É proibido ter cachorro na Coreia do Norte?

Nos últimos anos, a posse de cachorros e outros pets vem sendo “desaconselhada” na Coreia do Norte.

A história da Coreia ainda é um mistério para o Ocidente. As notícias que chegam do Norte e do Sul do país são interpretadas de acordo com visões estratégicas e ideológicas. Uma delas é a proibição de ter cachorro na Coreia do Norte, a parte comunista da península.

Em julho de 2020, o jornal sul-coreano Chosun Ilbo veiculou a informação de que o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-Um, proibiu a posse de cachorros em Pyongyang, a capital do país. Os animais de estimação, de acordo com a publicação, deveriam ser entregues a zoológicos ou a abatedouros.

É proibido ter cachorro na Coreia do Norte?

A notícia foi reproduzida em diversos órgãos da imprensa, especialmente os digitais. Alguns sites, como o americano Fox News e a versão eletrônica do britânico Daily Mail, chegaram a informar que a proibição visa “eliminar um dos símbolos da decadência capitalista ainda presentes no país”.

A notícia

O Chosun Ilbo é a única fonte da notícia: todos os demais noticiários internacionais apenas reproduziram as matérias do jornal sul-coreano, que apenas cita como fontes “autoridades do país vizinho”. De acordo com a notícia, órgãos governamentais estariam identificando famílias com animais de estimação e forçando-as a desistir dos cachorros – ou mesmo tomando os pets à força.

A emissora de TV britânica Sky News, citando o periódico sul-coreano, informou aos seus assinantes que a população do país está sendo forçada a desistir dos cachorros, para que eles possam ser utilizados como alimentos.

Já o Asahi Shimbun, um dos principais jornais do Japão, afirmou que “cães de grande porte, com 15 kg ou mais, estão sendo recolhidos em áreas urbanas da Coreia do Norte, notadamente em Pyongyang”.

As autoridades da Coreia do Norte e os órgãos de comunicação do país – todos eles controlados pelo governo socialista – não confirmaram nem desmentiram as notícias sobre o confisco dos animais de estimação.

Fato ou fake?

Mesmo assim, não é difícil que a informação seja verdadeira, ao menos em parte. O consumo de carne de cachorro no país (e também em outros do Extremo Oriente, como China, Vietnã, Laos, Camboja, Tailândia e mesmo a Coreia do Sul) é muito comum, apesar dos esforços, tanto de governos quanto de entidades civis para eliminar o hábito tradicional.

A Coreia do Norte não é um país tão isolado do restante do mundo como se costuma veicular. Desde 1948, quando a nação coreana foi reorganizada, foram estabelecidas relações diplomáticas com mais de 160 países.

Atualmente, a nação do Extremo Oriente mantém embaixadas e consulados em 48 países. Um número menor – mas também significativo – mantém escritórios comerciais e de representação em Pyongyang. Ao todo, são 25 nações, inclusive o Brasil.

É proibido ter cachorro na Coreia do Norte?

De qualquer maneira, ainda é difícil receber notícias sobre o dia a dia da Coreia do Norte. A península foi dividida artificialmente em 1953, ao fim da Guerra da Coreia, que estabeleceu no Paralelo 38° o marco divisório entre o sul e o norte.

O norte, de orientação socialista, busca sempre distanciar-se dos costumes ocidentais, enquanto o sul, capitalista, está integrado aos países do Ocidente, notadamente o Japão, a União Europeia e os EUA.

Procurando fugir às “influências burguesas”, o governo de Kim Jong-Un evoca sempre o passado milenar da nação (o Reino da Coreia foi estabelecido no ano 53 AEC). Um desses hábitos burgueses é a manutenção de cães e gatos de estimação.

É provável que a proibição de ter cachorros seja mais um gesto de resistência cultural, uma afirmação de que a Coreia do Norte não se rende ao avanço da influência capitalista, que, no país, é considerada uma forma de degradação.

A Coreia continua consumindo carne de cachorro, assim como os seus vizinhos. A proibição de ter cachorro em casa, no entanto, provavelmente deve esbarrar nas dificuldades em controlar a prática. O país é montanhoso e a população é basicamente rural.

A proibição de ter cachorro na Coreia do Norte nunca foi confirmada, nem desmentida. Caso ela tenha força de lei, é provável que os seus efeitos se restrinjam às grandes cidades norte-coreanas. A capital do país tem quase três milhões de habitantes e a população de núcleos urbanos como Hamhung e Chongjin ultrapassa a casa dos 600 mil moradores.

É muito difícil, no entanto, controlar a posse de cães e gatos nas localidades rurais, nas quais vive a maioria dos 25,8 milhões de norte-coreanos. De um jeito ou de outro, a notícia ressurge de tempos em tempos, especialmente nos momentos em que o país chama a atenção do mundo.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas