Cachorro pode comer ovo?

Por: em

Este é um ótimo suplemento para a dieta canina. Cachorro pode comer ovo, sim!

O ovo é uma excelente fonte de nutrientes, tanto para humanos, quanto para cachorros. Para os humanos e caninos, ele é considerado o segundo alimento mais completo, atrás apenas do leite materno – mas os cães desenvolvem intolerância à lactose e não devem ingerir leite in natura depois de adultos. Cachorro pode e deve comer ovo.

Seguir Cães Online no Facebook

Para os humanos, o ovo é um dos preferidos na alimentação também em função da sua versatilidade: ele pode ser frito, cozido, batido em omelete e até fazer bonito em opções gourmet, como o poché e o mollet. Mas será que cachorro pode comer ovos preparados de todas essas formas?

Como oferecer ovo ao cachorro

Os cachorros devem ganhar apenas ovos cozidos. Os óleos vegetais dos outros preparos prejudicam o organismo canino, especialmente quando a gordura se degrada – o que acontece com facilidade a temperaturas acima de 180°C.

Os cachorros devem comer ovo sem sal nem condimentos. O ovo já é rico em sódio, um mineral essencial para o equilíbrio hídrico do organismo, mas, em excesso, provoca retenção de líquidos e inchaços, além de colaborar, no médio prazo para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Cachorro pode comer ovo?

O ovo pode ser oferecido sozinho, substituindo uma das refeições, ou misturado à ração. A gema é mais aromática. Por isso, os cães tendem a devorar a gema e deixar a clara no prato. Uma boa dica é picar o ovo e servir tudo misturado, para que eles o comam inteiro, já que a clara é rica em albumina, uma proteína que auxilia na manutenção das membranas das células, no transporte dos ácidos graxos e na produção de hormônios.

Não há problemas, para os cachorros, em comer ovos crus. por isso, se eventualmente eles invadirem um galinheiro e assaltarem um ninho – ou, com mais probabilidade, se agarrarem um ovo deixado à mão na cozinha, não há motivo para correr com eles para o hospital veterinário.

cachorro-pode-comer-ovo-1

No entanto, os ovos são naturalmente colonizados por bactérias do gênero Salmonella. Em certas condições, estas bactérias proliferam excessivamente e, se forem ingeridas, podem causar desde um leve desconforto abdominal até diarreias e vômitos.

A salmonelose – a infecção por Salmonella que afeta igualmente os humanos – também provoca febre e calafrios. O tratamento básico é a reposição dos líquidos perdidos, mas a doença facilita a proliferação de outras bactérias presentes no organismo e pode precisar de antibióticos para ser combatida. Especialmente em cães pequenos, a salmonelose pode ser fatal.

Por tudo isso, não se recomenda dar ovos crus para o cachorro. Mas, se os tutores estiverem certos da procedência e do correto transporte e acondicionamento, eles podem ser oferecidos. O ovo cru misturado à ração é apreciado por muitos cães.

As propriedades do ovo

O ovo pode ser considerado um polivitamínico natural: ele é rico nas vitaminas A, D, E e do complexo B. Além disso, o ovo fornece muitos sais minerais. Cachorro pode comer ovo, para complementar a ração ou a comida caseira.

O triptofano presente no ovo é um precursor da serotonina, neurotransmissor associado à sensação de bem-estar. A serotonina também está inserida na regulação do ciclo do sono, no apetite e na capacidade de memória e atenção.

Rico em ferro, zinco, fósforo, potássio, manganês. sódio e selênio, o ovo previne e combate a anemia ferropriva, auxilia nas contrações musculares, facilita a absorção do cálcio (fundamental para a boa saúde dos ossos, articulações, tendões e pele), fortalece o sistema imunológico e dá energia para as atividades do dia a dia.

Durante algum tempo, acreditou-se que o ovo seria prejudicial ao sistema cardiovascular, mas hoje se sabe que o alimento reduz o mau colesterol (LDL) e aumenta o bom (HDL), melhorando a frequência cardíaca, por reduzir a gordura depositada nos vasos sanguíneos.

O ovo é um produto com baixos índices de carboidratos (apenas 1,6 grama por unidade, em média) e isto facilita a manutenção do peso ideal e também contribui quando o cachorro está com sobrepeso.

Além do alto teor de nutrientes, o ovo ainda tem a vantagem de ser um alimento de fácil digestão. As proteínas do ovo também oferecem aminoácidos essenciais (que não são produzidos naturalmente pelo organismo).

Os antioxidantes reforçam o sistema imunológico e também combatem os radicais livres, íons resultantes dos processos fisiológicos que reduzem a funcionalidade das células e predispõem ao envelhecimento precoce.

Os principais nutrientes fornecidos por uma unidade de ovo são os seguintes:

  • carboidratos – 1,6 grama;
  • proteínas; – 13 gramas;
  • gorduras insaturadas – 3,5 gramas;
  • gorduras saturadas – 1,5 grama;
  • zinco – 1,1 miligrama;
  • ferro – 1,6 miligrama;
  • sódio – 168 miligramas;
  • magnésio – 13 miligramas;
  • cálcio – 42 miligramas;
  • fósforo – 164 miligramas;
  • colesterol – 270 a 350 miligramas;
  • vitamina A – 79 microgramas;
  • vitamina B1 – 0,1 micrograma
  • vitamina B2 – 0,6 micrograma;
  • vitamina B3 – 1 micrograma.

O ovo é também, bastante calórico. Cada unidade fornece 143 quilocalorias – e um cão adulto de pequeno porte, com intensidade física intensa, necessita de até 700 quilocalorias por dia (um cãozinho sedentário pode demandar apenas 120).

Por isso, tutores que querem complementar a dieta dos cachorros devem oferecer meio ovo, duas vezes por semana, para os cães de pequeno porte com pouca atividade física e no máximo dois ovos em dias alternados para os cães atletas de grande porte.

Alguns cuidados ao preparar os ovos

Lave sempre os ovos com água e sabão antes de cozinhá-los. Isto elimina sujeiras e eventuais micro-organismos nocivos que estejam presentes. As cascas lavadas podem ser secas e pulverizadas na ração, especialmente para os cães que precisam de mais cálcio e potássio na dieta.

Se o cachorro foi diagnosticado com algum problema renal crônico, deve-se evitar dar ovo para ele. Cães portadores de insuficiência renal geralmente recebem uma dieta com teor relativamente baixo de proteínas e fornecer uma dose extra deste macronutriente pode ser prejudicial.

Os cachorros com sobrepeso ou obesidade também não devem comer ovos. Trata-se de um alimento bastante calórico, cuja ingestão dificultaria ainda mais a briga com a balança. De qualquer forma, para oferecer ovos os cães, é necessário calcular a redução necessária de ração, para impedir uma superalimentação.

O ovo pode ser incluído na dieta regular dos cachorros – especialmente dos que recebem comida caseira. Os animais que já recebem rações balanceadas não têm necessidade de suplementos. Nesse caso, o ovo pode ser encarado apenas como um petisco para ocasiões especiais.

O ovo também pode ser utilizado como instrumento para adestrar os cachorros. Neste caso, ele deverá ser oferecido apenas quando o animal responder adequadamente aos comandos dos tutores.

Neste caso, o ovo é um complemento esporádico: se ele se acostumar a receber o alimento todos os dias pela manhã, por exemplo, o dia em que não tiver ovo será encarado como um momento de castigo – e os cachorros não conseguirão entender o motivo por que estão sendo punidos.

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News