aproximar da peluda. Georgiana gravou parte do socorro, que foi publicado na página do Facebook da SOS Arms.

No vídeo, é possível observar que Paula, depois de uma indecisão breve, corre em direção ao carro, que parece ser a salvação. A cachorra para em frente à salvadora, talvez esperando a reação de Georgiana.

Ela se encolhe e começa a chorar quando Georgiana estende a mão – para a cachorra, mãos humanas representavam agressões e maus tratos: ela não conseguia entender que alguém pudesse tratá-la com bondade e dignidade.

Georgiana insistiu nos carinhos e embarcou a cachorra no carro. Apenas nesse momento, Paula percebe que estava salva, que não corria mais riscos na estrada quase deserta. Imediatamente, a cachorra se desdobrou em carinhos, para agradecer à benfeitora pelo resgate.

A adoção

Apesar de trabalhar com a recuperação e realocação de animais de rua, Georgiana intuiu que Paula era especial: uma conexão diferente se estabeleceu entre as duas. A resgatadora afirmou ao The Dodo, um site especializado em animais de estimação:

“Quando eu a vi, sabia que tinha de levá-la para casa comigo. O amor incondicional pode curar qualquer coração partido. Ela se sentia segura nos meus braços.”

cachorra-abandonada-na-estrada-corre-para-os-bracos-da-salvadora

Não é possível saber como a cachorra chegou àquele trecho da estrada. Ela foi encontrada por Georgiana praticamente imóvel, no canteiro central da rodovia. O mais provável é que o antigo tutor tenha decidido se desfazer do animal e não quis ter o trabalho de levá-la a um abrigo: simplesmente a deixou na rodovia.

Levada a um lar seguro, confortável e cheio de amor, Paula recuperou a confiança, mas segue Georgiana o dia inteiro, por onde quer que a nova tutora vá. Ela também ganhou a companhia de um irmão de quatro patas, também sem raça definida.

Os cães na Romênia

Os animais de rua da Romênia, país da Europa central, não costumam ter muita sorte. Em 2013, o parlamento aprovou uma lei que autoriza o abate de “cães ferozes”. A população de peludos abandonados nas grandes cidades cresceu tanto que os cachorros passaram a atuar como “gangues”.

A culpa, naturalmente, não é dos cachorros. Se o comportamento regrediu a ponto de torná-los parecidos com os lobos, é porque os peludos não foram acolhidos e adestrados. Mesmo assim, a situação fugiu ao controle, transformando-se em um problema de saúde e segurança pública.

No ano seguinte, um grupo de adolescentes do país começou a desenvolver campanhas de adoção e de abrigo aos animais de rua. Surgiram então organizações como o SOS Arms, que ainda luta para construir um santuário. Estima-se que, apenas em Bucareste, haja 60 mil cachorros vivendo nas ruas.

Uma jovem de 13 anos, na época, conseguiu encontrar novas famílias para 130 cães, apenas divulgando as histórias dos peludos em suas páginas sociais. A população mais jovem da Romênia começou a perceber que os cachorros e gatos também têm direito à vida.

No campeonato de futebol de 2021, um contrato entre a federação esportiva e entidades de defesa dos direitos dos animais permitiu uma campanha, na qual os jogadores da primeira divisão romena passaram a entrar em campo com cães de abrigo nos braços.

O projeto “Preencha uma lacuna em seu coração” teve início em janeiro de 2021 e prevê que animais em condições de serem adotados sejam vistos tanto pelos torcedores que frequentam aos estádios, quanto os que assistem aos jogos pela TV, visualizem os peludos e entrem em contato diretamente com os abrigos.

A situação na Romênia está mudando. Graças, inclusive, a ações como a de Georgiana Neagu, que resgatou, acolheu e adotou Paula, em atitudes de grande responsabilidade, permeadas por boas doses de amor e carinho.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações