Cachorro idoso salva a vida de uma garotinha que tinha desaparecido

Nem todos se apresentam com capa e superpoderes: este cachorro idoso é um herói nacional.

Max é um cachorro idoso, com 17 anos – isto representa quase uma eternidade no mundo canino. Ele é parcialmente cego de um olho e a audição já não é mais a mesma, mas isto não o impediu de encontrar uma garotinha perdida e salvar a sua vida. O caso aconteceu do outro lado do mundo, na Austrália.

Ele é um boiadeiro australiano, raça também conhecida como blue ou red heeler, por causa da cor da pelagem. Mas “heeler”, em inglês, também pode ser traduzido como “homem de confiança” – e Max merece toda a confiança que depositam nele.

cachorro-idoso-salva-a-vida-de-uma-garotinha

O salvamento

Apesar de ser um cão de trabalho, Max já está aposentado há alguns anos. Ele vive com a família em Queensland, no nordeste da Austrália, perto dos montes Bunya, entre as cidades de Kingaroy e Dalby, região muito procurada por ecoturistas.

O boiadeiro australiano vive com Aurora, a sua irmã humana, desde que ela nasceu. A garotinha ensaiou os primeiros passos e as primeiras aventuras no mundo ao lado do seu fiel companheiro, sempre atento para não deixar que nada de ruim aconteça.

A menina, de três anos, foi deixada na casa da avó, enquanto os pais estavam trabalhando. Provavelmente, ela resolveu procurar a família e acabou se afastando de casa. Em questão de minutos, para desespero da avó, Aurora havia desaparecido sem deixar traços.

A idosa acionou a família e a polícia local. Os oficiais percorreram a região no entorno da casa, mas não encontraram vestígios da garotinha. Max também fez o mesmo, mas ao contrário dos policiais, ele não desistiu da busca.

cachorro-idoso-salva-a-vida-de-uma-garotinha

O cachorro subiu a encosta e encontrou a irmã humana, mas a família ainda não sabia disso. Enquanto todos estavam em desespero atrás da criança, Max encontrou um bom refúgio na montanha e passou a noite com Aurora, aquecendo-a e protegendo-a de todos os perigos.

Foi apenas no dia seguinte, dando continuidade às buscas, que a avó de Aurora conseguiu ouvir a voz da criança. A mulher e a equipe de resgate correram até o local e encontraram a garotinha ao lado de Max, aparentemente tranquila, como se nada extraordinário estivesse acontecendo.

O marido da avó da garotinha disse, em entrevista à Ten Network (emissora de TV australiana), que “o cachorro acampou com Aurora”. Eles passaram a noite juntos e a menina nem sequer percebeu que estava correndo sérios riscos.

Mas o cachorro é quase totalmente surdo e cego – ele não tinha condições de ouvir os apelos da família e dos policiais. Por isso, ele decidiu permanecer ao lado de Aurora, protegendo-a e fazendo companhia, para que ela não sentisse medo.

O boiadeiro australiano é um cachorro forte e rústico. Ele se confunde com a história da colonização do país, já que os seus ancestrais foram introduzidos há quase 200 anos, quando os primeiros imigrantes se estabeleceram no país.

Aurora sofreu apenas ferimentos leves – basicamente, alguns arranhões nos braços e no rosto, “conquistados” ao roçar nos arbustos ressequidos típicos da região. A menina foi encontrada com saúde e sem dar mostras de que estava assustada ou amedrontada com a situação, apesar de ter passado uma noite inteira nas montanhas.

Mas também foi encontrado ileso. Ele estava cansado – é provável que não tenha dormido quase nada durante a madrugada – mas sem sinais de lesões. Em função da sua lealdade e bondade, o Departamento de Polícia de Queensland concedeu ao cachorro o título de “policial honorário”.

Assim como todo blue heeler, Max apresenta forte instinto de guarda e segurança. Apesar de ser uma sentinela nas propriedades, ele é um cachorro meigo e dócil, apesar da fama de ser um cachorro agressivo – ele teria dingos, os cães selvagens australianos, em sua árvore genealógica.

No ranking da inteligência canina elaborado por Stanley Coren (autor de “A Inteligência dos Cães”, uma espécie de bíblia do comportamento canino), o boiadeiro australiano está classificado como a décima raça mais inteligente (em termos de obediência e treinabilidade).

A raça foi criada para viver ao ar livre, protegendo ovelhas levadas da Europa das investidas dos lobos-da-tasmânia (espécie já extinta) e dos gatos-tigres, que, apesar do nome, são marsupiais, como os cangurus e os gambás.

Para Max, encontrar Aurora, passar a noite inteira ao lado da menina e alertar a equipe de resgate sobre a sua posição são tarefas que fazem parte da própria natureza. Apesar da surdez e da visão reduzida, o cachorro não esqueceu as funções.

Postagens Relacionadas