VÍDEO: Veterinária é flagrada lendo histórias para cachorrinha hospitalizado

Câmera de segurança flagrou a profissional lendo histórias para cadela internada na clínica veterinária. 

O atendimento à saúde não deve se limitar apenas aos cuidados para conservar ou restaurar o bom funcionamento orgânico. É preciso ir além, oferecendo afeto, companhia e compreensão. Um bom exemplo disso é esta veterinária, que foi flagrada pelas câmeras de segurança da clínica em que trabalha, lendo histórias para uma cadelinha em tratamento. 

As imagens foram registradas por acaso: o circuito interno da clínica é utilizado para acompanhar os cães e gatos internados, verificando se eles estão confortáveis – e também se não estão fazendo bagunça. O vídeo, mesmo assim, foi parar nas redes sociais. 

veterinaria-le-historias-para-caes-internados
Créditos: Captura de tela do Youtube

Histórias de ninar 

Yasmin Fahrat é uma médica veterinária que trabalha na Vetvida, uma clínica veterinária sediada em São Gonçalo (RJ). Durante um dos seus plantões, a Doutora Yasmin foi “flagrada” junto à cadelinha Bombom: ela decidiu ler uma história para acalmar o animal internado para tratamento. 

É mais que provável que Bombom não conseguisse entender nenhuma palavra do que estava sendo dito. Mas a paciência, disponibilidade e atenção da médica certamente deixou a cachorrinha mais tranquila (ou menos agitada) e mais predisposta a aceitar a medicação e a espera. 

Ao contrário dos humanos, os cachorros, quando precisam de uma internação hospitalar, não fazem ideia do que esteja acontecendo. Para eles, a situação pode ser bastante traumática: estranhos apalpam e apertam o corpo, usam agulhas e aparelhos frios. 

Além disso, quando precisam de um atendimento mais aprofundado – que pode durar dias e até semanas – os cachorros se ressentem com a ausência da família. Mesmo que seja possível acompanhar os peludos durante a internação, em alguns procedimentos, os tutores precisam se afastar. E os peludos se sentem abandonados e expostos. 

A veterinária decidiu sentar-se ao lado da cadelinha – nas imagens, é possível verificar que ela está dentro da gaiola de contenção, usada para que os animais não fujam nem sofram acidentes. A Doutora Yasmin calmamente se acomoda, abre um livro e começa a ler. Bombom fica naturalmente interessada em entender o motivo dessa abordagem diferente. 

Para Yasmin e seus colegas de trabalho, é muito difícil apenas exercer as funções de medicina e enfermagem, sem estabelecer um vínculo afetivo com os pacientes. Os cachorros abanam o rabo, lambem as mãos, pedem atenção. 

Satisfazer essas pequenas necessidades, para esta equipe, ajuda bastante a superar as doenças e traumas. Eles costumam refletir desta forma: “Se fosse o meu pet, como eu gostaria que ele fosse tratado? É assim que o tratamento funciona”. 

O livro 

Um detalhe: o livro escolhido pela veterinária é “Este Mundo É dos Gatos, Você Apenas Vive Nele”. Da médica americana Justine Lee, que trata sobre o universo dos felinos – desde a manutenção da saúde e bem-estar dos gatos, até truques e dicas para os tutores saberem lidar com as manias desses pets. 

Se Bombom conseguisse entender o que estava sendo narrado para ela, seria interessante descobrir como ela reagiria: “Como assim o mundo é dos gatos? É claro que ele é dos cachorros!” Seria uma possível conclusão da cachorrinha. 

A Doutora Yasmin postou, no Instagram, de forma bem-humorada, que “pode parecer um ultraje”, mas eu estava apenas rindo e contando para Bombom as doideiras de ser um gato. A veterinária contou ainda que, na clínica, dividir as gaiolas com os pacientes faz parte da rotina. 

Yasmin contou também que gosta de passar um tempo próximo aos cães e gatos que atende fora das rotinas clínicas, sem exames nem análises. Para ela, é apenas uma maneira de conhecer melhor os pacientes e entender como eles reagem. 

A médica afirma que carinho e atenção são fundamentais na prática veterinária. Além de tranquilizar os pacientes internados, a equipe da clínica grava a interação entre os veterinários e os cachorros para enviar aos tutores, para que eles fiquem menos apreensivos em casa. 

Além das histórias, a médica também “conversa” e assiste TV com os pacientes. Quando os cães e gatos avançam na recuperação da saúde, a Doutora Yasmin e os colegas inventam brincadeiras e até dançam com eles. 

As atividades ajudam a fazer o tempo passar mais rápido e a permanência no hospital ser menos incômoda. Bombom já recebeu alta e voltou para a companhia da família. Seria interessante descobrir se ela está pedindo leituras para os tutores em casa. 

Postagens Relacionadas