Vinagre de maçã para dermatite canina

Por

Bastante eficaz, trata várias doenças, inclusive dermatite canina. Conheça os benefícios do vinagre de maçã.

O vinagre de maçã é conhecido como um remédio caseiro eficaz para várias doenças de cães e gatos, tais como infecções urinárias, inflamações diversas e afecções cutâneas, como a dermatite canina. Vale sempre lembrar que este é um tratamento para afecções leves: se os sinais persistirem, é preciso levar o pet ao veterinário.

É possível encontrar, na internet, alguns tratamentos milagrosos realizados com vinagre de maçã, do alívio da coceira à cura do câncer. Exageros à parte, o produto é eficiente para aliviar os sintomas de algumas dermatites caninas, mas não dispensa as consultas médicas e o combate aos parasitas.

O vinagre de maça para dermatite canina

O vinagre de maçã é obtido através da fermentação de maçãs e apresenta propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e antimicrobióticas, atuando como auxiliar no tratamento de afecções cutâneas – inclusive dermatites caninas.

É a maçã fermentada que apresenta as propriedades antibacterianas e antifúngicas, responsáveis pelo alívio da dermatite canina. Por isso, outros tipos de vinagre, como de álcool ou de vinho, não fazem nenhum efeito – além disso, alguns são extremamente ácidos.

vinagre-maçã-dermatite-canina

O produto pode ser diluído na água servida para os cachorros (na proporção de 10% – nove partes de água para uma de vinagre). Ele também protege a mucosa gástrica, previne doenças cardiovasculares e evita picos de glicemia, comuns entre os animais sedentários.

Alguns estudos indicam que o vinagre de maçã é eficaz para reduzir a proliferação de fungos e bactérias – entre eles, o Staphylococcus aureus, micro-organismo responsável por afecções cutâneas e até problemas mais graves, como pneumonia e infecções ósseas e da válvula mitral.

É possível fazer vinagre de maçã em casa. Bata duas frutas no liquidificador, picadas e sem as sementes, até que a polpa fique totalmente triturada. Coloque em uma garrafa de vidro com tampa e mantenha longe do sol, em temperatura ambiente, por quatro a seis semanas.

Encha apenas metade da garrafa, para que a fermentação não provoque vazamentos. Depois do tempo de descanso, transfira a mistura para um pote de boca larga, coberto com um pano limpo, por três dias. depois disso, coe o vinagre e guarde-o em uma garrafa de vidro escuro; já está pronto para ser usado.

A dermatite canina

Quando o cachorro apresenta a pele irritada, o vinagre de maçã é útil para espantar parasitas, como pulgas, piolhos e carrapatos, que evitam ambientes ácidos (o pH do vinagre industrializado fica entre 3 e 5; o nível de acidez vem indicado nos rótulos).

O vinagre deve ser aplicado diluído: duas colheres de sopa para um copo de água (200 ml). O produto pode ser aplicado depois do banho ou da escovação dos pelos, com uma mecha de algodão uma gaze esterilizada ou com o uso de um borrifador (mas fique atento: alguns cães não gostam de ser “borrifados”).

O vinagre pode ser aplicado nas orelhas, no umbigo e na região anal sem problemas, mas é importante certificar-se de que o cão seja muito bem enxuto depois do uso da substância.

O vinagre de maçã também pode ser diluído na água do banho ou aplicado com uma esponja sobre a pele, para eliminar as irritações. O produto combate também a caspa e a seborreia, mas é necessário aplicá-lo com uma escova de cerdas mais resistentes.

Depois do banho, o vinagre de maçã um pouco mais diluído (uma colher de sopa para um copo de 200 ml com água) pode ser usado como desinfetante e desodorante. O produto costuma deixar os pelos brilhantes e sedosos, além de contribuir para a manutenção da umidade natural da pele.

A acne canina é um problema relativamente comum, que também pode ter os sintomas atenuados com vinagre de maçã, em paralelo aos medicamentos orais e de uso tópico receitados pelo médico.

Esta afecção é caracterizada por foliculite (inflamação do folículo piloso, a raiz dos pelos) e furunculose (rompimento do folículo), em consequência de uma obstrução das raízes, geralmente pela produção excessiva de sebo. Os sinais surgem principalmente no focinho e entre os dedos.

Cães com coceiras ficam desconfortáveis, irritadiços e nervosos, podendo inclusive se tornar agressivos – com eles mesmos e com outros membros da família. O vinagre de maçã alivia a dermatite canina e garante mais qualidade de vida.

As precauções

Os filhotes e os cães de pequeno porte costumam ter a pele mais delicada, assim como algumas raças caninas, como cocker spaniel, retriever do Labrador, golden retriever, basset hound e buldogues inglês e francês).

Antes de usar o produto, recomenda-se aplicar um pouco de vinagre puro na barriga, longe dos genitais. Se houver alguma predisposição a alergias, a área ficará avermelhada em poucos segundos.

Muito raramente, a aplicação do vinagre de maçã na pele dos cachorros pode provocar alguns efeitos colaterais, como náuseas e vômitos, especialmente quando o pet tem o costume de se lamber excessivamente. Nestes casos, o uso deve ser suspenso.

Nunca use vinagre de maçã, nem qualquer outro produto caseiro, se o cachorro apresentar feridas e lesões evidentes na pele, ou se esta exibir uma aparência “quebradiça” ou inchada. O vinagre é uma substância ácida, enquanto cremes e pomadas para dermatites caninas apresentam pH neutro.

A aplicação, nesses casos, pode piorar ainda mais o estado de saúde e também a aparência dos pets, além de não resolver o problema das irritações e coceiras. O vinagre deve ser usado apenas se a pele apresentar as características normais do cachorro.

O uso prolongado não é recomendado, porque o ácido acético presente no vinagre compromete a absorção de potássio, nutriente importante para a saúde dos ossos.

O vinagre de maçã é um remédio caseiro para cachorros, indicado para dermatites leves, causadas por parasitas, eventuais ingestões de alimentos inadequados ou hábitos inadequados, como morder as patas.

No entanto, caso os sintomas sejam mais sérios, é importante consultar um veterinário, porque as alergias e outras afecções de pele podem indicar problemas orgânicos, como distúrbios gastrointestinais e cardiovasculares.

Aviso importante: O nosso conteúdo tem caráter apenas informativo e nunca deve ser usado para definir diagnósticos ou substituir a consulta com um veterinário. Recomendamos que você consulte um profissional de confiança.