Cachorro pode comer laranja?

Não existe uma única resposta: alguns cachorros podem comer laranja, outros, não.

A laranja, sem sombra de dúvida, é a fruta mais popular entre os brasileiros. Pera, lima, seleta, bahia, são muitas as variedades consumidas in natura ou como ingredientes das mais variadas receitas. A polpa não é tóxica para os nossos peludos, mas isso não significa necessariamente que cachorro pode comer laranja.

Os tutores devem prestar atenção a alguns fatores, antes de oferecer laranja para os cachorros – e o veterinário pode ajudar a definir o cardápio. É importante verificar o peso do animal, a propensão para o diabetes e a saúde do aparelho digestório.

De qualquer maneira, os cachorros só podem comer a polpa. Cascas, folhas, sementes, galhos e talos precisam ser retirados antes de oferecer a fruta, porque podem conter algumas substâncias tóxicas para os animais.

Cachorro pode comer laranja?

As sementes da fruta são perigosas, porque elas podem causar obstruções intestinais, especialmente nos cães pequenos. A casca também concentra potencialmente o maior teor de agrotóxicos utilizados na produção de laranjas.

Laranja faz mal para o cachorro?

A fruta deve ser oferecida para os cachorros apenas em situações especiais. Ela serve como um agrado, ou um incentivo durante o treinamento – na natureza, a laranja não faz parte do cardápio dos lobos, ancestrais dos cães.

A laranja é muito rica em açúcares. Não se trata de glicose pura, como a que está presente no açúcar refinado, mas de frutose, que requer mais esforço do organismo para ser absorvida. Mesmo assim, uma fruta média fornece nove gramas de açúcar, o que é um exagero para cães de porte pequeno e médio, para os idosos e para os mais sedentários, com pouca atividade física no dia a dia.

Com a convivência com os humanos, o organismo dos cachorros aprendeu a processar os carboidratos de maneira mais eficiente – por isso, muitos deles recebem alimentos cotidianamente usados na nossa culinária e são inclusive beneficiados por isso.

A laranja não faz mal, a menos que o cachorro tenha predisposição genética para algumas doenças metabólicas, como o diabetes, ou tenham hábitos alimentares muito inadequados. Ela pode ser oferecida com moderação.

Os prós e contras do consumo (e dos excessos)

A laranja é uma excelente fonte de vitamina C, que fortalece o sistema imunológico e protege contra várias infecções. Mas, ao contrário do nosso, o organismo canino produz vitamina C naturalmente (o fígado sintetiza a substância a partir dos açúcares ingeridos): os suplementos dependem de indicação médica.

Por outro lado, a vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico, é também um poderoso antioxidante. Nesse sentido, ela ajuda a combater os radicais livres, substâncias associadas à degeneração e ao envelhecimento celular precoce.

O bagaço, por outro lado, é bastante útil para os cachorros: ele aumenta o volume das fezes e regulariza o trânsito intestinal, sendo indicado para os cães que sofrem com problemas de prisão de ventre.

No entanto, o consumo exagerado de laranjas está associado a alguns transtornos. Como toda fruta cítrica, ela é fortemente alergênica, isto é, capaz de provocar reações alérgicas graves, que inclusive atingem o sistema cardiovascular.

O ácido cítrico das laranjas também prejudica a saúde bucal. Ele ataca o esmalte dos dentes, favorecendo a instalação de placas bacterianas (e, muito mais raramente, de cáries). Quando se dá a fruta para os cachorros, é preciso dedicar um pouco mais de tempo para a higiene bucal.

Os cachorros que recebem alimentação balanceada, seja na forma de rações industrializadas, seja como comida caseira, não precisam de fontes extras de calorias. Portanto, quando a laranja (e qualquer outro petisco) é oferecida em excesso, os animais podem ganhar alguns quilos extras.

O sobrepeso e a obesidade, em cães e humanos, sempre acarretam grandes males à saúde, tanto no que se refere ao funcionamento eficaz dos órgãos, quanto no desempenho de ossos, músculos, tendões e articulações.

Cachorro pode comer laranja?

A laranja também é rica em diversos nutrientes, como cálcio, ferro, fósforo, magnésio e potássio. Em uma dieta equilibrada, no entanto, todos esses minerais já estão presentes na quantidade ideal para os cachorros.

Os benefícios das laranjas para os cachorros

Os cachorros podem receber alguns gomos de laranja. Ela é fonte de diversos nutrientes, que podem colaborar para a boa saúde geral. Os tutores devem procurar, entre as diferentes opções, a mais adequada para os peludos.

É importante não esquecer que nenhum petisco deve exceder a 10% do total de calorias ingerido diariamente pelos cachorros. No caso da laranja, isso significa apenas de um a três gomos, de acordo com o porte.

No caso dos cães, menos é mais: os citrinos da fruta também podem causar diarreias e desconforto gástrico. O motivo é que a acidez pode irritar a mucosa do estômago. Por isso, os animais que sofrem com disfunções gastrointestinais não devem receber gomos de laranja. Na dúvida, é importante conversar com o veterinário.

De qualquer maneira, a fruta pode ser bem-vinda nos momentos especiais de agrado e brincadeira. A laranja fornece boa quantidade de líquidos e isto pode ser um truque a mais para evitar a desidratação, no caso dos cães que não gostam de tomar água e passam longe do bebedouro.

A fruta também ajuda a refrescar e fornece um suprimento uniforme de energia: à medida que o organismo vai absorvendo a frutose e transformando-a lentamente em glicose, todas as células recebem um pouco mais de “combustível” para as suas atividades.

Os tutores podem oferecer a laranja aos gomos, lembrando sempre de retirar as sementes e as partes brancas – isso dá um pouco de trabalho. Os cães quase sempre rejeitam alimentos ácidos; portanto, se eles não gostarem, não vale a pena insistir. O ideal é que a laranja seja apenas uma brincadeira, um lanchinho compartilhado com o tutor.

O suco de laranja não deve ser dado aos cachorros. O sumo natural é uma fonte concentrada de ácido cítrico e açúcares, ambos desnecessários (e até prejudiciais) ao organismo canino. Algumas gotas podem ser adicionadas à água, mas apenas para despertar a curiosidade.

Os cachorros também podem receber outras frutas cítricas. É o caso, por exemplo, da tangerina (a laranja, aliás, é um fruto híbrido de pomelo e tangerina). Os limões, por outro lado, não são recomendados para os peludos, por causa do nível elevado de acidez.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas