Menino dá banho em cães abandonados para aumentar as chances de adoção

Ele tem só 11 anos e usa os sábados para dar banhos em cachorros abandonados em abrigos.

Um menino brasileiro de apenas 11 anos de idade resolveu fazer a sua parte para atenuar o problema dos animais abandonados: ele está reservando os sábados para visitar abrigos e dar banhos nos peludos resgatados. Com isso, os pets ficam mais bonitos e atraentes, aumentando as chances de adoção.

menino-da-banho-em-caes-abandonados-para-aumentar-as-chances-de-adocao

A providência encontrada por este garoto é apenas uma gota d’água, mas é importante lembrar que o oceano é feito de gotas d’água. Com um gesto aparentemente simples, mas que envolve dedicação, compromisso e até algumas renúncias, este menino está conseguindo fazer a diferença.

Os banhos

Desde o final de 2020, Thiago Val Sidegum, um menino de 11 anos que mora em Antônio Prado (RS), na Serra Gaúcha, dá banho em cachorros abandonados. Ele dedica os sábados para a tarefa, cujo objetivo é aumentar as chances de os peludos encontrarem um lar.

menino-da-banho-em-caes-abandonados-para-aumentar-as-chances-de-adocao

Thiago criou o projeto “Sou de rua, mas tô limpinho” e já é conhecido na cidade. Ele percorre as ruas de Antônio Prado à procura de cachorros, para oferecer um banho e a possível oportunidade de uma família amorosa.

Segundo Eduardo Sidegum, pai de Thiago, o menino dá banho, passa perfume e enfeita os cachorros que encontra com laços e fitas. Os animais que passam pelo tratamento estético são fotografados e os perfis são publicados nas redes sociais do projeto.

menino-da-banho-em-caes-abandonados-para-aumentar-as-chances-de-adocao

Além de fotografar os banhos e o produto final: animais limpos, escovados e enfeitados, o pai de Thiago também cria histórias sobre os animais que recebem as atenções do menino. Ele narra as estratégias de acolhimento e algumas curiosidades da abordagem.

Até o final de 2021, Thiago estima ter trabalhado com mais de 50 cachorros de rua. O projeto rapidamente se tornou manchete, inicialmente na imprensa local e em seguida em veículos de abrangência nacional, como o “Pequenas Empresas, Grandes Negócios”, revista e programa televisivo da Organização Globo.

menino-da-banho-em-caes-abandonados-para-aumentar-as-chances-de-adocao

O trabalho de Thiago já recebeu inclusive repercussão internacional. Um exemplo é o site Bored Panda, blog lituano que aborda “temas leves e inofensivos” (de acordo com a descrição dos editores). O Bored Panda é visitado milhares de vezes por dia e o artigo sobre a iniciativa deste menino já foi visualizado por mais de cinco mil internautas.

A declaração do menino sobre os banhos é emocionante: “Tudo o que queremos é dar muito carinho e um pouco de bem-estar a estes peludos que já sofrem tanto neste mundo. Quero que cada vez mais pessoas façam, através da causa animal, bem para os outros e para si mesmas”.

menino-da-banho-em-caes-abandonados-para-aumentar-as-chances-de-adocao

Ele finaliza o depoimento agradecendo a todos que os seguem na internet e promete continuar se empenhando pela causa animal. Este menino realmente merece receber doações e incentivos para dar continuidade ao trabalho.

Thiago claramente sente um grande amor pelos animais é dá um bom exemplo para todos nós. Como o projeto do menino está crescendo, parentes e vizinhos começaram a doar xampus e outros itens de higiene, além dos acessórios para “finalizar o tratamento”. O projeto tende a crescer cada vez mais.

menino-da-banho-em-caes-abandonados-para-aumentar-as-chances-de-adocao

Cães e gatos nas ruas

O problema dos animais abandonados é grave no país, assim como em todo o mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que haja 20 milhões de cachorros e dez milhões de gatos vivendo nas ruas brasileiras. A OMS faz as estimativas porque o abandono é também um problema de saúde pública.

menino-da-banho-em-caes-abandonados-para-aumentar-as-chances-de-adocao

A solução passa por uma série de providências e atitudes, que vão desde a conscientização de que é melhor adotar do que comprar – e os vira-latas são tão bonitos, leais, brincalhões e fofos como os animais de raça –, até a construção de santuários e espaços dignos para receber animais idosos e doentes, mais difíceis de serem recebidos pelas famílias.

A Covid-19 apenas aumentou a dificuldade. O setor pet (alimentos, medicamentos e brinquedos para animais de estimação chegou a apresentar alta de 13,5% em 2020 e as adoções de cães e gatos cresceram quase 50% nos primeiros meses da pandemia.

Mas o abandono também cresceu: entre junho de 2020 e maio de 2021, o total de animais “jogados fora” aumentou em 61%, de acordo com dados do Instituto Ampara Brasil, a maior ONG de amparo aos animais em situação de rua.

Fotos: guridochapeu_oficial

Postagens Relacionadas