Homem canta e toca para acalmar cães em abrigo

O abrigo não oferece apenas o básico. Voluntário, este homem acalma os cães cantando para eles.

Chad Olds, tratador de animais do Vance County Animal Shelter, abrigo localizado em Henderson (Carolina do Norte, costa leste dos EUA), é também um músico profissional. Este homem decidiu colocar o seu talento artístico à disposição, para acalmar os cães.

O abrigo do Condado de Vance investiga denúncias de crueldade e maus tratos contra animais, recolhe cães e gatos abandonados ou indesejados e qualifica pessoas interessadas no voluntariado, além de prestar serviços de castração e vacinação contra raiva.

homem-canta-para-acalmar-caes-em-abrigo

A música

O abrigo mantém uma pequena equipe de funcionários e conta com um grupo de voluntários para garantir a saúde e bem-estar dos animais. Estudantes da região podem participar de atividades de conscientização e todos os interessados podem visitar o jardim sensorial, criado para melhorar a vida dos cães e gatos e facilitar a interação com os humanos.

O Vance County Shelter também oferece um programa musical para os animais abrigados. Chad Olds está à frente da iniciativa. Aos 40 anos, ele é oficial de controle de animais do condado, mas já atuou como músico profissional, viajando em turnê para diversas regiões dos EUA.

No exercício das suas funções, Chad quase sempre pode ser visto com o seu violão. A ideia de tocar e cantar para os cães e gatos partiu do chefe de serviços dos animais do condado, Frank Nobles. Ao saber das qualificações do músico, Frank sugeriu que ele fizesse serenatas para acalmar os animais.

homem-canta-para-acalmar-caes-em-abrigo

Os dois profissionais não sabiam como os animais reagiriam. Mas o instrumento musical estava ali, à disposição, e o músico capaz de produzir sons também estava disponível. Assim que Chad começou a tocar, os cães e gatos reagiram imediatamente.

Quem já visitou um abrigo de animais sabe que a algazarra de latidos, uivos, choramingos e ganidos é quase ininterrupta. Mas quando o violonista começou a tocar, os peludos silenciaram como se fosse um passe de mágica.

Os resultados foram tão impressionantes que Chad e Frank decidiram gravar uma nova apresentação, que foi publicada nas redes sociais do abrigo. O vídeo, com a performance do músico e as reações dos animais, foi visualizado por mais de 300 mil internautas.

homem-canta-para-acalmar-caes-em-abrigo

Chad e Frank tinham dois objetivos em mente: mostrar uma atividade divertida e relaxante para os seguidores e, com isso, aumentar a visibilidade das ações do abrigo e incentivar os tutores de cães e gatos a fazerem pequenas apresentações para os pets.

Além de acalmar e relaxar, a música, mesmo que seja apenas reproduzida em um aparelho de áudio, é também um momento de interação entre os animais de estimação e os tutores, fortalecendo os vínculos e melhorando o relacionamento.

As serenatas de Chad Olds foram tão bem-sucedidas que a música foi definitivamente incluída no programa de enriquecimento de Vance County Shelter, que inclui brincadeiras, petiscos e atividades físicas e cognitivas que ajudam a manter equilibrados o corpo e a mente dos animais abrigados.

A palavra da ciência

Do ponto de vista científico, a música é capaz de fortalecer a memória, de tranquilizar e relaxar (não apenas os pets, mas também os humanos) e até de aliviar alguns tipos de dores e desconfortos. O Homo sapiens faz música desde tempos imemoriais e, na parceria com os peludos, ele emprestou estas referências.

De acordo com pesquisadores da Faculdade de Medicina Veterinária da USP, a música e um componente importante do ambiente dos animais. Ela serve para despertar e relaxar, desviar a atenção de alguns ruídos incômodos (como fogos de artifício e trovoadas) e pode reduzir a frequência cardíaca e a pressão arterial dos cachorros e gatos.

Em ambientes hospitalares, já foi observado que as terapias com música auxiliam na redução da agressividade, ansiedade, inquietação e frequência respiratória. A audioterapia é um tratamento alternativo que não apenas reduz as sensações dolorosas, mas também alivia a experiência negativa associada à dor.

Para quem quiser experimentar em casa, os especialistas sugerem o uso de músicas orquestradas – desde uma sinfonia até um simples solo de violão ou flauta. A voz humana é interpretada por cães e gatos como orientação, advertência ou restrição; por isso, ela não é útil quando se trata de tranquilizar os pets.

Músicas aceleradas e agitadas – do heavy metal a composições de Piotr Tchaikovsky – estimulam as tendências às correrias e latidos, enquanto as execuções lentas e ritmadas favorecem o sono e a quietude, estando associadas ao bem-estar e à tranquilidade.

Assista abaixo:

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas